SRZD



Diogo Dig

Diogo Dig

Rubro-Negro "saudável" desde 1979, carioca, faz parte do SRZD desde janeiro de 2012. Na casa de samba Bom Sujeito, é produtor artístico. E também é DJ residente da festa Erasmus, dedicada a estudantes intercambistas. Figura multifacetada do entretenimento e de suas não tão complexas variantes.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



17/07/2014 19h18

ReAção

Salve, salve navegantes Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Passada a grande farra das seleções estamos de volta pra fazer o que sabemos melhor: gastar o imaginário com o nosso Esquadrão. Depois do jogo de ontem vamos combinar que não há muito o que se dizer, né?! Ou há. Pouco importa, afinal não estamos afiados pra passar o cerol fino em qualquer adversário, mas temos que respeitar o poder dessa camisa. Acredito MESMO que em alguns momentos ela faz a diferença e que uma hora ou outra vai tomar conta da bagunça e vamos sair da tempestade na marra, numa combinação perfeita da ajuda dos deuses do futebol com o fim da zica. E que zica! Jogador se machucar na hora de bater falta era tudo que não precisávamos, mas a hora de reagir é sempre o agora.

Sei o quanto é difícil frear o discurso pessimista, mas não tô muito afim dessa caozada de "com esse time não dá", "quero a Flalemanha de volta" e blá blá blá. Como torcedores temos o direito de cornetar nosso Time e tocar o terror na concorrência sempre que quisermos, mas nesse momento especificamente estou cansado dos "modinha", tipos comuns dos momentos extremos. Entendam de uma vez por todas: ISSO AQUI É FLAMENGO, P.... !!!

#desacocheio

Tio Sam querendo conhecer nossa batucada

Depois do legado estrutural deixado na Gávea pelos holandeses, uma das potências da copa, o Mengão vai ter novo investimento para as Olimpíadas 2016 de uma outra potência, esta a maior no quesito olímpico: Estados Unidos. Reitero meu pensamento que países de terceiro mundo como o nosso tem que arrumar a cozinha antes de sediar eventos desse porte, porém quando o assunto é Flamengo, vale sempre o alô. Welcome to the paradise, brothers and sisters!

#pãoecirco

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!

Curta a página do SRZD no Facebook:


1 Comentários | Clique aqui para comentar

09/05/2014 17h55

Mais sorrisos
Diogo Dig

Foto: Acervo pessoalSalve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Eu ando reflexivo além da conta nos últimos tempos, isso baseado em alguns fatos que tenho presenciado nessa minha jornada de torcedor. O futebol agora virou uma espécie de graduação e os cursos são variados: jornalismo, direito, administração, por aí vai. Torcedores virando peritos em uma penca de coisas e isso tem me cansado.

Em meio a todo esse cansaço, fui ver um lance de trabalho dia desses e reencontro Sumy, japonesa que o acaso sempre me faz esbarrar e que está radicada aqui na terrinha desde 2010, e papeamos sobre a vida. Falar da minha existência e não citar o Flamengo é algo que posso chamar de improvável, logo qualquer assunto Vermelho e Preto pintaria. E ele veio na forma que chamo de poesia pontual. Sumy me contou sobre sua filha Liyo, uma linda moça de 3 anos de idade e que podemos considerar uma verdadeira torcedora do Mengão. Depois de ver fotos e vídeos dessa gatíssima pequena torcedora, prontamente me comprometi em levá-la ao Maraca pra curtir o baile Vermelho e Preto comigo. Minha maior motivação no meio de toda essa história foi ver a menina posando cheia de orgulho com a camisa do Mais Querido e daí vem a moral da história. Somos torcedores por puro encantamento.

Ninguém aqui é jurista, perito, super craque na hora que tá na arquibancada. Ali somos meros seres apaixonados com vísceras expostas torcendo por caras que tem como objetivo um resultado positivo em suas vidas. Pra nós o tal positivo não vem apenas com a vitória. Lembro de ver o olhar dos meus sobrinhos e outras crianças ao ir no estádio e viver aquilo de forma plena, sentindo e fazendo parte da massa. Não devemos levar tudo tão a sério quando o assunto é futebol. As crianças são grandes mestres nesse aspecto. Esse é um dos grandes motivos que motiva a maioria das minhas piadas, sejam elas na vitória, empate ou derrota. No meio de tanta crise, disputa de sabedoria e duelo pelo trono da razão, eu fico com a pureza do sorriso apaixonado das crianças. Tô ao lado delas e não arredo!

