SRZD


02/11/2008 19h18

O melhor de R.E.M.: As 12 músicas da banda que não podem faltar no seu iPod
Luiz Felipe Carneiro

Nos próximos dias, os brasileiros terão a oportunidade de testemunhar mais um show do R.E.M.. Quem esteve presente no já histórico dia 13 de janeiro de 2001, na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro, sabe o que estou falando. Michael Stipe, Mike Mills e Peter Buck estão finalizando a turnê "Accelerate", na qual reencontraram o velho espírito roqueiro de "Murmur". Mas seja com rock, pop ou balada, fato é que o R.E.M. sempre surpreende, com lindas canções que não saem da cabeça de seus fãs. Esta "Fitinha da Esquina" traz doze canções da banda de Geórgia, que qualquer fã gostaria de ouvir nos shows dos próximos dias. Tomara que pelo menos algumas entrem no roteiro...

Lado A:

   1. "Gardening At Night" - Para iniciar, nada melhor do que uma canção que faz parte do primeiro EP da banda, "Chronic Town". "Gardening At Night" já mostra bem a sonoridade típica do R.E.M.. A guitarra Rickenbacker de Peter Buck, a levada de baixo de Mike Mills, a bateria vigorosa de Bill Berry e o vocal ?blasé' de Michael Stipe. A letra, bem, a letra também é tipicamente R.E.M., com aquele surrealismo característico, e que nada tem a ver com um jardineiro regando suas plantinhas durante a noite. Apesar de ser uma canção que os fãs sempre citam como uma de suas favoritas, raramente o R.E.M. a apresenta ao vivo. Será que nós teremos sorte nos shows dessa semana?


   2. "Radio Free Europe" - Primeira faixa do primeiro álbum oficial do R.E.M. ("Murmur"), "Radio Free Europe" é outra canção que fez com que a banda de Michael Stipe ganhasse o rótulo de alternativa. Com "Murmur", e especificamente essa canção, Michael Stipe e seus colegas provaram que não precisavam se curvar a moda da new wave. Talvez por isso, ainda tenhamos a oportunidade de assistir a um show do R.E.M. quase 30 anos após o seu surgimento.


   3. "(Don't Go Back To) Rockville" - O folk-rock está presente em "Reckoning", álbum do R.E.M. lançado em 1984. Aliás, a missão de selecionar apenas uma faixa desse álbum é das mais árduas. Dele, fazem parte "Harborcoat", "So. Central Rain", "Pretty Persuasion", "Secong Guessing"... Enfim, só música boa. "(Don't Go Back To) Rockville" está sendo apresentada com costume na "Accelerate Tour". O detalhe é que Michael Stipe, generosamente, cede o microfone para o baixista Mike Mills. E não é que o cara manda muito bem nos vocais?


   4. "Fall On Me" - Quem foi à apresentação do conjunto no último Rock in Rio brasileiro, certamente nunca vai se esquecer de Michael Stipe cantando "Fall On Me". O acorde clássico de guitarra da abertura ficou praticamente inaudível enquanto 200 mil pessoas urravam. E Michael Stipe cantando os versos "Feathers hit the ground before the weight can leave the air / Buy the sky and sell the sky and tell the sky and tell the sky / Don't fall on me / What is it up in the air for, It's gonna fall" olhando para a linda lua que brilhava no céu, foi um dos momentos mais lindos do festival. A turnê norte-americana do R.E.M. contava com o show de abertura da banda Modest Mouse, do guitarrista Johnny Marr, ex-The Smiths. Nessa canção, Marr sempre voltava ao palco para tocá-la junto com o R.E.M.. Os brasileiros não terão o privilégio de testemunhar esse momento, mas se o R.E.M. apresentar essa canção em algum dos quatro shows, já estará de bom tamanho.


