SRZD


24/02/2010 11h12

'Kick': O grande álbum do INXS
Luiz Felipe Carneiro

'Kick': O grande álbum do INXS

Para quem não sabe (ou não era nascido na época), "Kick" foi um dos principais discos lançados nos anos 80. Mas para explicar toda a importância desse álbum, seria interessante fazer uma viagem até o início da carreira do INXS, banda formada em Sidney, na Austrália, no ano de 1977, pelos músicos Andrew Farriss (teclados), Michael Hutchence (vocais), Tim Farriss (guitarra), Jon Farriss (bateria), Garry Gary Beers (baixo) e Kirk Pengilly (guitarra e saxofone). O primeiro single do conjunto só viu a luz do dia três anos. Lançada na Austrália, a dobradinha "Simple simon" / "We are the vegetables" não aconteceu, com a sua mistura de new wave, ska e pop digerível. No mesmo ano de 1980, foi a vez do álbum "INXS", que, assim como o single originário, fracassou na própria terra natal da banda.

O álbum seguinte, "Underneath the colours" (1981), que ainda abusava de uma sonoridade insossa, foi um pouco melhor. Ele chegou ao 15º posto da parada australiana de discos, mas a banda permaneceu ignorada nos Estados Unidos e no Reino Unido. O seguinte, "Shabooh shoobah" (1982), por sua vez, deu ao INXS a oportunidade de se infiltrar (de leve) no mercado norte-americano. Ainda que não fosse muito significativa para a indústria, a 52ª colocação alcançada pelo álbum na parada da Billboard foi muito importante para a banda, que ainda viu o single "The one thing" chegar ao top 30 da parada dos Estados Unidos.

Após uma turnê, e com mais experiência, em setembro de 1983, o INXS gravou "Original sin". E, a partir desse momento, as coisas começaram a mudar um pouco de figura. A canção chegou ao topo da parada australiana de singles, e uma imensa turnê se sucedeu para promover o álbum "The swing" (1984).

Já no ano seguinte ao lançamento de "The swing", que ainda trazia "Send a message" e "I burn for you", o INXS retornou aos estúdios para gravar o álbum "Listen like thieves", ao lado do produtor Chris Thomas, que já havia trabalhado com Sex Pistols, Pink Floyd, Pretenders e Elton John. Desse disco veio o sucesso "What you need". Mas mais importante do que esse hit, "Listen like thieves" marcou a transição da banda de um som mais puxado para new wave para um rock mais direto e eficaz, influenciado pelas grandes bandas inglesas, mas sem deixar de lado as raízes australianas. "What you need" foi parar direto no Top 5 da Billboard. E o Reino Unido, que, até então, ignorava solenemente Michael Hutchence e seus colegas, concedeu a 51ª posição para o single. Ainda era pouco, mas já era um início.

Mais uma grande turnê aconteceu e, após oito meses de férias, a banda voltou ao estúdio para gravar um novo trabalho. Nesse momento, a responsabilidade era muito grande. O conjunto havia, enfim, encontrado o seu caminho com "Listen like thieves". Agora, era questão de vida ou morte. Ou o INXS se transformava em uma grande banda do cenário musical mundial, ou desapareceria de vez. A primeira opção acabou prevalecendo.

Com o sucesso de "What you need", o INXS ficou mais confiante. De fato, tornara-se uma grande banda. E isso está bem nítido em "Kick", o grande álbum do INXS e que marcou o auge de sua popularidade. Segundo Pengilly, quando o grupo entrou em estúdio, tinha algo muito claro em mente: todas as canções deveriam ser "possíveis singles". E isso foi o que acabou acontecendo.

Gravado entre Sidney e Paris, e produzido novamente por Chris Thomas (o responsável pela nova sonoridade alcançada pela banda australiana em "Listen like thieves"), o álbum gerou quatro singles que chegaram ao top 10 da Billboard: "New sensation", "Never tear us apart", "Devil inside" e "Need you tonight", este último, inclusive, alcançou o primeiro lugar. E no Reino Unido - que até o ano anterior achava que INXS era apenas uma sigla sem sentido - essa mesma canção chegou ao segundo lugar da parada de singles.

Algumas curiosidades marcaram a produção de "Kick", confome explica o produtor Chris Thomas no encarte da edição comemorativa de 15 anos do lançamento do disco, que chegou às lojas em 2002. "Mystify", por exemplo, foi uma das primeiras canções compostas para o álbum. O produtor não ficou muito satisfeito quando os integrantes da banda a apresentaram. Meses depois, em um encontro em Hong Kong, o INXS chegou com "Need you tonight" e "Kick" na manga. A partir desse momento, Thomas vislumbrou a possibilidade de um grande álbum.

