SRZD



Cláudio Francioni

Cláudio Francioni

Carioca, apaixonado por música. Em relação ao assunto, estuda, pesquisa e bisbilhota tudo que está ao seu alcance. Foi professor da Oficina de Ritmos do Núcleo de Cultura Popular da UERJ, diretor de bateria e é músico amador, já tendo participado de diversas bandas tocando contrabaixo, percussão ou cantando.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



16/10/2011 22h40

Os 30 anos de três importantes discos
Cláudio Francioni

Neste mês de outubro, três gigantes do rock comemoram 30 anos de lançamento de importantes álbuns em suas trajetórias. "Exit...Stage Left", "October" e "Ghost in the Machine", de Rush, U2 e The Police respectivamente, marcaram as carreiras destas bandas por motivos distintos.

Foto: Reprodução

Começando pela banda mais antiga, "Exit...Stage Left" é o segundo disco ao vivo dos canadenses. Com este registro, o trio encerra sua segunda fase após quatro álbuns de estúdio: "A Farewell to Kings", "Hemispheres",  "Permanent Waves" e "Moving Pictures". No fim deste ciclo, o grupo começa a abandonar sua vertente progressiva e inicia suas experimentações com os teclados e sintetizadores, característica latente a partir de "Signals" de 82, disco que abre a terceira fase. "Exit...", que foi gravado em duas sessões ao vivo, no Canadá e na Escócia, tem seu nome inspirado no Leão da Montanha, personagem da Hanna Barbera que se utilizava da expressão para fugir de situações embaraçosas (por aqui, se transformou em "saída...pela esquerda").  Na capa do LP (acima), o designer gráfico canadense Hugh Syme misturou elementos presentes nas artes dos nove álbuns anteriores da banda e encontrar estas referências é um divertido passatempo. Alguém se arrisca?

Foto: Reprodução"Ghost in the Machine", quarto trabalho do Police, marca um rompimento quase total com o reggae e o punk rock que marcaram os três primeiros discos do trio. O uso de sintetizadores e metais trazem um ar pop à sonoridade da banda, nítido já nas primeiras faixas. O título, inspirado no livro do escritor húngaro Arthur Koestler, cujo foco é a autodestruição humana, influenciou algumas letras como "Spirits in a Material World" e "One World Not Three". Na capa, três enigmáticos símbolos digitais nada mais eram do que uma representação dos rostos dos três integrantes (Summers, Sting e Copeland, na ordem). Apesar de terem alcançado rapidamente o primeiro lugar na parada britânica, a mudança gerou descontentamentos. Enquanto Summers se mostrava contrário ao abandono das raízes da banda, Copeland se incomodava com a monopolização das decisões por parte de Sting. Era o começo do fim.

Foto: ReproduçãoPor último, aquele que traz no título o nome do mês de lançamento. "October" é o segundo e menos popular de todos os trabalhos de estúdio do U2. O que torna o álbum marcante é a contextualização que o cerca. Após a promissora estreia com "Boy" em 1980, os irlandeses arriscam tudo ao gravar um disco recheado de temas espirituais, impulsionados pela participação de Bono, Larry e The Edge em um grupo cristão denominado "Shalom Fellowship". A banda questionava a relação entre a fé cristã e o "rock’n’roll way of life" e isso era escancarado em "Gloria" ("eu tento cantar esta canção, eu tento entrar, mas não consigo encontrar a porta....Gloria in te Domine") ou em "With a Shout" ("eu quero ir para os pés do Monte Sião, para os pés daquele que me fez ver...Jerusalém"). "Gloria", por sinal, foi a única faixa do disco que se transformou em hit após abrir o clássico álbum ao vivo "Under a Blood Red Sky" de 1983. "October", citado pela CCM Magazine (Contemporary Christian Music) como um dos melhores registros de música cristã de todos os tempos, foi massacrado pela crítica e ignorado até mesmo pelos fãs, mas deixa claro que ali o U2 escolhia trilhar para sempre o caminho da ousadia. 


Comentários
  • Avatar
    11/11/2011 12:02:55André (Rato)Anônimo

    Bom, já que levantou a bola dos elementos dos vários discos presentes na capa do Exit.., são eles : 1) o homem nu do Hemispheres, 2) os carregadores de vermelho do Moving Pictures, 3) o quadro com a capa do Caress of Steel, 4) o símbolo do 2112 do pentagrama, 5) a marionete do Farewell to Kings, 6) o logotipo RUSH do primeiro disco de mesmo nome na caixa que o boneco está sentado, 7) O maluco de bigode e cartola do Hemispheres novamente, 8) A coruja do Fly by Night e finalmente 9) a mulher do Permanent Waves...Corrija se estiver algo errado...Bjos!!

  • Avatar
    20/10/2011 22:08:11johnnyAnônimo

    nossa, sao albuns maravilhosos, mas ainda preforo o ghost in the machne, do police. sou um mega fã deles

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.