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!


1 Comentários | Clique aqui para comentar

31/03/2014 16h56

Servidos?
Diogo Dig

Tanto tempo me dedicando aos projetos de finalização de curso e volto ao meu blog queridão com aquele clima nostálgico. Nossa baranga de bigode favorita meteu as caras e pediu licença pra revivermos momentos gloriosos. Que parceria, amigos. Ela teve uma reviravolta no final dos anos 80, quando um rapaz com nome de doce baiano colocou água no nosso chope. Chope esse que desde então é pago, pro nosso demasiado consumo, com o dinheiro "suado" de um moço degustador de charutos que comandava as rédias da baranga, fato lembrado por alguns amigos. Ele nunca nos faltou, logo nossa gratidão não caberia nesse humilde post.

A bigoduda faturou alguns Cariocas, fato, mas em finalíssima fazem 26 anos que chamamos a especialista em fado pra sambar. Fado ou fardo? Tanto faz. Em 1999, uma equipe jovem e desacreditada comandada por Romário, já bebia seu suquinho de uva e faturava o título que os meros mortais davam como certo pra ela. Em 2000, um rapaz com cheiro de peixe e nariz de mesma espessura que a canela faz embaixadinhas debaixo de nossos olhares Rubro-Negros e achou que ficaria tudo certo ali. A pancada veio com o tiro de misericórdia, ainda no primeiro jogo, dado por Beto cachaça, um dos mais gratos pela farra da cevada bancada pelo ex-deputado. Em 2001, um dos momentos mais épicos da história do futebol Vermelho e Preto. Na real era mais uma final contra nossa favorita, mas mesmo tendo superado a vantagem que ela tinha, jogando por dois resultados iguais, esse jogo foi especial pela dramaticidade que pé cantada em prosa e verso em cada buteco desse país. Pet, o goleiro da ocasião tá jogando fora do pais e até hoje procura aquela bola. Já em 2004 viveríamos um momento tão épico quanto, mas o fato é desmerecido pela Massa. Não é todo dia que um atacante como Jean faz três gols em uma final. Acredito que essa tenha sido a única vez de sua vida. E adivinha contra quem? Isso é ou não é épico?

Foto: Reprodução de Internet

Depois das citadas conquistas regionais, chegava a hora de uma decisão nacional. 2006 era o ano. Final da Copa do Brasil e o eterno mito Obina, após relativa escassez de gols, acerta um chutaço no ângulo e revela a receita pro mítico feito: "meu pai mandou eu chutar, eu chutei", revelou a lenda na época. É ou não é mito?

Após esse ano, ganhamos mais Cariocas pra nossa hegemônica história, enquanto nossa parceira infalível não figurou mais nas cabeças. De certa forma um momento triste, esse superado pela certeza do reencontro. Bem vinda e continue sendo a mesma querida de sempre. O chope nós sabemos quem paga no final, já o petisco é por minha conta. Servidos?

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!


1 Comentários | Clique aqui para comentar

31/01/2014 16h54

A Liberta que é quente
Diogo Dig

Salve Rubro-Negros e secadores do manto de plantão! Após longo período submerso em exaustivos banhos com intuito de esfriar a cuca quente devido ao sol racha côco que mora sobre nossas cabeças, tô de volta! E o nosso Mengão, hein?! Acredito que 2014 pode ser um ano bacana dentro da expectativa exigente da massa Vermelha e Preta. Na real mesmo o ano só começa quando a Liberta iniciar, mas também não vou pagar de ingrato com o carioquinha, que tem sua importância como um extensor da pré-temporada. Vamos aos tópicos que tão bombando nesse verão Mulambo:

Campeonato Carioca - Mesmo com reservas nos dois primeiros jogos vamos fazendo nosso papel, deixando a concorrência toda preocupadinha. Importante colocar toda a rapazeada pra suar nesse momento, afinal o ano é longo e muitos ali podem ser úteis. Quem surpreendeu mesmo foi o Welinton, que pôs duas pra dormir no barbante e se consagrou de vez como o "Bequembáuer" da Gávea. Como sou um otimista incurável penso que se o zagueirão, que já saiu mal daqui, pode começar o ano mostrando uma nova face, qualquer um tem condições de escrever sua história e isso me anima muito! Outro lance que me chamou atenção, só que de maneira negativa foram as vaias pro Matheus. Quem embarcou nessa palhaçada pode parar de gracinha. O muleque já mostrou que tem qualidade e pode ser útil. Chega de ficar queimando a mulecada da base.

