SRZD



Hélio Rodrigues

Hélio Rodrigues

LUTAS. Jornalista, foi repórter de MMA do portal SRZD. Já cobriu diversos UFCs, além de importantes eventos do cenário nacional, como o Shooto e o Bitetti Combat.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



24/05/2015 01h32

Ainda campeão dos meio-pesados: Cormier finaliza Johnson no UFC
Hélio Rodrigues

No contexto geral, foi uma luta amarrada. Mas Daniel Cormier mostrou por que era o campeão dos meio-pesados do Ultimate, e manteve o título ao finalizar, neste domingo, o desafiante Anthony Rumble Johnson, pelo UFC 187.

O duelo começou com Anthony Johnson partindo para a trocação. Cormier, porém, queria a luta agarrada: o Wrestling é especialidade dele. Em determinado momento, Cormier colocou Johnson contra a grade,o mantendo ali praticamente até o fim do round. Em minha opinião, ganhou por 10 a 9, devido ao maior controle contra o rival em maior parte do tempo.

No segundo round, a estratégia se repetiu, e Cormier mais uma vez amarrou o combate. Tentou a finalização em alguns momentos, com uma kimura, mas não conseguiu executá-la com a perfeição necessária para que o rival batesse. Vaias foram ouvidas. E, na conclusão do período, Rumble estava duramente castigado.

No terceiro round, Anthony Johnson estava decidido a mudar o rumo da luta. Já cansado, ele foi para cima e tentou, com socos, desnortear o oponente. Mas escorregou, foi pra baixo. Era o que cormier queria para amarrar a luta. O campeão foi para as costas de Rumble e conseguiu o estrangulamento.



24/05/2015 00h53

Weidman vence Belfort e se mantém como detentor do cinturão dos médios do UFC
Hélio Rodrigues

Tudo foi resolvido no primeiro round. Chris Weidman continua como campeão dos pesos médios do UFC. Nesta madrugada de domingo, o americano venceu Vitor Belfort por nocaute técnico no co-main event do UFC 187 e pediu o fim das críticas à capacidade dele dentro do Ultimate.

A luta, esperada desde o ano passado pelos fãs de MMA, começou com estudo dos dois lutadores. O primeiro a tentar alguma coisa foi Chris Weidman, que arriscou um chute alto. O campeão dominava o centro do octógono, enquanto Belfort tentava encontrar a distância correta para golpear.

Em seguida, Weidman tentou derrubar o rival, que contragolpeou e iniciou uma sequência de socos e uppercuts que abriram um corte no supercílio do americano. Na trocação franca, Belfort parecia irrepreensível. A maioria dos golpes dele entravam.

Weidman resistiu bravamente, porém. E, pondo uma estratégia prevista para o duelo, colocou Belfort para baixo, pondo em jogo o jiu-jítsu atestado pelo recebimento, recentemente, da faixa preta por Renzo Gracie. O desafiante estava claramente atordoado, especialmente com os potentes golpes de cima para baixo de Weidman, que entravam e, aos poucos, minavam o Fenômeno.

Dito e feito. Depois de incontáveis socos de cima para baixo, Herb Dean, o árbitro da luta, interrompeu o combate, declarando Chris Weidman como vencedor e ainda detentor do cinturão dos médios do Ultimate.

Esta foi a segunda defesa de cinturão de Weidman e a terceira vitória seguida sobre um brasileiro: o primeiro a ser derrotado foi Anderson Silva, duas vezes; depois, Lyoto Machida sucumbiu; e agora, Vitor Belfort.

Jacaré pode ser o próximo desafiante. É bom que ele tenha cuidado e não subestime, de nenhuma maneira, o americano.

Leia também

- Ainda campeão dos meio-pesados: Cormier finaliza Johnson no UFC


1 Comentários | Clique aqui para comentar

15/05/2015 21h42

A luta do século
Hélio Rodrigues

O boxe continua vivo, apesar do crescimento impressionante do MMA na última década. A luta entre Floyd Mayweather e Manny Pacquiao foi assistida por milhões de pessoas ao redor do mundo e gerou uma receita de US$ 400 milhões de dólares. Houve ainda uma audiência online traduzida em 115 milhões de postagens sobre o duelo, programado desde 2009.

Mayweather venceu, polemicamente, já que durante os 12 rounds, equilíbrio foi o que resumiu a luta. Contudo, os árbitros não viram assim, e deram a vitória, por unanimidade, ao americano, que agora acumula 47 vitórias na carreira; nenhuma derrota.



