SRZD



Cristiano Barbosa Lima

Cristiano Barbosa Lima

Carioca, jornalista e tricolor de coração. Essas são as três palavras que traduzem a tradição do tricolor Cristiano Barbosa Lima. Profissional que atuou em todos os tipos de mídia, do impresso até televisão. Entre os principais veículos estão o "Jornal dos Sports", "Lance!", "Sportv", "Globonews" e "Reuters".

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



24/05/2013 00h01

SRZD: liberdade e isenção
Cristiano Barbosa Lima

O SRZD é um portal que dá liberdade de expressão aos blogueiros. As matérias das outras editorias também não são presas a nenhuma linha política. Essa isenção é algo raro no mundo jornalístico de hoje, quando na verdade, ela tinha que ser rotineira nas redações de todo o país. Por falar, em redação, nas vezes que fui nela, percebi empenho e dedicação de todos, tudo sempre bem comandado pelo bravo amigo Sidney Rezende. Não é fácil sobreviver e está entre os primeiros nesses tempos.

Espero que o site SRZD continue crescendo e se desenvolvendo cada vez mais nos próximos sete vezes sete anos que vem por aí.
Parabéns a todos.



08/04/2013 09h34

Quem não tem cão caça com Xerém
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Não é de hoje que sabemos que os nossos maiores reforços estão nas divisões de bases do Fluminense. Verdadeiras joias têm se formado em Xerém. É um processo antigo. O recente é o presidente Peter Siemsen segurar essa prata-da-casa como vem fazendo com o Wellington Nem. Tarefa nada fácil porque há anos a principal receita dos clubes brasileiros são os jogadores formados nas bases dos clubes.

Ontem mesmo um time, desfalcado de três jogadores, que são titulares da seleção brasileira sub-17, conquistou a Copa Rio da categoria. Que banho de futebol essa molecada deu. Jogam com a bola rasteira. Esse é o segundo título consecutivo do time comandado pelo treinador Marcos Valladares, que recentemente conquistou também a All Kass International Cup, também nos pênaltis contra o Paris Saint-Germain. Além dos jogadores pode estar pintando um técnico que gosta de armar o time com o autêntico futebol brasileiro.

O Santos vem dando uma lição do quanto é válido manter um excelente craque de casa no clube. A relação ‘torcida-ídolo’ (no caso de um xodó de casa que é o Neymar) é incrivelmente rentável. Essa relação ajuda no crescimento do número de associados, vendas de camisa e até aumento da torcida, receitas que substituem a da venda dos principais jogadores revelados no clube.

Com a contusão de Fred, Michael terá a nada fácil missão de substituir o ídolo tricolor. Espero que os tricolores mais exaltados não cobrem acima do conveniente ao promissor atacante. Afinal, Libertadores é competição para homens formados e não para meninos. Mas nos resta confiar no potencial desse jovem. Estou pra lá de otimista e acredito que ele vai marcar o gol da nossa vitória.

A série de contusões musculares dos jogadores do Fluminense tem culpados e eles assinam como comissão técnica de Abel Braga. Não é normal perdermos tantos jogadores assim. Primeiro foi o Deco, depois Gum, agora Thiago Neves, Wellington Silva, Diguinho, Valencia, Fred e possivelmente Rahyner. Sem contar o próprio Wellington Nem que já esteve no departamento médico. Acho que tá na hora de rever esses exercícios. Não vai adiantar nada o elenco estar ‘voando’ no fim do ano se não tiver mais competição pra disputar. Se nossos principais jogadores se machucam não teremos times para conquistar as competições que estamos participando.

Como já havia anunciado no início do ano, Celso Barros não quer mais o Abel como treinador. Na coluna ‘Panorama Esportivo’ deste sábado no jornal O GLOBO o assunto foi mais uma vez colocado em evidência.

Quanto ao Grêmio um empate seria o suficiente para garantirmos a liderança. Esse é o meu medo. Ano passado, no Brasileirão, estávamos com muitos desfalques contra o Grêmio no velho Olímpico e em um jogo fácil, Abel retrancou toda a equipe e saímos com uma derrota em uma partida que poderíamos ter vencido. Espero que o Abel reflita e recorde deste episódio porque é o dele que está na reta.