Reforços - Gostei da galera que chegou. Em relação ao ano passado houve uma considerável melhora, algo esperado já que esse ano estamos na Libertadores, e os caras tem tudo pra cair na graça da torcida. Elano e Alecssandro saem na frente dos demais, mas o ano é longo e muita grama vai queimar. Éverton já se saiu bem com o Manto e pode repetir a façanha. O Léo novo tá no sapatinho esperando a hora de cobrir a primeira ausência do Leo velho. O zagueirão Erazo, que tem fama de classudo, é um cara que tem experiência internacional e pode ser um trunfo bacana. Curti também a personalidade do Mugni, que chegou pedindo a pesadíssima dez. Feijão se destacou pela multicolorida com dendê e ta ganhando a chance da vida. Esses são os nomes. Vestidos com o Manto vocês deixam de reles mortais, cumpadres. Suar é a primeira regra pra ganhar a Maior do Mundo.

NBB - Continuem atropelando quem aparece na frente. A Massa agradece.

Elias - De saco cheio dessa novela. O cara parece ser o único sem ter o que fazer a não ser esperar. Que volte, afinal sua importância é inquestionável.

Luis Antônio - Tá pagando de otário nessa história. De titular no ano que terminou para o ostracismo de uma briga judicial. Vários muleques como ele são mal assessorados por esses aproveitadores e o fim da história nunca é maneiro. Mais uma novela escrota.

Brasileirão 2014 - Terceira e última novela escrota do post. Resumo essa questão de forma bem objetiva: tô cagando pra CBF.

Pra cima deles, Mengão! Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!



19/12/2013 18h47

2013: acabar ou não? Eis a questão
Diogo Silva

Arte Blogueiro. Foto: Divulgação

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Nunca estive tanto tempo sem um post por aqui. Laptop com defeito, o que me restava eram alguns comentários no face, todos feitos pelo celular. Aí vem um "malandrão" e furta o aparelho. Fiquei ciberneticamente sem munição, fora os problemas de internet, que são recorrentes, aqui em casa. Tudo conspirando contra, porém soldado vermelho e preto não arrega e to aqui de volta. Vamos em frente, sempre!

Uma das minhas maiores bolações é que no celular que se foi, tinham fotos e vídeos da primeira gravação da Fla-Música, essa captaneada pelo meu camarada  cantor, compositor e blogueiro do SRZD, Tunico da Vila, que tive a honra de participar fazendo coros. Um dos  sambas gravados foi trilha do nosso título da Copa do Brasil no Maraca. Mas aí você me pergunta: o que é a Fla-Música?  Aspas pra Tunico da Vila.

"Fla-Música é uma forma que arrumei para que o Flamengo seja o primeiro clube a ganhar dinheiro com as músicas que fazem para o ele.  É um projeto meu com a atual diretoria , um sonho antigo.  Me sinto honrado e pronto pra trabalhar. Minha meta é gravar um cd e um dvd com todas as músicas e hinos do Mengão".

Tunicão é fechamento e tenho certeza que vai tirar onda nessa empreitada. O projeto está em boas mãos e o lance é manter vivo o trabalho. Sabe que pode contar comigo pra soltar o gogó, bater tambor e musicar do jeito que for nossa paixão pelo Mais Querido.

Bem, deixar de comentar sobre o final caótico de 2013 não dá, né?! Passeávamos nas duas últimas rodadas do Brasileiro e agora somos obrigados a acompanhar o torneio nos tribunais. Se a coisa vai ser decidida dessa forma, pra quê jogar bola? Fazer gol tá perdendo pra conferida na lista de suspensos do campeonato e tô ficando de saco cheio dos juristas cibernéticos de plantão que tão cagando pela boca e de forma escrita. Cada um defendendo o seu e deixando de lado o básico: o que foi conquistado com suor e sem tirar vantagem do que já estava estabelecido no campo. No nosso caso, um amistoso com o Cruzeiro que não valia nada pra eles e nem pra nós e no caso da bigoduda do Tietê, estavam livres e colocaram um jogador aos 32 minutos do segundo tempo. Houve má fé? Alguém consegue acreditar nisso?