E quando as gravações de fato começaram, o repertório estava tinindo. No total, eram 12 "possíveis singles". Um desses singles, "Never tear us apart", acabou sendo gravado de forma bem diferente do previsto. A ideia original era de que a canção fosse puxada no piano, "com uma vibração meio Fats Domino ou Rolling Stones dos anos 60", segundo Chris Thomas. No final, acabaram substituindo o piano pelas cordas, e o resultado está aí até hoje. Já "Mediate" nasceu de uma demo de Andrew Farriss e, por pouco não entrou no álbum. Outra curiosidade é que "Kick" foi inteiramente gravado de forma digital, sendo que apenas a bateria foi registrada no tradicional modo analógico.

"Kick" chegou às lojas em outubro de 1987, e foi direto para o primeiro lugar da parada australiana de discos. Na Billboard, o álbum ficou com a terceira colocação. Já no Reino Unido - veja só! - o álbum entrou no top 10. O mais curioso é que a gravadora Atlantic Records não ficou satisfeita com o resultado do álbum. Os seus executivos achavam que aquilo não era rock, mas sim black music (?!?). O presidente da companhia chegou a cogitar a possibilidade de o INXS retornar ao estúdio para gravar um novo disco.

Ainda bem que não retornaram. Até hoje, "Kick" já vendeu 10 milhões de cópias somente nos Estados Unidos. E, além de ter trazido grandes hits, outras boas músicas ainda fazem parte do álbum, como "The loved one", música da banda australiana, The Loved Ones, que fez sucesso local nos anos 60. Todas as outras faixas foram compostas por Michael Hutchence e Andrew Farriss, e entre elas, ainda merecem destaque o funk "Guns in the sky" e o delicioso rock "Tiny daggers".

Além de tudo isso, com "Kick", o INXS ganhou diversos prêmios da Indústria de Discos Australiana, incluindo o de "Melhor Banda" em 1987, feito repetido em 1989 e em 1992. Em setembro de 1988, o videoclipe das canções "Need you tonight" / "Mediate" faturou cinco Video Music Awards, oferecidos pela MTV (e isso, naquela época, ainda significava muito). No clipe de "Mediate", a banda fez uma referência ao clássico vídeo de "Subterranean Homesick Blues", aquele que Bob Dylan fica mostrando dezenas de cartazes com frases escritas.

Como não poderia deixar de ser, "Kick" deu origem a uma imensa turnê que varreu os Estados Unidos e a Europa entre os anos de 1987 e 1988. E, obviamente, o INXS não deixou a peteca cair. Em outubro de 1990, foi a vez do lançamento de "X", um álbum que, se não era tão bom quanto "Kick", pelo menos não deixava a desejar, com hits em potencial, como "Suicide blonde", "Bitter tears" e "By my side". E aí, não houve mais jeito. A turnê teve até direito a uma apoteótica apresentação com ingressos esgotados, no Estádio de Wembley (no Reino Unido!), no dia 13 de julho de 1991, que acabou originando o vídeo (já editado em DVD) "Live Baby Live". Seis meses antes, os australianos já haviam levado mais de cem mil pessoas ao Estádio do Maracanã no encerramento da segunda noite do Rock in Rio II.

Mas, após o auge, infelizmente, veio a derrocada. E ela começou com o mediano e experimental "Welcome to wherever you are", que saiu em 1992. Apesar de ter chegado ao primeiro lugar da parada de discos britânica (por conta dos sucessos "Heaven sent", "Beautiful girl" e "Not enough time"), o álbum foi uma espécie de "último suspiro do sucesso". Após, "Full moon, dirty hearts" (1993) e "Elegantly wasted" (1997), não alcançaram o mesmo sucesso.

Poucos meses após o lançamento de "Elegantly wasted", mais precisamente no dia 22 de novembro de 1997, o vocalista Michael Hutchence foi encontrado enforcado em um quarto de hotel em Sydney. Com a sua morte, o INXS cambaleou, testou alguns substitutos e chegou ao ponto de recrutar um vocalista em um reality show. Ao lado de J. D. Fortune, os integrantes originais da banda gravaram o mediano "Switch". Mas o álbum não teve força para manter o sucesso do conjunto.

Agora, voltando a "Kick", no texto escrito no encarte da edição comemorativa, o produtor Chris Thomas grafou as seguintes palavras: "Falando de um modo geral, eu acho que a gravação de 'Kick' foi maior diversão que já tive na minha vida. Sydney tem uma vibração maravilhosa." Pois é... E a gente continua se divertindo até hoje... Apesar de saber que o INXS está realmente morto e enterrado.


Faixas:
1)    Guns in the sky
2)    New sensation
3)    Devil inside
4)    Need you tonight
5)    Mediate
6)    The loved one
7)    Wild life
8)    Never tears us apart
9)    Mystify
10)    Kick
11)    Calling all nations
12)    Tiny daggers


Em seguida, a dobradinha "Need You Tonight / Mediate" gravada ao vivo no Rock in Rio II, em 1991:


Veja mais sobre:InxsDiscos Clássicos

Comentários
Comentar