SRZD



Claudio Russo

Claudio Russo

Formação em História pela Uerj e pós em História da África. Há 22 anos compõe sambas-enredo, conseguindo algumas vitórias neste espaço de tempo. Desde 2009, faz sambas para Nenê da Vila Matilde, em São Paulo.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



08/09/2011 11h17

O Sorriso aberto do singelo menestrel
Claudio Russo

Foto: DivulgaçãoEm muitas discussões de samba um assunto que parece do gosto de muitos e por isso tornou-se freqüente gira em torno da pergunta: quem foi o maior? Ou o melhor compositor de sambas de enredo de todos os tempos. Acho até que este primeiro posto deve ser algo próximo a um ponto pacífico, a unanimidade "inteligente" que leva Silas de Oliveira, o poeta da Serrinha a ser considerado algo como um hors concours, mais quem depois dele, é aqui que começam as acaloradas conversas, quem deveria ser citado, quem?

Quero salientar que tal prática faz parte da memória popular, é do costume nacional procurar os melhores em cada área, e não é de meu interesse corroborar com a competição e sim fazer jus e tentar trazer a lembrança algumas figuras esquecidas, porém com obras marcantes, neste texto trago alguém que enquanto Jovelina Pérola Negra cantava: Ai que vontade que eu tinha de ter um carango joinha e morar na Vieira Souto ou em Copacabana... Eu pensava ai que vontade que tenho de conhecer quem escreve assim. Compositor de tantos sucessos, mas tão pouco lembrado, sob a alcunha de Guará, poeta na acepção da palavra e que provavelmente a vertente de sucessos com sambas conhecidos como de meio de ano apagou, se é que possa ser apagada uma história tão brilhante embora tão rápida, a sua passagem iluminada pelos sambas enredos.

Vamos sublimar em poesia a razão do dia a dia pra ganhar o pão... Em 1983 me perdoe a ala discordante não houve melodia mais bonita na Avenida Sapucaí, a comunidade de Cavalcante, orgulhosa de possuir um rol de sambas enredos respeitadíssimo, balançava com o trem 33 (o famoso Japerí) tão retratado no enredo e cantava a pleno pulmões: e chegar lá em Dom Pedro a tempo de bater cartão... Não é mole não... Samba consagrado pelo povo e pela imprensa especializada, premiando a querida Em Cima da Hora, com o Estandarte de ouro de melhor samba do grupo B do carnaval de 1984.

Em 1985 Guará retorna com outro grande samba, outra linda comunhão entre melodia e letra, compondo para os Acadêmicos do Engenho da Rainha no enredo Não existe pecado do lado de baixo do Equador, uma letra moderna, irônica e inteligente, uma verdadeira leitura do cotidiano, algo como uma marca na obra deste mestre da música, é mais uma vez coroado com a premiação do jornal O Globo, um feito sensacional para época e até hoje marcante como nos versos: Que os anjos digam amém aqui tem tudo amor e nada tem, Vem meu Engenho querido mostrar que tristes doutrinas trouxeram pra cá... Retrato de um Brasil gigante pela própria natureza com mãos e pernas atadas pelo fantasma da ditadura.

E o singelo menestrel prosseguiu em sua relação intima com o sucesso, Ganga - Zumba Raiz da liberdade deu todas as condições para aquele menino que assobiava Beethoven e Chopin mais preferia Noel, fazer um samba de beleza incomum e deixar a comunidade do samba no bairro do Engenho da Rainha mais uma vez radiante com tão inspirada composição: Quando o leiloeiro apregoou vai haver uma princesa no leilão não sabia que vendia quem daria luz um dia a raiz da libertação, Liberdade... E a palavra com sabor de mel adoçou os corações carnavalescos naquele ano de 1986, mais um prêmio para o grande poeta, algo até então inimaginável, terceiro estandarte de ouro consecutivo, a glória...

Senhores assim foi Guará, o Guará que não conheci pessoalmente e que deve estar por ai andando...  Andando de violão em bandoleira com saudade da Ribeira, quem sabe escrevendo às estrelas com seu sorriso aberto, o amigo Nivaldo lá de Cavalcanti me contou uma vez durante um ensaio da querida Em Cima da Hora que esta canção surgiu no dia em que Guará foi preso por Foto: Divulgaçãovadiagem e insistia em convencer o policial militar que não era um vagabundo e sim um compositor, o policial descrente vociferou para o poeta: se você é compositor te dou meia hora para compor um samba, pouco tempo passou, Guará chamou o guarda e cantou: É Foi ruim à beça, mais pensei depressa, numa solução para depressão fui ao violão, fiz alguns acordes, mas pela desordem do meu coração não foi mole não, quase que sofri desilusão... E o guarda libertou o poeta, por enquanto só me resta agradecê-lo como também a todos os seus parceiros de música e perguntar, como na canção gravada pelo Almir, o Guineto, Dalila, cadê Guará?