Aqui vai o link com uma explicação redonda e fundamentada pelo defensor público/RJ, professor de direito processual da FGV/RJ e UERJ, José Augusto Garcia de Sousa, dando uma luz jurídica sobre o caso, a verdadeira chance pros doutores defecadores bucais e textuais pensarem um pouquinho.

link --------      http://notepad.cc/share/F7IUM1VqDE

Com tudo isso, só me resta uma certeza: essa novela, mais uma, mancha o futebol brasileiro. Não importa quem fique, quem suba ou com quem caia. O circo tá armado e os palhaços somos nós.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!

*Edição: Patrícia Raposo

 



25/11/2013 14h03

Vantagem sim e daí?
Diogo Dig

Salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Longo afastamento do meu blog queridão devido alguns problemas como o maldito serviço de internet, o que me rendeu férias forçadas por aqui. Nada mal, já que aproveitei pra resolver algumas pendências e colocar a vida em dia, afinal o Mengão alimenta meu coração mas não paga as brincadeiras etílicas dessa minha insana existência.

Vamos ao que interessa, vamos de Flamengo! Começo lembrando episódio onde adquiri uma nova patente, a de profeta. No dia do primeiro confronto da final contra os genericuzinhos do sul muitos prestavam sua homenagem ao feriado de Zumbi. Eis que surge esse humilde blogueiro Vermelho e Preto e escreve no Facebook, em torno de umas 15h, o seguinte post: "com esse papo de dia de Zumbi confesso que hoje minha torcida é pro Amaral balançar o barbante e sacramentar o triunfo do Mengão. Não vejo nada mais épico".

Aí eu pergunto: quem em sã consciência apostaria em um gol do nosso Pit-Bull? Sim, sou o profeta dos novos tempos e o Amaral, se Deus quiser, ficará marcado como o messias que pôs nossa mão no caneco. Não é marra, por mais difícil que seja entender minha colocação, mas pra um jogo em casa os sulistinhas deixaram muito a desejar e mesmo não tendo exibido um futebol de prima, nosso Esquadrão implantou uma correria responsa e seguramos o barato do jeito que deu. Podíamos ter matado a parada lá mesmo, mas mesmo com o empate nossa vantagem não pode ser desprezada.

Amaral. Foto: Reprodução de Internet

Os carinhas vem aqui buscando o resultado e o que precisamos é malandragem pra dar o bote certo. A correria é elemento básico, pois assim vamos arrancar o ar dos pulmões deles e sem oxigênio a cabeça embaralha. A massa estará presente fazendo o que já é típico nos mandamentos do torcedor Rubro-Negro, então temos que assumir essa vantagem de uma vez por todas e não deixar eles jogarem, respirarem, pensarem, por aí vai. Estamos bem perto do que parecia improvável no início do ano, que era conquista de um título que nos levasse a tão sonhada vaga na Libertadores. Falta um passo pro maior dos gritos e que assim seja. Vamos começando o processo de fritura dos visitantes no gogó.

Ah, o jogo de ontem. Bem, qual torcedor do Flamengo achava que tínhamos alguma possibilidade de cair? Se sua resposta é sim, recomendo que vá procurar ajuda especializada de algum doutor de cabeça. Flamenguista que é Flamenguista acompanhou a partida pelo mero hábito de gastar sua onda e paixão pelo Mengão sem esquentar muito pro resultado. Ganhar dos marinheiros do tietê com pedrada de Paulinho é detalhe. Que venha o prato principal. Chega logo, quarta-feira!

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!

Obs: essa semana tem novidade Rubro-Negra sonora. Fica ligado.



13/11/2013 18h08

A dois passos do paraíso
Diogo Dig

Foto: Reprodução de Internet

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Quem diria que nosso massacrado Esquadrão chegaria tão longe no sofrível 2013, hein! Você diria que Hernane canela de broca seria um dos maiores goleadores do Brasil? Que Paulinho seria a reedição, guardadas as devidas proporções, de Uri Geller? Que Amaral seria o marcador mais implacável dos quatro cantos do mundo? Se você acreditou desde o início, parabéns. Nunca deixei de torcer e doar meu gogó pro Mais Querido, mas dizer que disputaria um título e que levaria uma vaga esperta pra Libertadores não fazia parte dos meus mais otimistas sonhos.. Enfim, estamos perto, muito perto.

