SRZD



Hélio Rodrigues

Hélio Rodrigues



* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.LUTAS. Jornalista, foi repórter de MMA do portal SRZD. Já cobriu diversos UFCs, além de importantes eventos do cenário nacional, como o Shooto e o Bitetti Combat.



04/02/2015 18h20

Doping é decepção para quem era referência no MMA
Hélio Rodrigues

O doping de Anderson Silva e Nick Diaz cai como uma luva para aqueles que são ferrenhos críticos do Mixed Martial Arts. Ora, como o principal lutador brasileiro dá um exemplo desses para a garotada que passou a amar o esporte devido a nomes como o dele, de Wanderlei Silva, Vitor Belfort e de Minotauro?

A decepção existe e vai ao encontro da prepotência que o Aranha mostrou durante muitos anos no UFC. Não que seja, mas o uso de metabólitos de drostanolona e androsterona tira boa parte do mérito da vitória dele contra Nick Diaz.

Diaz, por sua vez, não deixa por menos. É a terceira vez que é pego no exame antidoping.

A afirmação de que "ninguém está puro", dada por alguns lutadores do Ultimate após o teste de Anderson e Diaz dar positivo, somada aos recentes dopings de lutadores como Jon Jones e Chael Sonnen, nunca fez tanto sentido.


2 Comentários | Clique aqui para comentar

28/01/2015 05h30

A volta de Anderson Silva
Hélio Rodrigues

A publicidade em torno da volta de Anderson Silva aos octógonos - após um ano e um mês em recuperação após ter quebrado a tíbia - tem rendido bons lucros ao UFC. O brasileiro, que enfrenta o americano Nick Diaz, no próximo sábado, no MGM Grand Garden Arena, foi e é tratado como estrela de cinema pelos americanos, que souberam bem explorar a imagem do ex-detentor do cinturão dos médios. Silva gravou vídeos, deu entrevistas, estrelou cartazes... Além disso, a luta entre o brasileiro - de quem não sou fã - e o anfitrião promete, até sábado, excelentes números em relação à venda de pay per view e possíveis novos patrocínios que venham a surgir em caráter de exceção.

A luta de sábado será um recomeço. Para ele e para Diaz, que retorna após uma rápida aposentadoria. É a chance dos dois tentarem se readaptar ao octógono e à dinâmica das artes marciais mistas.

O evento em si não traz grandes nomes do UFC. Mas promete ser agitado. Pelo que gira em torno do Spider. E pelos lutadores menos conhecidos, que, se for preciso, darão sangue para mostrar quem são.



28/01/2015 00h16

Jon Jones e os problemas...
Hélio Rodrigues

A vida de uma estrela não são só flashes, capas de revista e dinheiro. Os famosos e os ricos também têm os próprios problemas. Problemas que vão de simples a sérios. Como qualquer pessoa. Afinal, dinheiro e poder não fazem ninguém melhor que ninguém. Não defenderei Jon Jones pelo uso de cocaína. Não o julgarei, no entanto.

O lutador em que apostava todas as minhas fichas para ser o melhor de todos os tempos errou. Como qualquer um pode errar. Teria que pagar por isso. Perder o cinturão interinamente do Ultimate e se dedicar a um tratamento - mesmo que o uso da droga estivesse sob o "controle" do americano.

Seria uma grande jogada de marketing explorar o problema de Bones. Tirar-lhe o cinturão, fazê-lo se tratar e voltar, em um grande espetáculo. Título provável: "A Volta por cima do campeão".

Mas Dana White resolveu deixá-lo lá, apoiá-lo - não deveria nem poderia ser diferente. É um excelente garoto propaganda, afinal, mesmo com a confusão causada com Daniel Cormier, a consequente perda de patrocínio da Nike e o doping. Bones, aliás, é patrocinado pela Reebok, principal parceira comercial do UFC. Se ela disse para mantê-lo, tá dito.

