SRZD


24/11/2009 10h39

Universidade Estácio de Sá aprova candidata com nota 4 no vestibular
Sabrina Pirrho e Caio Barbosa

Ser aprovado em primeiro lugar para o curso de Arquitetura e Urbanismo de uma das maiores instituições de ensino do país não é nada difícil, muito pelo contrário. A repórter do SRZD Sabrina Pirrho, no último dia 18, prestou vestibular para a Universidade Estácio de Sá, num exame que consistia apenas em uma redação, feita deliberadamente com dezenas de erros, e foi aprovada com uma nota 4, suficiente para a instituição, que só elimina os candidatos que obtiverem nota menor do que 3.

Veja abaixo o texto da redação com alguns dos erros sublinhados:

Tema: "Quem desmatou a Amazônia não é bandido. Não se pode chamar de bandidos os produtores rurais que no passado desmataram a região", Luiz Inácio Lula da Silva

"Ao contrario do que falou o presidente Lula quem desmata a Amasonia é bandido sim. Quando se acaba com a floresta, não tem como as plantas ajudarem para não ter erozões e também prejudica no efeito estufa.


Os produtores, desmatavam a região da floresta no passado, para produzirem uma agricultura que gerava lucros para eles sem importar os efeitos danosos no meio ambiente da Amazonia .

É importante que aja concientização dos produtores para que possam preservar a floresta e não desmatar o restante das plantações que ainda existem.

Nos dias de hoje, muita gente fala em preservar as florestas para que elas possam protejer o planeta dos prejuizos causados pelas industrias que jogam muitos produtos que estragam e poluem o ar e todas as plantas. De todos os empresários, a maioria acreditam que a sua propria
industria não vai causar mau ao meio ambiente. Mas eles esqueçem que todos eles juntos acabam prejudicando todo o planeta, todas florestas e todas as pessoas.

O presidente tinha que o exemplo e falar de uma maneira que concientize os empresários e todos os brasileiros para não desmatarem as florestas do planeta."

Por ter sido a única a prestar vestibular de Arquitetura no concurso em questão, Sabrina ficou em primeiro lugar, com direito a um comentário bem-humorado de um funcionário da universidade. Ouça.


A facilidade para ingresso na Estácio não se dá apenas na hora do vestibular. Nossa repórter, que decidiu fazer a prova no dia 16 de novembro, pôde escolher qualquer dia da semana seguinte, tendo 3 horários diários à disposição para realizar a prova. Escolheu o dia 18 de novembro.

Diferentemente do que ocorre em outros estabelecimentos de ensino superior, que além de testar o conhecimento do aluno em diversas áreas, ainda exigem uma prova de habilidade específica para ingressar no curso de Arquitetura, saber escrever bem uma redação, na Estácio, já é o suficiente. Ou melhor, escrever um texto pobre - e com erros graves de português - basta para ser aprovado.

Fiscalização precária durante a prova

Como se não bastasse a precariedade do exame, as condições para a realização da prova demonstram que não há mesmo muito interesse da instituição na hora de avaliar seus candidatos. Assim que chegou ao local onde seria realizada a prova, a primeira surpresa: nenhum funcionário da Estácio pediu qualquer tipo de documento à repórter do SRZD, que apenas assinou uma lista de presença. Cerca de 15 minutos depois, Sabrina se surpreendeu com o fato de outra vestibulanda chegar para fazer a prova, diferentemente do que ocorre em exames de outras instituições, onde os portões são fechados e ninguém mais pode ter acesso aos locais de prova a partir do horário determinado para o início da mesma. Para completar, os candidatos recebem uma folha de rascunho que pode ser levada para casa, ou entregue a outro vestibulando, sem qualquer tipo de fiscalização. Veja abaixo o rascunho da redação feito pela repórter Sabrina Pirrho, do SRZD.

  Veja em tamanho ampliado

Procurada pela nossa equipe, a Estácio de Sá, através de e-mail, explicou que Sabrina Pirrho foi a única candidata a realizar a prova para o curso de Arquitetura no dia 18, o que não significaria,  necessariamente, que a candidata tenha obtido o primeiro lugar em todo o processo seletivo. A universidade diz, ainda, que segue rigorosamente as regras do Ministério da Educação, que em suas Portarias nº 391 (7/2/2002) e nº 2.941 (17/12/2001), diz que a seleção deve ter obrigatoriamente uma prova de redação, de caráter eliminatório, e cada instituição pode estabelecer em seu edital uma nota mínima exigida nesta prova. Por fim, a Estácio garante estar atenta à qualidade de ensino dos seus alunos e, embora "acredite que o aluno formado pelo Ensino Médio esteja apto a acompanhar as aulas na Graduação", oferece gratuitamente aulas de reforço nas disciplinas de Português e Matemática aos interessados, nos dois primeiros semestres.