A bolação do momento é o preço desses ingressos pra finalíssima. Confesso que entendo os argumentos de ambas as partes, mas como não sou da política e ficar em cima do muro não é e nem nunca será minha vocação, fecho com a Maior do Mundo. Flamengo pode jogar com menos dois jogadores em campo (com menos um já estamos acostumados graças ao Carlos "Merduardo"), mas sem sua força propulsora que vem de cima não faz o mínimo sentido. O estádio vai encher mesmo com o preço de transatlântico, porém o povo perder a voz é uma medida que assombra meus pensamentos. Espero que tenhamos um desfecho positivo pra ambas as partes.

Hoje tem jogo/treino com a multicolorida do Tietê e o Jaymão avisou que objetivo é manter o ritmo de jogo pra rapazeada estar calibrada na hora do vamo ver. Com a devida licença do Ibama, uma chinelada nas gazelas cairia bem. O importante é a manutenção do sangue nos olhos e a interminável sede de vitória. Final de ano pra atropelar a concorrência.

Júlio César

O cara é Rubro-Negro tipo A, tá sem clube e cairia benzão na versão 2014. Por mim pode dispensar o Felipe. Aí voc?s me perguntam: você prefere o Paulo Victor? Na minha opinião os dois se equivalem de uma forma geral, mas como sei que o Felipe é mais caro, que vaze ele pra chegada do Julião Paredão Boladão. Engravatados da Gávea, fiquem de olho!

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!Há dois passos do paraíso



01/11/2013 16h49

Firmes e mais ou menos
Diogo Dig

Foto: Reprodução de Internet

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Estamos confirmando nossa aptidão pra burocratas consistentes. Há algum tempo estamos observando isso e alguns já se deram conta que 2013 pode terminar com um inicialmente impensado título. Ninguém imaginava que esse plantel lutaria pela conquista da Copa do Brasil, certo? Se você imaginava, tenho minhas ressalvas. Fanáticos todos somos, agora insanidade tem diversos tipos de graus, sendo que o seu é preocupante. Enfim, chegamos e estamos inteiros da disputa.

Na partida contra a bigoduda do Tietê jogamos uma bola no mesmo nível técnico do que contra os verdanejos, só que o último jogo teve bônus: os dois golaços assinados por Paulinho, que já tá cavando seu lugar na seleção, e Chicão, o carrasco implacável. Tirando os tentos que salvaram a noite, passamos o segundo tempo inteiro sem dar uma espetada nos caras e isso é caído pra um time que tem o caneco.como objetivo.

Importante mantermos a seriedade e serenidade. O descanso dos caras é fundamental pra injeção de gás necessária. Continuamos firmes e mais ou menos e o que mais me preocupa é até quando isso será eficaz. Vamos pra luta, eles no campo e nós na arquiba com nossos corações e gogós indestrutíveis.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!



24/10/2013 13h31

Dia mundial da piada pronta
Diogo Dig

Salve, salve, salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Ontem foi estabelecido em todo território mundial mais um feriado pro calendário: O dia mundial da piada pronta. Bem, ganhar da mijona e chorona não é uma novidade pra nós e nem vou me estender nisso, afinal essa equipe tão simpática que não faz mal à ninguém fez jus a sua longínqua fama.

Voltando pro feriado. Existe uma justificativa pra essa proclamação e você entenderá. A Maior do Mundo fazer a diferença e colocar a maioria no estádio é um clichê tão básico quanto qualquer anedota envolvendo a equipe já citada, porém espaço vazio na arquibancada em dia de jogo decisivo é sempre um recheio extra pra pilha da nossa inesgotável Torcida. Estava ao lado do meu amigo Murilo, uma espécie de cover desbotado do roliço atacante Walter, e comentei sobre a possibilidade de outras torcidas reforçarem a deles, chegando a pensar por um estante que a situação tinha se concretizado, fato justificado pelos borrões azul e amarelo que via do lado oposto. Seria uma nova torcida? Seriam esse borrões uma nova parte dela?