Ainda assim, a exposição do lutador e o não afastamento do mesmo pode ser negativo e, em vez de melhorar as coisas, piorá-las.



06/01/2015 00h24

Jones fatura premiação 5,5 vezes maior que Cormier
Hélio Rodrigues

Jon Jones está sorrindo até agora. Além da vitória contra o desafeto Daniel Cormier e a manutenção do cinturão dos meio-pesados do UFC, o campeão faturou cerca de 500 mil dólares. O valor é cerca de cinco vezes e meia a premiação recebida pelo desafiante.

As premiações são pagas proporcionalmente considerando venda de pay per view, patrocínios e ingressos para os eventos.

Confira abaixo quanto cada lutador faturou no UFC 182:

Card principal

Jon Jones US$ 500,000 / Daniel Cormier - US$ 90,000
Donald Cerrone (US$ 70,000 + US$ 70,000 = US$ 140,000) / Myles Jury (US$ 16,000)
Brad Tavares (US$ 25,000 + US$ 25,000 = US$ 50,000) / Nate Marquardt (US$ 49,000)
Kyoji Horiguchi (US$ 20,000 + US$ S$ 20,000 = US$ 40,000) / Louis Gaudinot (US$ 10,000)
Hector Lombard (US$ 53,000 + US$ 53,000 = US$ 106,000) / Josh Burkman (US$ 45,000)

Card preliminar

Paul Felder (US$ 10,000 + US$ 10,000 = US$ S$ 20,000) / Danny Castillo (US$ 36,000)
Cody Garbrandt (US$ 8,000 + US$ 8,000 = US$ 16,000) / Marcus Brimage (US$ S$ 12,000)
Shawn Jordan (US$ 22,000 + US$ 22,000 = US$ 44,000) / Jared Cannonier (US$ 8,000)
Evan Dunham (US$ 27,000 + US$ 27,000 = US$ 54,000) / Rodrigo Damm (US$ 12,000
Omari Akhmedov (US$ 10,000 + US$ 10,000 = US$ 20,000) / Mats Nilsson (US$ 8,000)
Marion Reneau (US$ 8,000 + US$ 8,000 + US$ 1,600 = US$ 17,600)* / Alexis Dufresne (US$ 6,400)*

*Reneau teve de doar 20% da bolsa a Dusfrane por não atingir o peso para o duelo entre ambos.



05/01/2015 23h55

Quem destronará Jon Jones?
Hélio Rodrigues

A luta entre Jon Jones e Damiel Cormier prometia. E, de certa forma, cumpriu aquilo que se esperava dela: equilíbrio. O desafiante bem que tentou, mas esbarrou na força do campeão, que, superior durante quatro rounds, manteve o cinturão dos meios-pesados do UFC.

A vitória do último sábado, por decisão unânime dos árbitros (49 a 46), atestou a hegemonia do campeão. Apesar de não ser mais o mesmo e até lutar de maneira burocrática, Bones prova que o estilo dele é único. Foi a 12ª defesa de título.

Para tirar o cinturão do norte-americano, será preciso muito. E apostaria em Alexander Gustafsson para isso.  



30/12/2014 23h19

Calendário UFC 2015
Hélio Rodrigues

Está chegando o Ano Novo. E os fãs de luta devem esperar uma temporada repleta de eventos do UFC. A organização anunciou, em novembro, que 2015 terá 45 eventos, sendo sete deles para o Brasil. Confira abaixo: 

Calendário UFC 2015 (Foto: Reprodução / Twitter)



30/12/2014 23h14

Renan Barão e Lyoto Machida
Hélio Rodrigues

Renan Barão e Lyoto Machida passarão o Ano Novo mais tranquilos. Os dois tiveram atuação segura e derrotaram, respectivamente, Mitch Gagnon e CB Dollaway no último sábado, pelo UFC Fight Night: Machida vs. Dollaway. Enquanto Barão finalizou o oponente com um triângulo de braço, Machida relembrou os velhos tempos e nocauteou o rival ainda no primeiro round após uma sequência de golpes.