06/05/2015 22h01

UFC 186: Johnson campeão e retorno difícil para Rampage
Hélio Rodrigues

Seis defesas de cinturão e Demetrious Johnson continua sendo o campeão dos moscas do UFC. Foi por pouco, mas o americano conseguiu vencer a luta no último segundo ao finalizar o japonês Kyoji Horiguchi com uma chave de braço, pelo UFC 186.  

Outro destaque foi o retorno de Quinton Rampage Jackson ao Ultimate após dois anos fora. Em eletrizante combate contra o guerreiro Fabio Maldonado, o americano tentou de todas as formas o nocaute. Mas qualquer um que lutar contra o brasileiro terá que bater muito mais que o necessário para vencê-lo. No fim das contas, superior em todo o duelo, Rampage venceu por decisão unânime dos jurados.

Veja outros resultados

  • Rampage Jackson venceu Fábio Maldonado por decisão unânime
  • Michael Bisping venceu C.B. Dollaway por decisão unânime
  • John Makdessi venceu Shane Campbell por nocaute técnico
  • Thomas Almeida venceu Yves Jabouin por nocaute técnico
  • Patrick Cote venceu Joe Riggs por decisão unânime
  • Alexis Davis vence Sarah Kaufman por finalização
  • Chad Laprise venceu Bryan Barberena decisão unânime
  • Olivier Aubin-Mercier venceu David Michaud por finalização
  • Nordine Taleb venceu Chris Clements por decisão unânime
  • Valerie Letourneau venceu Jessica Rakoczy por decisão unânime
  • Randa Markos venceu Aisling Daly por decisão unânime



12/04/2015 00h12

Conor e Aldo: originalidade e destemperamento
Hélio Rodrigues

Conor McGregor e José Aldo têm promovido muito bem a luta entre os dois, que acontecerá dia 11 de julho. Confesso que as provocações do irlandês mostram que ele está disposto a aparecer, tal qual fez Chael Sonnen na época que estava promovendo o duelo contra Anderson Silva.

Cabe à equipe de José Aldo, porém, trabalhar, além da parte técnica, a psicológica. As provocações e gracinhas de McGregor mostram já surtir efeito no brasileiro, que cada vez mais mostra irritação com isso.

Não é bom ter raiva, apesar da real dificuldade em evitá-la em momentos como os protagonizados pelos dois no último 31 de março, quando o irlandês, numa coletiva, roubou o cinturão do brasileiro. Qual será a próxima peripécia?

Antes de mais nada, deve-se haver concentração, em prol de uma boa performance de Aldo no octógono. Cair no jogo de provocações não é a melhor opção - nem nunca será.

Recentemente, a lenda Royce Gracie criticou duramente o desafiante ao cinturão dos penas, afirmando que o irlandês "estava abusando". Na verdade, ele só quer garantir mais dinheiro na bolsa - e mais fama.

 



23/03/2015 20h00

O surpreendente Rafael dos Anjos
Hélio Rodrigues

Rafael dos Anjos não é tão conhecido como José Aldo, Anderson Silva ou Junior Cigano aqui no Brasil. Contudo, o mais novo campeão dos leves do UFC é atualmente o principal nome do MMA brasileiro dentro do Ultimate.

Apostei que Dos Anjos tinha alguma chance contra Anthony Pettis. Porém, confesso que a vitória com superioridade esmagadora sobre o americano surpreendeu. Não pela capacidade acima da média demonstrada por ele durante cinco rounds - caminhando sempre pra frente e procurando combate a todo o tempo. Mas porque, inegavelmente, ninguém esperava que o até então detentor do cinturão demonstrasse abatimento tal que o deixaria irreconhecível contra o brasileiro, sobretudo após o derrotado vir de quatro excelentes vitórias no Ultimate.

"Não imaginava que ninguém pudesse dominar Anthony Pettis e acho que ninguém aqui imaginaria isso. Rafael surpreendeu a todos quando nocauteou Ben Henderson. Depois atropelou Nate Diaz. E hoje dominou Anthony Pettis de todos os jeitos possíveis. O que ele fez hoje foi inacreditável", disse Dana White.

Rafael dos Anjos está em alta com o chefe. Aguardemos pelos próximos desafios.


1 Comentários | Clique aqui para comentar

04/02/2015 18h20

Doping é decepção para quem era referência no MMA
Hélio Rodrigues

O doping de Anderson Silva e Nick Diaz cai como uma luva para aqueles que são ferrenhos críticos do Mixed Martial Arts. Ora, como o principal lutador brasileiro dá um exemplo desses para a garotada que passou a amar o esporte devido a nomes como o dele, de Wanderlei Silva, Vitor Belfort e de Minotauro?