Foto: Diogo Dig

Ah, o jogo eu vou resumir : foi antecipado o Baile do Vermelho e Preto, este que acontece sempre no período de Carnaval, festa essa que é a especialidade aqui no SRZD. Foi uma chinelada daquelas pra deixar marca pro resto da vida. Marca não, marcas, quatro ao todo. A maior parte delas foi deixada cruelmente por um baiano com canelas de broca que não quis saber de conversinha. O bicho é impiedoso mesmo. E o Paulinho? Esse nunca tá puro. Além de uma correria sem limites resolveu dar palhinha de Uri Gueler e levou a Nação ao delírio completo. Confesso que continuo escaldado com o Jayme. Podendo ganhar fôlego colocando velocidade na equipe e ter aplicado uma goleada ainda mais braba, foi fazer suas substituições no final do jogo e me deixou com a pulga atrás da orelha. Essa insistência no Carlos "Merduardo" é como o mistério das pirâmides. Ninguém, eu disse NINGUÉM, entende. Apesar da notória reação da Equipe, estamos de olho, porém nada disso vai estragar a comédia romântica que vimos ontem. Dávamos risada e aplaudíamos de pé cada chorão que ia embora. Me arrisco a dizer que foi um dos pontos altos da noite.

Foto: Diogo Dig

Depois da fartura no jogo, encontro com um grupo de índios na rampa do estádio. Perguntei de onde eles eram, mas o barulho era tanto que a informação foi envolvida pelo canto ensurdecedor do "CADÊ VOCÊ, CADÊ VOCÊ..". Estavam amarradões com coça dada e revelaram o sonho de conhecer o Léo Moura. Gostaria muito de poder contribuir pra que realizassem seu desejo, afinal vieram de longe pro bailão. A cara pintada e o sorriso largo traduziam muita coisa. Revelavam que nós não temos limites quando o assunto é a força que vem de cima. Não tem distancia, não tem hora. Somos MAIORES, somos MELHORES. Doce sina essa nossa. Ah, a piada? Essa tá sempre pronta. ;)

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!

Leia sobre o jogo:

- Com três gols do Brocador, Fla atropela Bota e chega à semifinal



17/10/2013 16h58

Olho no calendário
Diogo Dig

Foto: Reprodução de Internet

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Mengão tá naquela pegada burocrática eficiente, satisfatória dentro do contexto "segurando as pontas 2013", esperando dias melhores com sombra e água fresca. E assim vamos caminhando de olho no calendário.

A derrota pra mijona e chorona teve um ponto positivo: mesmo não conseguindo o resultado favorável, fomos pra cima da sem torcida e mostramos um fôlego que, até então, não fazia parte do nosso repertório. É isso que a galera quer, luta, só isso. Torcida cantando hino no final do jogo comprovando a aliança que nos é peculiar.

Na estreia do terceiro Manto sinistrão empacotamos o acarajé multicolorido e devolvemos ele bem frio de volta pra terra de todos os santos. A exibição não foi de gala, ma valeu o sossego na tabela. Jayme deu aquela cagadinha com dendê ontem, já que no momento que o time precisava do resultado, colocou Val (não é o Kilmer) no lugar de Elias, sabendo que poderia ter lançado o Rafinha, afinal estavam em campo Amaral e Luiz Antônio. No momento seguinte, arrancada sinistra de Léo e a broca afiada do nosso matador valeram a noite da rapazeada.

Nessa caminhada, de resultado em resultado, tô sentindo que a tal da Copa do Brasil é viável, começando pelo antigo freguês que temos pela frente. A hora é sempre agora.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!



10/10/2013 16h46

Jayme: alquimia e incógnita
Diogo Dig

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Vocês devem tá questionando a escassez de posts nos últimos tempos e de prima mando meu recado: a sumida foi meramente estratégica. E é de estratégia que venho falar aqui hoje, especificamente, do trabalho do Jayme desde que assumiu a responsa.

Nosso treinador é um cara tranquilo e simples, virtudes indispensáveis nesse atual momento. O antigo comandante (não vou ficar escrevendo nome de frouxo) saiu dizendo que nosso Plantel não conseguiu assimilar suas informações, sendo que o atual, com menos fama e notável didática superior, vem fazendo o mesmo elenco entender o recado. Isso prova que Jorge Ben estava certo quando dizia que o alquimista chegaria.

Bem, concordamos que o cara chegou fazendo com que um Time que muitos julgaram ser de pernas de pau jogar de forma eficiente, porém Flamengo é Flamengo e agradar 100% é quase uma utopia.