Veja a opinião de Sidney Rezende

Veja nesta quarta-feira a opinião do Ministério da Educação (MEC) e do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-RJ).



Comentários
  • Avatar
    16/09/2014 22:43:55Lino ReisAnônimo

    Hoje, muitos se matam para tentar ingressar em uma universidade federal, que é o jeito mais difícil de estudar de graça... O caso é: " hoje, no Rio de Janeiro - é só um dos exemplos-, conheço muitos engenheiros de petróleo, químicos, advogados... em que, vieram a mim, em busca de empregos, porque estão desempregados a mais de 3 anos, 5 anos... A verdade é: ingressar em uma faculdade pública é difícil, mas, sair de lá é mais fácil. No entanto, entrar em uma faculdade particular é mais "fácil", porém sair, realmente é mais difícil. Conclusão: aprende-se mais e, o melhor é que os alunos estudam, sem greves! O importante é ter um bom ensino lá dentro e, o aluno se empenhar para se tornar um ótimo profissional, independente de onde tenha cursado. " A EDUCAÇÃO SECULAR NOS FORMA ENGENHEIROS, MÉDICOS, ADVOGADOS, PROFESSORES,ETC, MAS ESTÁ ESQUECENDO DE ENSINAR COMO SERMOS VERDADEIRAMENTE PRÓSPEROS E COMO REALIZARMOS NOSSOS SONHOS"

  • Avatar
    25/06/2014 23:34:37Ângelo Rogério AntoniolliAnônimo

    Entra é fácil. Sair de lá com o diploma, já é outra história. Vejo mais os jornalistas, querendo gerar sensacionalismo em cima do tema. E indo contra o que andam defendendo, que é a universidade para todos. O que é pior? entra com média 4 em redação ou através de cota?

  • Avatar
    18/02/2014 20:06:10Maria da PazAnônimo

    Jornalistas devem se preocupar em fazer jornalismo de nível mais elevado; melhores conteúdos; em vez de estarem querendo manchar nomes de faculdades, com intenções duvidosas. Quiçá, até a pedidos de outras concorrentes...Se humanizem mais; façam matérias de melhor qualidade. Lutem por maior e melhor investimentos em educação, para que alunos das escolas públicas possam sair do ensino médio em condições de competir com os de escolas particulares.

  • Avatar
    19/01/2014 22:57:47Lucas freireAnônimo

    Fiz o vestibular para a estacio e espero que eu seja aprovado,porém discordo de quem critica da estácio pois mesmo se essa jornalista !realmente tivesse esses erros a universidade da a oportunidade e a chance que essa pessoa tente cursar ! Oque podia acontecer mais pq mesmo com quem estuda muito ao realizar provas ,por nervosismo ou por resultados próximos demais tiram notas ruins !

  • Avatar
    06/11/2013 11:16:46thiagoAnônimo

    Como minha vovó sempre dizia quem faz a escola é o aluno. E quem faz da Estacio uma grande instituição? São os excelentes profissionais que ela tem formado. E se Deus quiser serei mas um.

  • Avatar
    13/10/2013 23:28:54Pedro castroAnônimo

    Algumas instituições de ensino superior só visam ao dinheiro, não estou dizendo que são todas, mas a maioria.A Estácio é um exemplo disso, além desse acontecido, há outro, em que aprovaram um analfabeto, isso é uma vergonha para o nosso país, que tipos de profissionais essas faculdades formarão?

  • Avatar
    15/06/2013 13:12:10Nárjara PatriciaAnônimo

    Existem muita pessoas que passam por um vestibular tão difícil,com uma concorrência lá em cima,fazem Faculdade durante 5,6 anos e não são bons profissionais,enquanto pessoas que cometem erros na redação como foi citada na notícia passam só 2 ou 3 anos terminam o curso e são excelentes Profissionais. hipocrisia de quem julga uma Instituição de Ensino por isso.Ninguém é perfeito,já vi muita gente que fechou uma prova de vestibular que no dia a dia escrevem e falam super errado.

  • Avatar
    15/06/2013 12:55:32Nárjara PatriciaAnônimo

    Na verdade nem deveria existir vestibular para ingressar numa universidade.Era para entrar na Universidade assim que terminasse o ensino médio,tem Universidades por aí que coloca questões numa prova de vestibular que são de extrema futilidade na vida de um acadêmico,questões essas que nunca vai ser usadas no cotidiano,extremas teorias desnecessárias.

  • Avatar
    21/05/2013 16:40:38Andressa HeringerAnônimo

    Porque são 500 reais o vestibular de medicina da Estácio de Sá? Nunca vi isso......é pagou e passou?