Os dois agora precisam seguir a boa atuação nas próximas lutas para rumarem novamente à disputa de cinturão.

Outros destaques do evento - e que também passarão a virada de ano sorrindoà toa - Erick Silva e Daniel Sarafian que derrotaram Mike Rhodes e Antônio dos Santos Jr.



22/12/2014 22h20

Glover x Evans: ingressos esgotados a menos de dois meses do duelo
Hélio Rodrigues

Glover Teixeira e Rashd Evans só se enfrentam em 22 de fevereiro de 2015. Contudo, o duelo entre os lutadores já atiçou a ansiedade dos fãs. Os ingressos para duelo, que acontecerá em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul já estão esgotados.

A luta será a oportunidade de Glover se recuperar no UFC. Isso porque o brasileiro vem de duas derrotas no Ultimate: para Jon Jones e Phil Davis, respectivamente. Por outro lado, Evans vem de duas vitórias, diante de Dan Henderson e Chael Sonnen.



15/12/2014 00h02

Análise dos brasileiros no UFC: Cigano x Miocic
Hélio Rodrigues

Junior Cigano dos Santos e Rafael dos Anjos representaram bem o Brasil na noite do último sábado, pelo UFC: Cigano x Miocic. Em um evento repleto de lutas femininas, os dois brasileiros derrotaram, respectivamente, Nate Diaz (polêmico irmão do não menos polêmico Nick Diaz) e Stipe Miocic.

Rafael dos Anjos castigou Nate Diaz. Com uma atuação praticamente impecável, o brasileiro foi superior durante os três rounds de luta e venceu por decisão unânime dos árbitros.

Já Junior Cigano teve uma parada dura diante do americano Stepe Miocic que acabou sendo reconhecida como Luta da Noite. Num épico duelo, o tupiniquim, que estava há 14 meses sem lutar, sofreu durante cinco rounds e ficou irreconhecível no pós-luta. Mas venceu, por decisão unânime.

A decepção da noite foi a derrota de Gabriel Napão para Matt Mitrione em apenas dois minutos de embate.



10/12/2014 22h48

Eis o novo campeão, Robbie Lawler
Hélio Rodrigues

Os meio-médios do UFC têm novo campeão. Robbie Lawler surpreendeu e venceu Johny Hendricks em uma luta bastante parelha no último sábado, pelo UFC 181.

Robbie Lawler. Foto: Divulgação

O agora ex-campeão, por sua vez, só ficou uma luta com o cinturão em posse de si...

Confesso que, se tivesse apostado, perderia. Apontava Johny Hendricks como total favorito para essa luta, embora Lawler tivesse demonstrado suas credenciais no primeiro duelo entre ambos. Neste último duelo também o fez e foi para cima desde o primeiro momento. A disposição física surpreendia - até o segundo e terceiro rounds, quando ele começou a dar mostras de cansaço.

Hendricks tentou combinar golpes e mesclar a luta em pé com wrestling e jiu-jítsu. Mas não foi suficiente.

Os juízes consideraram Lawler mais eficaz no que se propôs a fazer e deram a vitória a ele por 2 a 1 (48-47, 47-48 e 49-46).



20/11/2014 22h37

Werdum e o título interino sem brilho nos pesados
Hélio Rodrigues

Um campeão sem brilho. Fabricio Werdum ganhou Mark Hunt por nocaute técnico. Mas deixou a desejar durante a luta do último sábado, que rendeu a ele o título interino dos pesos pesados do UFC.

Podia ter feito mais, embora o que fez tenha sido suficiente. Só não poderá ter os mesmos erros contra Cain Velásquez. Serão mortais caso se repitam.

Werdum é competente. Aposto nele, independentemente de qualquer tipo de falha no octógono. Aposto que será o próximo campeão dos pesados. Afinal, ele foi o cara que destronou o reinado de 10 anos de Fedor Emelianenko no Pride.



