SRZD


03/05/2012 11h41

'Dia do Sertanejo': Data comemora 48 anos de existência
Redação SRZD

Foto: Reprodução de internetO Sertanejo comemora, em 2012, seu 48º ano de existência e é destaque no Twitter. É sabido que o ritmo é bem mais antigo, mas a data de 3 de maio de 1964 serve de refêrencia para a comemoração da criação do gênero.

No início da década de 1960, violeiros seguiam anualmente para a cidade de Aparecida, em São Paulo, para assistir a um dia de missas. Com isso, Geraldo Meirelles (foto à esquerda), o "Marechal da Música Sertaneja" (ná época ele estava começando a surgir no cenário sertanejo), propôs que eles passassem a se encontrar todo ano na mesma data, para que, assim, pudesse ser instituído um "Dia do Sertanejo".

Contando com a ajuda da "Rádio Aparecida" e com a aceitação por parte dos violeiros, Meirelles levou a dupla Tonico e Tinoco para se apresentar na cidade. A tradição se mantém até os dias de hoje.

O ritmo como é conhecido atualmente, porém, surgiu em 1929, quando o jornalista e escritor Cornélio Pires fez gravações de "causos" e fragamentos de cantos tradicionais rurais do interior paulista, sul e triângulos mineiros, sudeste goiano e matogrossense. Na época, o gênero era conhecido como música caipira, cujas letras evocavam o modo de vida do homem do interior, assim como a beleza bucólica e romântica da paisagem interiorana.

Foto: DivulgaçãoEntre as duplas, as pioneiras foram Zico Dias e Ferrinho, Laureano e Soares, Mandi e Sorocabinha e Mariano e Caçula. Foram as pioneiras das modas de viola, de temática principalmente ligada à realidade cotidiana, em 1934. Com o tempo, as modificações melódicas e temáticas (do rural para o urbano), somando à introdução de novos instrumentos musicais consolidaram, na década de 1980, um novo estilo moderno da música sertaneja, chamado hoje de "sertanejo romântico". Os principais representantes desta era são Chitãozinho & Xororó (foto acima), Leandro & Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Chrystian & Ralf, João Paulo & Daniel, Gian e Giovani e Roberta Miranda.

Visando um lucro ainda maior, a indústria fonográfica lançou, na década de 2000, um movimento chamado "sertanejo universitário", revelando nomes como César Menotti & Fabiano, Jorge & Mateus, Victor & Leo, Fernando & Sorocaba e, mais recentemente, Luan Santana e Michel Teló.

Apesar de estar em alta, o mundo sertanejo vive um drama atualmente: Pedro, filho do cantor Leonardo, sofreu um acidente no dia 20 de abril, em Minas Gerais, e teve traumatismo craniano e trauma abdominal. O jovem, no entanto, vem apresentando boa recuperação.


Veja mais sobre:MúsicaSertanejo

Comentários
  • Avatar
    04/05/2012 12:30:08Cláudio RúbioAnônimo

    e, por uma daquelas coincidências que só o Criador sabe explicar, Tinoco faleceu ontem, no dia da festa que, com o irmão, ajudou a popularizar. faleceu no dia em que estava sendo homenageado pelo povo, em Aparecida. se o reconhecimento popular é sinal do reconhecimento divino, Tinoco partiu desta vida em grandes mãos.

  • Avatar
    03/05/2012 13:03:59Erval de AlmeidaAnônimo

    O coroa teve uma ideia boa. O Geraldao. Que apesar de nao ter iniciado o tipo de musica, creio que ele deu pelo o menos um marco. Agora, o Sertanejo, ou que, nome tenha e bom de ouvir, nao todos. E o Chitaozinho e o Xororo, sao antes de 1980, eles sao da decadas de 1970. Aqueles, mencionados, como exeplos do "Sertanejo Universitario", sao bons; exceto, na minha opiniao, Luan Santana. E o MT tenho impressao que nao faz parte dessa denominaçao. O que nao quer dizer que o cara, nao tenha qualidade e capacidade musical, pois, ele nao apareceu de repente. E conhece musica.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.