A decepção existe e vai ao encontro da prepotência que o Aranha mostrou durante muitos anos no UFC. Não que seja, mas o uso de metabólitos de drostanolona e androsterona tira boa parte do mérito da vitória dele contra Nick Diaz.

Diaz, por sua vez, não deixa por menos. É a terceira vez que é pego no exame antidoping.

A afirmação de que "ninguém está puro", dada por alguns lutadores do Ultimate após o teste de Anderson e Diaz dar positivo, somada aos recentes dopings de lutadores como Jon Jones e Chael Sonnen, nunca fez tanto sentido.


2 Comentários | Clique aqui para comentar

28/01/2015 05h30

A volta de Anderson Silva
Hélio Rodrigues

A publicidade em torno da volta de Anderson Silva aos octógonos - após um ano e um mês em recuperação após ter quebrado a tíbia - tem rendido bons lucros ao UFC. O brasileiro, que enfrenta o americano Nick Diaz, no próximo sábado, no MGM Grand Garden Arena, foi e é tratado como estrela de cinema pelos americanos, que souberam bem explorar a imagem do ex-detentor do cinturão dos médios. Silva gravou vídeos, deu entrevistas, estrelou cartazes... Além disso, a luta entre o brasileiro - de quem não sou fã - e o anfitrião promete, até sábado, excelentes números em relação à venda de pay per view e possíveis novos patrocínios que venham a surgir em caráter de exceção.

A luta de sábado será um recomeço. Para ele e para Diaz, que retorna após uma rápida aposentadoria. É a chance dos dois tentarem se readaptar ao octógono e à dinâmica das artes marciais mistas.

O evento em si não traz grandes nomes do UFC. Mas promete ser agitado. Pelo que gira em torno do Spider. E pelos lutadores menos conhecidos, que, se for preciso, darão sangue para mostrar quem são.



28/01/2015 00h16

Jon Jones e os problemas...
Hélio Rodrigues

A vida de uma estrela não são só flashes, capas de revista e dinheiro. Os famosos e os ricos também têm os próprios problemas. Problemas que vão de simples a sérios. Como qualquer pessoa. Afinal, dinheiro e poder não fazem ninguém melhor que ninguém. Não defenderei Jon Jones pelo uso de cocaína. Não o julgarei, no entanto.

O lutador em que apostava todas as minhas fichas para ser o melhor de todos os tempos errou. Como qualquer um pode errar. Teria que pagar por isso. Perder o cinturão interinamente do Ultimate e se dedicar a um tratamento - mesmo que o uso da droga estivesse sob o "controle" do americano.

Seria uma grande jogada de marketing explorar o problema de Bones. Tirar-lhe o cinturão, fazê-lo se tratar e voltar, em um grande espetáculo. Título provável: "A Volta por cima do campeão".

Mas Dana White resolveu deixá-lo lá, apoiá-lo - não deveria nem poderia ser diferente. É um excelente garoto propaganda, afinal, mesmo com a confusão causada com Daniel Cormier, a consequente perda de patrocínio da Nike e o doping. Bones, aliás, é patrocinado pela Reebok, principal parceira comercial do UFC. Se ela disse para mantê-lo, tá dito.

Ainda assim, a exposição do lutador e o não afastamento do mesmo pode ser negativo e, em vez de melhorar as coisas, piorá-las.



06/01/2015 00h24

Jones fatura premiação 5,5 vezes maior que Cormier
Hélio Rodrigues

Jon Jones está sorrindo até agora. Além da vitória contra o desafeto Daniel Cormier e a manutenção do cinturão dos meio-pesados do UFC, o campeão faturou cerca de 500 mil dólares. O valor é cerca de cinco vezes e meia a premiação recebida pelo desafiante.

As premiações são pagas proporcionalmente considerando venda de pay per view, patrocínios e ingressos para os eventos.

Confira abaixo quanto cada lutador faturou no UFC 182:

Card principal

Jon Jones US$ 500,000 / Daniel Cormier - US$ 90,000
Donald Cerrone (US$ 70,000 + US$ 70,000 = US$ 140,000) / Myles Jury (US$ 16,000)
Brad Tavares (US$ 25,000 + US$ 25,000 = US$ 50,000) / Nate Marquardt (US$ 49,000)
Kyoji Horiguchi (US$ 20,000 + US$ S$ 20,000 = US$ 40,000) / Louis Gaudinot (US$ 10,000)
Hector Lombard (US$ 53,000 + US$ 53,000 = US$ 106,000) / Josh Burkman (US$ 45,000)

