SRZD


18/08/2009 18h36

Como falar sobre doenças sexualmente transmissíveis com o parceiro?
Roxane Ré

O Ministério da Saúde lançou nesta terça a campanha "Muito prazer, sexo sem DST" para prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. A proposta do governo tem uma novidade: são cartões virtuais que permitem que o usuário avise parceiros sexuais sobre possíveis doenças.
 
No site www.aids.gov.br/muitoprazer, o internauta poderá enviar postais anônimos para contar ao parceiro sobre uma possível infeccção. Segundo Mariângela Simão, diretora do Departamento de DST e Aids do Ministério da Saúde, as pessoas têm muita dificuldade de contar que estão infectadas e as novas tecnologias de comunicação podem ajudar.

De acordo com os dados do Ministério, cerca de 10 milhões de brasileiros já tiveram alguma doença sexualmente transmissível. A maioria é de homens, 6,6 milhões. As mulheres somam 3,7 milhões. Segundo as informações, 18% deles e 11,4% delas não procuraram atendimento médico, o que aumenta em 18 vezes o risco de infecção pelo HIV.

Enquanto 99% das mulheres que constataram algum sinal e procuraram tratamento recorreram a um médico, um em cada quatro homens procurou a farmácia para a automedicação. Os números são resultados da Pesquisa Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira de 15 a 64 anos divulgada pelo Ministério da Saúde. Foram ouvidas oito mil pessoas em todas as regiões.

Depois que li a informação no G1, fui conferir a nova proposta. O site estava fora do ar para manutenção. Enquanto isso, vale refletir sobre o assunto da vida de todos nós. 

Será que esse tipo de comunicação pode funcionar? Tenho minhas dúvidas. Se alguém não tem coragem de conversar diretamente sobre um assunto delicado, por que vai querer se expor mandando uma mensagem? Infelizmente, homens e mulheres fogem de assuntos constrangedores na relação sexual quando a atitude inversa poderia melhorar a qualidade dessa relação. Pelo menos as mulheres buscam tratamento. E os homens? Como mudar essa cultura?

Uma mensagem através de um cartão virtual e sem identificação, é mais uma tentativa para resolver o problema do número elevado dos casos de doenças sexualmente transmissíveis no país.

O que você acha dessa idéia?


 


Comentários
  • Avatar
    22/09/2010 08:03:16LayseAnônimo

    eu tenho 16 anos e tenho AIDS muito dificil...

  • Avatar
    26/09/2009 13:29:03tatianerAnônimo

    vc esta no msn

  • Avatar
    26/09/2009 13:28:45tatianerAnônimo

    vc esta no msn

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.