  • Avatar
    19/03/2013 13:48:15LUIZ EDUARDO AMARALAnônimo

    Claro que uma matéria jornalística não é nem pretende ser um estudo aprofundado das contradições e precariedades do ensino brasileiro. Mas teve mérito ao colocar o dedo nesta ferida. Sobre Arquitetura é uma profissão complexa que exige várias habilidades, artísticas, humanas e técnicas. Quem se interessa pela área mas não quiser ou não puder se aprofundar em um curso longo, pode tentar um profissionalizante de edificações. As cidades brasileiras, em sua maioria bastante feias e desconfortáveis, são carentes de bons profissionais. Que só se formam por esforço próprio (ESTUDANDO SEMPRE) e frequentando BOAS escolas.

  • Avatar
    01/10/2012 21:41:34Jáder Carvalho de MedeirosAnônimo

    Deveriam avaliar o resultado das provas que comprovam as formações dos ensinos fundamentais, médios e superiores. Esses erros de português descritos foram aprovados não pelo vestibular e sim pelas provas de avaliação no ensino fundamental (1ª a 8ª série). Vergonha é ter em nosso país uma pobreza profissional em praticamente todas as áreas, incluindo o jornalismo que destacou-se nessa matéria por ter uma fraca argumentação em afirmar que bom arquiteto tem que ter um processo seletivo rigoroso para ingressar em tal faculdade. O vestibular deveria ter o objetivo de que, se há mais candidatos do que vagas, os candidatos com maior conhecimento da área que passem. Querem criticar alguma entidade, critiquem o MEC que obriga a ter requisitos mínimos precários para ingressar em uma faculdade. Mas vamos abrir os olhos, pois na verdade, universidades que exigem conhecimentos desnecessários para ingressar em uma faculdade estão na verdade é enchendo os bolsos dos empresários que possuem cursos preparatórios para vestibular. O Brasil tem muito a crescer, mas enquanto a política falar mais alto que as críticas do povo, "o de cima sobe e o de baixo desce".

  • Avatar
    11/07/2012 10:36:44Neljanira do ValleAnônimo

    Esses vestibulares não nos ajudam em nada em nossas vidas, não precisamos obter notas altas para sermos bons profissionais.

  • Avatar
    26/04/2012 02:26:19karina freitasAnônimo

    Tratando-se de algo apelidada de Faculdade como é a ESTACIO DE SÁ ,nao poderia deixar de parabenizar a Sabrina ,pois ela está no lugar certo pois,quando falamos sobre o desmatamento a Sabrina foi muito feliz em suas palavras em sua redaçao ,ela desmatou a pobre e esquecida Amazônia com Z ,usando o S e tampouco o Ô sem o assento ela não está só desmatando a Amazônia mas assassinando também a lingua portuguesa. Aproveitando o parecer da apelidada faculdade Estacio de sá a respeito da sua suposta candidata que iniciou a redação desmatando assim a floresta Amazônica acredito que a mesma nao seja digna de fazer Arquitetura e Urbanismo ,pois com toda essa criatividade a qual escreveu o texto tenho medo de residir em uma cidade urbanizada por bombas atômicas Sabrina desiste deixa a faculdade e continua como reporter

  • Avatar
    22/04/2012 11:16:49JoanaAnônimo

    Acho desnecessário vestibular. Nós aprendemos várias matérias no 2º grau e não usamos 90% delas na nossa vida. Em muitos países desenvolvidos nem existe isso, o ingresso à faculdade é automático. isso é uma palhaçada, quem tem q avaliar o aluno é a instituição onde cursa o 2º grau, não é no vestibular. Se por acaso a pessoa passar nessa provinha ae....cursará a faculdade e aí sim é o caso da faculdade avaliar. Essa matéria só prejudica os novos alunos que vão ter q estudar mais pq com certeza a instituição vai modificar a sua prova... E agora eu terei que estudar Física e quimica, pra cursar administração....Palhaçada!

  • Avatar
    27/12/2011 16:02:49Ricardo FerreiraAnônimo

    Só agora tive a oportunidade de ler a matéria mas, ainda assim, quis me pronunciar. A escola em questão não foi a pioneira neste tipo de avaliação. Há muito já existe este critério para o ingresso em muitas universidades do país. O curso de arquitetura da Estácio, nos últimos anos, apresentou excelente bom desempenho nas avaliações do ENADE. Em alguns casos, foi melhor avaliada do que algumas federais. O ingresso na instituição, de jeito nenhum garante a conclusão, que depende exclusivamente do esforço dos professores e dos alunos, por isso mesmo, cerca de 20% dos ingressantes, se tornam de fato arquitetos. Já que a referida jornalista ingressou, sugiro que conclua o curso. Penso que a própria Estácio deveria garantir-lhe bolsa integral.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.