Foto: Reprodução de Internet

Tenho questionamentos sobre o trabalho do Jayme. Concordo que a oportunidade dele tinha que chegar e veio em boa hora, mas isso não arranca essas pulgas que ficam atrás de nossas cascudas orelhas. Arrumou a bagunça, mas deixa pra fazer substituições após os 30 da etapa final, momento que o fôlego do nosso Esquadrão mais tem faltado. Todo mundo vê os caras em campo com 338 toneladas, menos ele. Ah, quando substitui enche o time de volantes, mostrando que gosta mais de parede que o Pedro Luíz, ou faz o burocrático seis por meia dúzia, o basicão que não deixa de ser uma saída de fácil entendimento, já que até o momento que assumiu o comando a rapazeada tava perdidinha.

A diretoria já começa pensar 2014 e a continuidade do seu trabalho é vista com bons olhos na Gávea. Cravo minha opinião de que seu êxito profissional só virá após uma pré-temporada implantando sua filosofia e botando os camaradas pra atropelar a concorrência na hora do vamo ver. É o que esperamos. Por hora vamos de jogo a jogo e com fé nos livraremos logo de qualquer resquício de perrengue.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!



24/09/2013 15h55

Síndrome de duas caras
Diogo Dig

Foto: Reprodução de Internet

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Que perrengue, hein? Estamos como cegos em tiroteio e dias nebulosos são a nossa dura realidade, mas ser Flamenguista tem dessas coisas e, após vergonhoso empate contra o náufrago de Recife, temos a mijona/chorona novamente em nosso caminho. Nada como uma antiga freguesa pra fazer nossa alegria e, quem sabe, acabar com a síndrome de duas caras que nossa equipe tem feito questão de mostrar esse ano.

A equipe deve vir sem muitas novidades, afinal o comandante Jayme, com seu estilo Gandhi, não curte inventar muito, porém não entendi o fato de ter preterido o Rafinha daquele jogo. Outro lance que não gostei foi lançar dois postes lá na frente. A fase já tá braba, sem mobilidade então ficou triste. Mesmo com essas bolas fora ainda sou mais ele pra seguir com a rapazeada. Esse papo de Abel deixou a Nação bolada com a diretoria. Que tenham uma postura mais firme, sem conversinha fiada de técnico meia boca que ganha milha.

Amanhã é dia de pôr o traje de gala e fazer a conhecida diferença que nos torna seres fodásticos. Na hora do vamo ver sempre crescemos, faz parte do nosso DNA. Pra cima deles!!!!

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!



20/09/2013 17h39

Do papelão ao pancadão
Diogo Dig

Foto: SRZD

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! O sentimento do dia é a revolta. Sem rodeios, o que senti ontem a noite foi uma mistura de coisas escrotas. Desculpem o vocabulário chulo, mas minha paciência não anda lá muito boa e depois do papelão que fizeram contra os genéricos do sul me dou esse direito. Como se começa um jogo daquela forma e se termina fazendo a Maior do Mundo passar por aquela vergonha? Inadmissível !!! Jogadores que não tem culhão pra segurar um resultado que tava na mão. Foram frouxos e já que arrancaram nossa paz, que percam a sua também. Vão ter que treinar com tijolo amarrado na perna, sem caneleira, pra acabar com a frescura.

Falando em frouxidão, confesso que a saída do Mano me surpreendeu. Ele não conseguir ajeitar o time, que ainda acho que tecnicamente não deixa a desejar pra maioria dos times, porém mostrou que é supervalorizado, assim como vários outros que estão fazendo a festa no mercado. O suposto grande trabalho dele foi lá na terra do Tietê, formando um time na obscura Série B e dando sequência na A do ano seguinte. Missão teoricamente mais fácil, já que formou uma equipe e teve continuidade pra padronizar. Por aqui, tomou pancadas, mas tinha o respaldo da diretoria, porém mostrou a realidade do nosso futebol: treinadores com status de "tenho o maior culhão do mundo", mas que na hora do vamo ver se apequenam como ratos de garrafas de Coca. Já vai tarde. O presida deu o recado e o Jayme é o cara que provisoriamente vai tentar arrumar a casa. Vamos apoiá-lo, rapazeada!

Depois de tomar a pancada na cabeça, recebo uma solada de bota no peito, mas essa, por incrível que isso pareça, me fez um bem danado. O showzaço do Metálica no Rock in Rio foi um porradão! E eu, vendo todo aquele sincronismo, pressão e energia, cheguei a pensar nos caras da banda comandando o Mengão, fazendo o Time jogar firme, como homens com sangue nos olhos. É isso que queremos e a babaquice tem que acabar.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer !!!