Saudações tricolores!


7 Comentários | Clique aqui para comentar

02/04/2013 09h25

Deco pode pendurar as chuteiras bem antes do esperado
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Já dizia o mestre Didi - "treino é treino e jogo é jogo". Deco treinou bem outra vez esse ano. A outra vez foi quando marcou golaço na frente dos repórteres europeus. O problema que a idade chega sem pedir passagem. E o nosso craque luso-brasileiro tem sentido o peso dos anos em cada partida que ele joga. Na verdade, Deco já estaria aposentado. A ideia inicial era dele parar no final de 2012, mas como ele jogou muito no último ano, acreditou que poderia aguentar mais um. Torço muito para que ele aguente mais. Crianças e jovens têm que assistir esse jogador de grande categoria para aprenderem muito com ele.

Mas está difícil. Para imprensa, Deco sustenta que vai encerrar no fim de 2013. Mas não é o que está nas conversas nos aristocráticos corredores das Laranjeiras. Deco pode encerrar antes do fim desse semestre. Ele terá pela frente mais três apresentações: Resende, Grêmio e Flamengo. Se as atuações sonolentas dele se repetirem ao término dessas três pelejas, o craque vai pendurar as chuteiras. A informação é preocupante. Mas repito que os homens do futebol tricolor já tem um nome para entrar no elenco. Testes e mais testes já foram feitos com o esforçado Rhayner. Mas não está na altura a missão de substituir o luso-português. As atenções dos homens do futebol tricolor estão no Brasil, bem ali em Porto Alegre. D’Alessandro pode receber a missão e missão dada é missão cumprida.

Não é fácil escrever tais informações. Não é comum na imprensa de hoje o jornalista bancar uma notícia, seja ela qual for. Muitas vezes, anunciar uma transação dessas acaba até prejudicando o andar das negociações e o que era certo acaba se virando contra mim. É uma faca de dois gumes: não prejudicar o Flu ou informar aos nobres tricolores. Enquanto jornalista, sempre vou preferir a segunda opção.

Saudações tricolores!


9 Comentários | Clique aqui para comentar

28/03/2013 09h12

Aleluia, Abel!
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Não é de agora que o Fluminense forma bons e talentosos jogadores. Desde o início da nossa vitoriosa história passando pela fase terrível dos anos 90 até os tempos de hoje, craques nascem aos montes nas Laranjeiras e dos anos 80 pra cá, em Xerém. Podemos falar de Preguinho (Coelho Neto), Altair, Pinheiro, Telê, Cafuringa, Cléber, Carlos Alberto Pintinho, Edinho, Mário, Deley, Paulinho, Ricardo, Roger, Arouca, Marcelo, Thiago Silva, Rafael até chegar a Wellington Nem, Marcos Júnior e Michael. Sem esquecer é claro dos que não foram aproveitados somente no Flu, mas que brilharam em outros clubes nos anos 90, nos tempos que o clube estava largado a traças e baratas. Nesse período foram vários: Alexandre Torres, Donizete, Eduardo (Cachaça), Alberto, João Santos, Zé Maria,...

Nobres tricolores, não são muitos os treinadores que sabem colher desses frutos. Mas me admirei ontem quando vi que Michael seria o titular no lugar do trombador Samuel. Não que esse não seja um bom jogador. Mas as características dele são a velocidade, força, altura e explosão, mas falta um tanto de categoria. Esse Michael já havia atuado no nosso quadro no Brasileirão de 2012. Na ocasião marcou um gol e quase fez outro de bicicleta. Desde os tempos de categoria de base, sempre jogou mostrando uma categoria ímpar. Abel Braga ontem teve um instante de lucidez em escalar esse jovem talento. Outro bom momento do nosso treinador na vitória de 3 a 1 sobre o Macaé foi ter deixado o craque Deco na reserva.

