SRZD


31/08/2007 19h00

Eles já passaram por aqui
Alexandre Abreu

"Nenhum homem é suficientemente rico para comprar o seu passado." (Oscar Wilde)

Partindo da frase de Oscar Wilde, vejamos alguns dos jogadores, atletas e treinadores que passaram pelas divisões intermediárias do Rio de Janeiro e fazem sucesso ou buscam seu espaço no futebol internacional.

1- Os treinadores Renê Simões (ex-Mesquita),Vanderlei Luxemburgo (ex-Campo Grande e Friburguense) e Jovar Viera, que começou na Portuguesa da Ilha, são nomes cotados para assumir a seleção iraniana, de acordo com a imprensa local.

2 - Fabio Costa, oriundo do Guanabara, vai dando o seu recado no Mamelodi Sundowns FC da África do Sul, agremiação que gosta de ser vista como simpática no futebol da terra de Nelson Mandela.

3 - Fernando Santos saiu do Artsul Futebol Clube para ser um dos três brasileiros do MSV Duisburg, clube que já foi vice-campeão em três oportunidades da Copa da Alemanha

4 - Everton Cândido, cria do Guanabara, é mais um brasileiro tentando a sorte no exterior. O Rotemburger SV da Alemanha foi seu destino. O clube não segue os passos da cidade, que é uma capital, e não consegue fincar o seu espaço no futebol local.

5 - O Hansa Rostock, que foi uma potência nos tempos da extinta Alemanha Oriental, abriga um jogador que já foi do Villa Rio. Diego é o seu nome.

6 -O dinheiro do petróleo fez com que Anderson trocasse o Olaria pelo futebol angolano, onde foi para defender as cores do Petro Atlético para os íntimos, ou Atlético Petróleos Luanda para os mais formais.

7 - O mar aparece sempre na vida de Cleberson, que largou a Cabofriense para tentar a sorte na Nova Zelândia, na cidade de Wellington, terra natal do ator Russell Crowe.

8 - Daniel Cortes trocou o Madureira pelo Wellington Phoenix FC, que disputa a liga da Oceania. O jogador teve seu nome escolhido através de uma lista com 250 opções dadas pelo público. O clube entra na A-League, campeonato entre clubes Austrália e Nova Zelândia.

10 - Wilson deixou o Bonsucesso Futebol Clube para defender o Bahrain Riffa que é o clube mais vitorioso daquele que é o menor país do mundo árabe.

11- Rafael Pereira saiu do Villa Rio e viu como o futebol aproxima os povos. O atleta atua pelo Modrica-Maxima, que disputa a liga da Bósnia, apesar de ser uma agremiação sérvia.

12 - Irineu Ricardo, que trocou a Rua Bariri para tentar a sorte no Jeju United, um dos clubes fundadores da liga sul-coreana.

13 - Alexandre de Souza saiu da Portuguesa da Ilha para ir para a Liga Deportiva de Loja, quarto colocado do último campeonato equatoriano.

14 - La Berrichonne de Chateauroux, vice-campeão da Copa da França em 2004, acolhe em seus quadros o brasileiro Thiago Xavier, que tem passagem pela Cabofriense.

15 - Edmilson Pardal foi o único brasileiro a se transferir para o futebol indiano em 2007. A seleção da Índia chegou a se classificar para a Copa de 1950, mas a obrigatoriedade do uso de chuteiras fez com que eles desistissem da participar.

16 - Schwenck, revelado pelo Nova Iguaçu e com passagens marcantes pelo Botafogo e Figueirense, virou um nômade do futebol. Em um ano já são três cenários muitos distintos entre si: do Figueira ele foi para Beitar Jerusalém, em Israel, e da Terra Santa ele foi para o Pohang Steelers, da Coréia do Sul.

17 - Thiago da Rocha deixa o Olaria para tentar ajudar o Pol. Sinnai Calcio a ser alguém no futebol italiano.

18 - Felipe Monteiro Diogo surgiu na fornada do Campo Grande Atlético Clube para ir para a Udinese, clube tradicional e sólido do futebol italiano, que abrigou gente do quilate de Amoroso, Zico e Edinho.

19 - Leandro Teixeira Dantas, filho de Itaguaí, trocou o América Foot-Ball Club pelo ex-clube de Joel Santana e Thiago Neves: o Vegalta Sendai, da segunda divisão japonesa.

20 - Márcio Jarro trocou a Baixada Fluminense, onde jogava pelo Miguel Couto (Nova Iguaçu) para a zona portuária do Vietnã, Odanang.

21 - O sueco Kalmar foi o destino de Thiago de Oliveira Santos, que no Brasil estava no Villa Rio Esporte Clube.

22 - O Alania Vladkavkaz, que foi rebaixado em 2006 por irregularidades jurídicas, abriga três jogadores brasileiros cujos direitos federativos pertenciam ao Villa Rio. São eles: Bruno Reis, Alan Kardek e Ricardo Gomes.

23 - Elinton Andrade deixou o Duque de Caxias para um dos clubes mais tradicionais do futebol romeno, o Rapid Bucarest.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.