   5. "It's The End Of The World, As We Know It (And I Feel Fine)" - A platéia berrando a sua quilométrica letra ao final de cada show do R.E.M. é uma verdadeira comunhão entre artista e público. Durante a turnê norte-americana, a canção ficou de fora do repertório. Na Europa, ela foi apresentada em alguns shows. Tomara que Michael Stipe se lembre da catarse que foi essa canção no Rock in Rio (com muita poeira levantando). Se essa recordação vier à sua cabeça, dificilmente "It's The End Of The World, As We Know It (And I Feel Fine)" ficará de fora do roteiro dos shows dos próximos dias.


   6. "Orange Crush" - Quando o roadie, antes de o R.E.M. entrar no palco, já coloca o alto-falante no pé da bateria, toda a platéia já tem uma certeza: "Orange Crush" está no roteiro do show. A letra da música, no entanto, em nada tem a ver com o simpático refrigerante da laranja. A idéia, bem política, diga-se de passagem, é completamente outra, e Michael Stipe costuma apresentá-la para criticar John McCain, candidato republicano à presidência dos Estados Unidos.

 

Lado B:


   1. "Losing My Religion" - Tudo bem que ninguém agüenta ouvir mais essa canção do álbum "Out Of Time". Mas é inegável que "Losing My Religion" é uma das canções pop mais lindas de todos os tempos. Então, caso ela seja apresentada em algum show aqui no Brasil (e certamente será), ao invés de ir comprar cerveja, aprenda como se faz uma canção de verdade.


   2. "Man On The Moon" - Desde que "Automatic For The People", um dos melhores discos da década de 90, foi lançado, "Man On The Moon" faz parte de, rigorosamente, todas as apresentações do R.E.M.. Nessa "Accelerate Tour", em todos os shows, ela foi a última do roteiro. Nesse momento da apresentação, aproveite para homenagear Andy Kaufman cantando o "yeah yeah yeah yeah" e acompanhando a melodia com o braço, que nem Michael Stipe costuma fazer.


   3. "What's The Frequency, Kenneth?" - Outra canção que o ?riff' inicial de guitarra já vale pela música toda, ou até mesmo pelo álbum todo. "What's The Frequency, Kenneth?" faz parte de "Monster", álbum, de certa maneira, incompreendido quando foi lançado em 1994. Hoje, ele é considerado ?cult'. Vai entender... Melhor não entender nada... Ouça a música e veja porque o R.E.M. é uma das maiores bandas de rock de todos os tempos.


   4. "At My Most Beautiful" - A canção de amor mais bonita do R.E.M., faz parte do álbum "Up", que chegou às lojas em 1998. Com violoncelos, tímpanos, bumbos, banjos e um lindíssimo piano, "At My Most Beautiful" é praticamente uma peça sinfônica. E a sua letra é de uma simplicidade ímpar: "I save your messages / Just to hear your voice / I've found a way to make you / I've found a way / A way to make you smile / At my most beautiful / I count your eyelashes secretly". Alguém aqui já salvou mensagens no celular só para poder ficar escutando a voz da pessoa amada?


   5. "Imitation Of Life" - A canção, uma espécie de "Shinny Happy People" mais adulta, é um arrasa quarteirão em qualquer apresentação da banda. Com uma sonoridade alegre e uma letra idem ("That's sugarcane that tasted good / That's freezing rain, that's what you could / Come on, come on / No one can see you cry"), "Imitation Of Life" é daquelas canções que a gente tem muita vontade de cantar quando está feliz. E se não tiver, não faz mal, porque não tem como não ficar feliz ao escutá-la.


   6. "I'm Gonna DJ" - Essa canção é a prova de que o R.E.M. voltou às suas origens. "I'm Gonna DJ" foi apresentada ao público durante a turnê de "Around The Sun". Desde então, não saiu mais do roteiro, e acabou entrando no disco "Accelerate", mesmo tendo feito parte do anterior "Live". E quando o fim do mundo chegar mesmo, que Michael Stipe apresente-se como DJ e bote pra quebrar.


Compare os preços dos Cds da Banda R.E.M



Abaixo, o divertido videoclipe de "Imitation Of Life".


Veja mais sobre:REMFitinha da Esquina

Comentários
Comentar