15/09/2013 11h59

Um Flamengo só
Diogo Dig

Foto: Montagem SRZD

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Após longa inatividade por aqui, afinal estava curtindo um reggae bruto nas Ilhas Virgens, estou de volta, com bronzeado que me permite ser figurante de alguma gravação de Piratas do Caribe, sem saber o que escrever. Isso mesmo, sem saber o que escrever. Aí vem um torcedor acalorado e indaga "Po, ontem ganhamos do Santos". De bate pronto e sem muita paciência eu devolvo de prima: e daí? Ando bem incomodado, confesso.

Sabia que o ano de 2013 seria um ano de reestruturação e a paciência é uma poderosa arma pros nossos apaixonados corações, porém tem certas questões que me deixam boladão, sendo que a oscilação dessa equipe é o que mais me escalda. Tá brabo pra assimilar tantos cochilos, devo admitir.

Ontem ganhamos, maneiro, jogando razoavelmente bem e faturando a sardinha com marra de tubarão, o que que já é de costume. Mas a pergunta que tem sido a tônica de minhas conversas Rubro-Negras pelos quatro cantos do mundo e que me traz a mais desconfortável incerteza é: QUAL É O FLAMENGO DA VEZ? É, isso tem me matado, amigos! Cada jogo uma escalação, um esquema, uma produtividade. Montar um time modesto, beleza, esse é o discurso firme desde o início do sofrido 2013, porém um padrão é o mínimo e isso até agora não vi. Quem é culpado? A diretoria que não dá condições necessárias? O técnico que não encontra um esquema? Os jogadores que tem dias de Pelé e outros de Maurinho? Não sei, alguma coisa tá rolando.

O jogo de ontem foi bacana, foi. A vitória serviu pra dar um salto na tabela e pra esfriar a cuca de uma galera. Mas não a minha. Não espero mais do que esse time tem pra oferecer, de forma alguma, porém quero mais e esse mais eles podem dar. Enfrentar um adversário mais duro e ter dificuldade é normal. Outra coisa é entrar com zagueiro na lateral, lateral no meio, meio no ataque e por aí vai. Uma casa pode não ter os artigos mais luxuosos na sua composição, mas pode ser bem arrumada. É esse Time que quero, funcionando com honestidade, sempre. E você, o que quer? Tenho certeza que nossa corrente é por um Flamengo só

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!



29/08/2013 17h27

12 contra 11
Diogo Dig

Foto: Montagem SRZD

Salve, salve Rubro-Negros e secadores do Manto de plantão! Hoje foi dia de acordar cedo e comer aquele pão de queijo fresquinho no café da manhã. Ontem milhares de corações Flamenguistas passaram por teste sinistro, mostrando que todos nós temos um pouco de William Wallace. Com mais cabelos brancos eu acabo virando definitivamente o cover oficial do Ziraldo! Que partida!

O nível técnico em campo foi meia boca pacas, mas o diferencial que nos deu a redenção teve trajetória bem definida: De cima pra baixo, maximizando, da arquiba pro gramado. A smurfette tá desfilando fazendo graça esse ano, é arrumadinha (como já citei em outro post), porém é só uma pequenina azulada, ontem dando toda margem pra aquela piada pronta "o que é um pontinho azul no meio de uma mar Vermelho e Preto?", deixando esse blogueiro aqui felizão.

O Mano colocou a equipe pra frente, forma tradicional em nosso histórico doutrinador, amassando a mineirada, não deixando oxigenar. Correria pra fazer maratonista da São Silvestre ficar boladão. Assim deve ser, comandante. Faça as trocas que achar conveniente, mas mantenha o time agressivo, assim SEMPRE terá mais um jogador contigo, este que grita, empurra e faz diferença mesmo sem tocar na bola. É desse jeito que temos que chegar chegando pra colocar a mijona/chorona em seu devido lugar. Já tem uma meia dúzia que conheço pensando "lá vem eles de novo", demonstrando o velho temor, um clichê em suas sofridas existências.

Mar de gente que bate recordes, Time que reconhece suas limitações e joga com o coração, respeitando a galera que passa perrengue pra estar junto dando força. Com essa fórmula, chegar longe deixa de ser missão e passa a ser sina.

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!!!