Card preliminar

Paul Felder (US$ 10,000 + US$ 10,000 = US$ S$ 20,000) / Danny Castillo (US$ 36,000)
Cody Garbrandt (US$ 8,000 + US$ 8,000 = US$ 16,000) / Marcus Brimage (US$ S$ 12,000)
Shawn Jordan (US$ 22,000 + US$ 22,000 = US$ 44,000) / Jared Cannonier (US$ 8,000)
Evan Dunham (US$ 27,000 + US$ 27,000 = US$ 54,000) / Rodrigo Damm (US$ 12,000
Omari Akhmedov (US$ 10,000 + US$ 10,000 = US$ 20,000) / Mats Nilsson (US$ 8,000)
Marion Reneau (US$ 8,000 + US$ 8,000 + US$ 1,600 = US$ 17,600)* / Alexis Dufresne (US$ 6,400)*

*Reneau teve de doar 20% da bolsa a Dusfrane por não atingir o peso para o duelo entre ambos.



05/01/2015 23h55

Quem destronará Jon Jones?
Hélio Rodrigues

A luta entre Jon Jones e Damiel Cormier prometia. E, de certa forma, cumpriu aquilo que se esperava dela: equilíbrio. O desafiante bem que tentou, mas esbarrou na força do campeão, que, superior durante quatro rounds, manteve o cinturão dos meios-pesados do UFC.

A vitória do último sábado, por decisão unânime dos árbitros (49 a 46), atestou a hegemonia do campeão. Apesar de não ser mais o mesmo e até lutar de maneira burocrática, Bones prova que o estilo dele é único. Foi a 12ª defesa de título.

Para tirar o cinturão do norte-americano, será preciso muito. E apostaria em Alexander Gustafsson para isso.  



30/12/2014 23h19

Calendário UFC 2015
Hélio Rodrigues

Está chegando o Ano Novo. E os fãs de luta devem esperar uma temporada repleta de eventos do UFC. A organização anunciou, em novembro, que 2015 terá 45 eventos, sendo sete deles para o Brasil. Confira abaixo: 

Calendário UFC 2015 (Foto: Reprodução / Twitter)



30/12/2014 23h14

Renan Barão e Lyoto Machida
Hélio Rodrigues

Renan Barão e Lyoto Machida passarão o Ano Novo mais tranquilos. Os dois tiveram atuação segura e derrotaram, respectivamente, Mitch Gagnon e CB Dollaway no último sábado, pelo UFC Fight Night: Machida vs. Dollaway. Enquanto Barão finalizou o oponente com um triângulo de braço, Machida relembrou os velhos tempos e nocauteou o rival ainda no primeiro round após uma sequência de golpes.

Os dois agora precisam seguir a boa atuação nas próximas lutas para rumarem novamente à disputa de cinturão.

Outros destaques do evento - e que também passarão a virada de ano sorrindoà toa - Erick Silva e Daniel Sarafian que derrotaram Mike Rhodes e Antônio dos Santos Jr.



22/12/2014 22h20

Glover x Evans: ingressos esgotados a menos de dois meses do duelo
Hélio Rodrigues

Glover Teixeira e Rashd Evans só se enfrentam em 22 de fevereiro de 2015. Contudo, o duelo entre os lutadores já atiçou a ansiedade dos fãs. Os ingressos para duelo, que acontecerá em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul já estão esgotados.

A luta será a oportunidade de Glover se recuperar no UFC. Isso porque o brasileiro vem de duas derrotas no Ultimate: para Jon Jones e Phil Davis, respectivamente. Por outro lado, Evans vem de duas vitórias, diante de Dan Henderson e Chael Sonnen.



15/12/2014 00h02

Análise dos brasileiros no UFC: Cigano x Miocic
Hélio Rodrigues

Junior Cigano dos Santos e Rafael dos Anjos representaram bem o Brasil na noite do último sábado, pelo UFC: Cigano x Miocic. Em um evento repleto de lutas femininas, os dois brasileiros derrotaram, respectivamente, Nate Diaz (polêmico irmão do não menos polêmico Nick Diaz) e Stipe Miocic.

Rafael dos Anjos castigou Nate Diaz. Com uma atuação praticamente impecável, o brasileiro foi superior durante os três rounds de luta e venceu por decisão unânime dos árbitros.

Já Junior Cigano teve uma parada dura diante do americano Stepe Miocic que acabou sendo reconhecida como Luta da Noite. Num épico duelo, o tupiniquim, que estava há 14 meses sem lutar, sofreu durante cinco rounds e ficou irreconhecível no pós-luta. Mas venceu, por decisão unânime.

A decepção da noite foi a derrota de Gabriel Napão para Matt Mitrione em apenas dois minutos de embate.