SRZD



Paulo Estrella

Paulo Estrella

Diretor-pedagógico da Academia do Concurso desde 2008, professor de curso preparatório desde 2003 e coordenador de cursos de pós-graduação da Academia do Concurso. Trabalha em cursos de performance, com provas realizadas por terceiros, desde 1994, tendo passado por várias redes de ensino como MV1, Bahiense e GPI, além de cursos pré-militares. É consultor de preparação, especialista em concursos, blogueiro do caderno Boa Chance do O Globo e responsável pela criação e entrega dos cursos da Academia do Concurso na sede e em todas as unidades.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



08/01/2014 09h33

Concurso público: vagas para Ministério do Trabalho
Paulo Estrella

Imagem ilustrativa. Foto: DivulgaçãoSaiu o edital para dois cargos do Ministério do Trabalho e Emprego. São 415 vagas para agente administrativo com remuneração inicial de R$ 2.573,22. Para esse cargo basta que o interessado tenha concluído o nível médio até a data da posse. O outro cargo é para contador, são 35 vagas e a remuneração inicial é de R$ 3.981,42 e o candidato deve ser graduado em Ciências Contábeis. Se levarmos em consideração a remuneração e o volume de conteúdos, o cargo de nível médio é bem atrativo.  As inscrições ocorrerão entre os dias 13 de janeiro e 3 de fevereiro no site da banca organizadora que é a CESPE-UNB como já era esperado.

A prova será realizada dia 30 de março pela manhã para o cargo de contador e a tarde para o cargo de técnico administrativo. Ambas as provas terão a duração de quatro horas e meia e com isso o interessado habilitado para concorrer para o cargo de contador pode também fazer a prova para nível médio.  São quase 3 meses para estudar, esse prazo é raro nos concursos atuais e favorece o interessado com garra e foco suficientes para investir na preparação.  Sem contar que nesse período tem o carnaval que garante praticamente uma semana de dedicação exclusiva para estudar para o concurso. Isso não tem como fugir, para ser aprovado tem que estudar e muito. Mas nesse prazo é possível até para quem se interessou agora e pretende iniciar os estudos.

A prova, como já disse, está sendo organizada pela CESPE-UNB. Essa é uma banca bem característica, a prova não é dividida em questões e sim por itens que devem ser julgados (Certo ou Errado) pelo candidato. A prova é composta por 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Para complicar um pouco, para cada item marcado de acordo com o gabarito soma um ponto na nota do candidato mas cada item marcado divergente do edital subtrai um ponto. Isso é para evitar o chute, se o candidato chutar a prova toda ele tende a acertar a metade e errar a outra metade, dessa forma para quem chuta, a nota do candidato tende a zero. Com isso, na realidade, o candidato tem três possibilidades de resposta: marcar o item como certo, marcar como errado ou deixar em branco que não soma mas também não subtrai. Não responder itens deve ser usado com moderação pelo candidato na hora da prova pois, para se classificar bem, será necessário um volume razoável de acertos. Numa prova de 120 itens é possível deixar aproximadamente cinco itens em branco e se manter na competição pela vaga.

Os 50 itens de conhecimentos básicos estão distribuídos entre as seguintes disciplinas: Português, redação oficial, informática, direito administrativo, atualidades, ética no serviço público e administração financeira e orçamentária. Perceba que não foi cobrada a disciplina de direito constitucional e nem atendimento ao cliente que estavam presentes no último concurso.  Comparado com o edital de 2008 houve um aumento considerável no conteúdo de direito administrativo. Os 70 itens dos conhecimentos específicos estão divididos entre as seguintes disciplinas: Legislação específica, gestão de pessoas, recursos materiais, arquivologia e gestão e fiscalização de contratos e convênios.  Dessas disciplinas, a que teve seu conteúdo aumentado neste edital foi a legislação específica.  Nesse concurso várias disciplinas foram introduzidas no edital. Entre elas: atualidades, ética no serviço público,  administração financeira e orçamentária, gestão de pessoas, recursos materiais e gestão e fiscalização de contratos e convênios.  Essas introduções favorecem quem  inicia os estudos agora ou vem estudando para outros editais mais atuais.

Estudar para esse concurso, o candidato deve fazer um grande volume de questões da banca organizadora para se acostumar com linguagem da banca e entender quais assuntos são considerados mais importantes e com isso mais frequentes nessas provas. Não precisa ficar na última prova do MTE, é muito importante que o candidato busque questões nas provas de outros órgãos organizada pela CESPE que possuam as disciplinas cobradas nesse edital. O candidato só deve ter alguma dificuldade com a legislação específica e com a disciplina de gestão e fiscalização de contratos e convênios. Para a primeira, o candidato encontrará algumas questões na última prova do MTE mas para a segunda a dificuldade será maior e é necessário reforçar o conhecimento estudando mais pesadamente e de forma mais ampla a teoria.

Outro ponto importante é que há uma prova discursiva, na verdade uma redação de 20 a 30 linhas sobre algum assunto ligado as disciplinas dos conhecimentos específicos onde o candidato será avaliado pelo conteúdo e pela redação. A prova discursiva vale 20 pontos e o candidato será eliminado caso não atinja 10 pontos. Mas estudando a teoria e treinando redação o candidato estará se preparando sem esforço adicional. Agora é respirar fundo e iniciar os estudos de forma que seu sonho de emprego público seja realizado esse ano. Bom estudo.


Veja mais sobre:Concurso público

Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.