10/11/2014 23h44

Shogun decadente
Hélio Rodrigues

Shogun deve pensar em, aos poucos, ir se retirando do MMA. Após 12 anos como lutador profissional e com uma história brilhante, o brasileiro já está na curva descendente da carreira há muito tempo. E a luta contra Ovince St. Preux veio para atestar isso. Trinta e quatro segundos de tentativas vãs e derrota vergonhosa diante dos fãs compatriotas.

Apesar de ter protagonizado uma luta épica contra Dan Henderson, Shogun já não é mais o mesmo desde que perdeu o cinturão dos meio-pesados do Ultimate para Jon Jones... Ou perdeu a confiança ou já sente os reflexos de mais de uma década dedicada ao MMA.



27/10/2014 00h03

Caipira de aço!
Hélio Rodrigues

Fábio Maldonado é do tipo guerreiro. Raçudo. Que, se não é tão habilidoso, usa a força dos gritos da torcida para vencer. Pode não convencer. Mas tem coração. Na luta contra o holandês Hans Stringer, pelo UFC 179, realizado no Maracanãzinho, mostrou isso.

O brasileiro começou mal. Foi jogado para baixo. Não é especialista ali. E sabe disso. Viu o adversário impor o ritmo de luta. Bater. E controlar. Perdeu o primeiro round claramente.

Mas, percebendo que as coisas não iam bem, Maldonado percebeu que necessitava mudar a postura. Estudar melhor o rival. Encaixar a distância. E conseguiu. Colocou sua estratégia de trocação a jogo. E foi para cima. Manteve-se assim até ser derrubado. Mas Stringer não foi tão bem nessa investida. Maldonado caiu por cima e desferiu uma série de golpes que fizeram o árbitro interromper o combate.

Raça. Vitória na raça. E até Anderson Silva, que estava na plateia, como mero espectador, subiu ao cage para cumprimentar o amigo.

Boa, Caipira de Aço!

 



26/10/2014 23h56

O rei dos pena
Hélio Rodrigues

Chad Mendes veio, inegavelmente, mais preparado que no primeiro duelo contra José Aldo para o UFC 179, no último sábado. Foi agressivo. Tentou a trocação franca - de igual para igual - com o brasileiro. Por alguns momentos até assustou o público presente no Maracanãzinho. Mas, mesmo apesar do equilíbrio, viu suas investidas pararem em contra-ataques fulminantes, que lhe tiraram o ímpeto e, após cinco rounds bem disputados e a decisão unânime, o fizeram perceber que o título dos pesos pena só pode ter um dono: José Aldo.



25/10/2014 16h43

Aldo x Mendes
Hélio Rodrigues

José Aldo e Chad Mendes se enfrentam logo mais, pelo UFC 179, no Maracanãzinho, a partir das 21h deste sábado. O duelo marca a disputa do cinturão dos pesos pena do Ultimate. E é uma revanche para o americano, nocauteado em janeiro de 2012 pelo brasileiro. Provocações à parte, a luta principal no octógono promete.

O evento terá, ao todo, 11 lutas, sendo cinco no card principal e seis no preliminar. Os destaques são o duelo entre Glover Teixeira e Phil Davis, que vêm de derrotas, e Felipe Sertanejo e Andre Fill.

Confira o card completo abaixo: 

 CARD PRINCIPAL

José Aldo x Chad Mendes
Glover Teixeira x Phil Davis
Fábio Maldonado x Hans Stringer
Darren Elkins x Lucas Mineiro
Diego Ferreira x Beneil Dariush

CARD PRELIMINAR
William Patolino x Neil Magny
Yan Cabral x Naoyuki Kotani
Wilson Reis x Scott Jorgensen
Felipe Sertanejo x Andre Fili
Gilbert Durinho x Christos Giagos
Fabrício Morango x Tony Martin