Veja mais sobre:Carnaval 2012

Comentários
  • Avatar
    26/04/2013 19:31:59Sandra MoraesMembro SRZD desde 26/04/2013

    Gará foi amigo do meu marido, na segunda feira tinha lagarto assado, preparada por dona Taizinha, mãe do Caco ( meu companheiro) , em nossas conversas ele fala com alegria de seu grande amigo e dos carnavais, dos grandes sambas compostos por ele e da Bateria do Engenho da Rainha! Meu companheiro é o mestre Caco do Engenho da Rainha, ele está muito feliz por este texto e pelas lembranças que o mesmo lhe trouxe.

  • Avatar
    03/04/2013 11:59:59Marilene LopesMembro SRZD desde 03/04/2013

    grande homenagem ao nosso grande amigo Guará, uma pessoa maravilhosa grande compositor só vivia sorrindo, sinto muitas saudades desse amigo que só vivia na minha casa e o tempo td que te olhava e fazia uma canção pra vc, mais temos certeza que aonde ele está ainda continua compondo seus belos sambas. pois os que ele deixou continua sendo lembrado até hj.

  • Avatar
    01/10/2011 14:05:02brunoMembro SRZD desde 19/09/2011

    sou de uma nova geraçao de compositores , pois tenho 34 anos , fico sempre ligado , nesses grandes mestres que fizeram e fazem historia , nunca tinha ouvido falar do guara , já do silas , quando ouço aquarela parece áté que desfilei na quele ano , viajo na imaginaçao , pura nostalgia , mais gostaria de lembra de outras feras , davi correa , martinho , tuninho professor , gustavo clarao , o proprio claudio russo , esses sao os grandes professores de minha geraçao , alem de ter que fazer sambas belos para as agremiaçoes vcs inspiram novos compositores , como eu !!!!

  • Avatar
    19/09/2011 23:56:40Vinícius Ferreira NatalMembro SRZD desde 13/07/2011

    Bacana essa matéria, trazendo à tona quem realmente faz o samba, o sambista! Parabéns Cláudio!

  • Avatar
    18/09/2011 14:13:07MARCELO ALVESMembro SRZD desde 07/04/2009

    Cláudio, tenho um amigo, Aurélio, que foi diretor do Engenho da Rainha e que conheceu o Guará. O seu texto, de extremo bom gosto, sintetiza tudo o que o meu amigo contou sobre o talentoso e simples Guará que, com certeza, se vivo, estaria nos presenteando com suas belas composições. Um grupo de pagode de Campo Grande cantava: "Guará foi um grande partideiro. Guará foi amigo e companheiro...oh Guará"

  • Avatar
    14/09/2011 15:50:00DesculpemasMembro SRZD desde 07/08/2011

    ...dividir com a gente também Mestra!

  • Avatar
    14/09/2011 15:48:28ClaudioMembro SRZD desde 04/06/2011

    Amiga Rachel cresci ouvindo Jovelina e a obra de Guará e muito do que aprendi deste grande autor vem da historia oral com as narrativas dos amigos de cavalcante e da Em Cima da Hora, principalmente o Nivaldo e o Ivan grandes pessoas, mas acho que trocando informações com você tenho uma grande oportunidade de aprendizado, me sinto orgulhoso de fazer parte deste time de profissionais e gostaria que soubesse que desde a graduação na Uerj eu aprendo muito com sua ideias, grande abraço e muito obrigado pelas palavras, Claudio Russo.

  • Avatar
    14/09/2011 00:09:32Rachel Teixeira ValençaMembro SRZD desde 05/05/2011

    Colega Claudio Russo: Não o conheço ainda, mas fiquei muito feliz ao ler seu texto. Convivi com a Jovelina no Império Serrano e a admirava muito. Por isso me tornei fã do Guará, um compositor excepcional que mal teve tempo de mostrar seu talento enorme. Não sei muita coisa sobre ele. Sambas de enredo só conheço quatro dele e meu predileto é Ganga Zumba, raiz da liberdade, que considero uma obra-prima. Será que compôs mais? Existe uma relação de suas composições? Existe uma biografia? Se tiver mais informações, divida comigo, por favor. Ficarei muito grata. E parabéns pelo que escreve aqui, com conhecimento de causa e criatividade.

  • Avatar
    08/09/2011 20:50:55DesculpemasMembro SRZD desde 07/08/2011

    ...bela aula e bela homenagem!!!

  • Avatar
    08/09/2011 14:05:48Claudino MarquesMembro SRZD desde 07/07/2011

    Grande Cunanins, vç está com um quente e dois fervendo. Grande Texto, um abraço Marques

Comentar