Abel provou a todos, principalmente aos mais rigorosos críticos (eu), que sabe o que está fazendo sim. Não pelo placar da partida que poderia ter sido maior se o Rhayner não tivesse desperdiçado outra penalidade, assunto que farei questão de opinar mais adiante. A vitória por si só não diz nada sobre o controle que o técnico mostrou ter sobre os comandados. O grande triunfo do treinador ontem foi de testar o jovem Michael e dar mais outra chance ao Marcos Júnior, Wagner e Rhayner. Com isso o Flu foi extremamente veloz. Os dois atacantes brilharam muito. Michael saiu com três gols de crédito e Marcos Júnior com a consciência que apresentou grande futebol. Wagner jogou aquilo que sabe e não espero muito mais do que ele tem feito. Já o Rhayner correu feito um louco. Como um bode cego. Já dizia o mestre Didi "no futebol quem corre é a bola", coisa de quem entende do assunto, já esse jovem de 22 anos, provou que era melhor ir para as pistas de atletismo que ficar no futebol.

A partida de ontem valeu também para o time ir se acostumando com São Januário que será o nosso palco até as quartas-de-final da Libertadores.
Feliz Páscoa a todos! Aleluia! Jesus ressuscitou e parece que um milagre aconteceu na aristocrática Laranjeiras! Abel foi curado da cegueira! Espero que não seja um milagre só desse período litúrgico, mas que dure enquanto o treinador permanecer no Flu...

Saudações tricolores!


5 Comentários | Clique aqui para comentar

26/03/2013 21h15

Será que o Engenhão fará tanta falta?
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Somos os grandes campeões da ‘Era Engenhão’. Foram dois Campeonatos Brasileiros e um Carioca. Além de shows da nossa torcida com mosaicos inesquecíveis. Nas quatro linhas, algumas vitórias memoráveis e golaços antológicos como aquele espetacular ‘sem pulo’ do Fred contra o Flamengo.

Mas quando o nosso Maraca fechou em 2010 o baque foi muito pior. Vínhamos numa batida de vitórias inquestionáveis desde 2009. Sentimos muito ao se adaptar ao Engenhão que tinha um campo com medidas muito menores que o velho estádio jornalista Mário Filho. Foi justamente nessa fase que o tricolor se especializou em vencer fora de casa.

Como estou pra lá de confiante, vamos chegar as finais da Libertadores desse ano. E já nas semifinais o Maracanã vai estar aberto para nós. Ou seja, não sei se o fechamento do Engenhão vai fazer falta ao Fluminense. A meu ver, vai passar batido. Afinal, ficamos quase três anos sem casa e só agora voltaremos a atuar na nossa imortal mansão - o Maracanã.

Contra o Macaé, Deco vai ter mais uma oportunidade de pegar ritmo. Não só o luso-brasileiro, mas outros que ainda não ‘estrearam’ em 2013.

Saudações tricolores!


5 Comentários | Clique aqui para comentar

22/03/2013 11h34

Passarinho, Peter, oposição, Fred e L.A
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Depois de uma vitória sobre o Audax, vamos para o segundo desafio antes de encarar o Grêmio, na Arena, no próximo dia 10. Dessa vez, será o Duque de Caxias e não teremos Fred, Cavalieri e Jean que estão na seleção e nem Thiago Neves que segue machucado. Mas antes de falar desse jogo quero fazer uma rápida análise do último confronto.

Contra o Audax, mas uma vez, foi possível ver que os jogadores do Flu continuam seguindo um rigoroso treinamento físico. Era nítido perceber a lentidão e o corpo pesado devido às musculaturas contraídas. É um risco que corremos devido à tamanha Educação Física. Com ela perdemos TN10 e Wellington Silva e quase a partida de estreia da Taça Rio, devido ao desgaste muscular. Por outro lado, o time no fim do ano vai voar em campo. Como disse, é um risco. Pois o treinamento se tiver sido mal planejado, coisa que não acredito, o time não vai passar das quartas-de-final da L.A. Em compensação, se o título Continental vier, os guerreiros estarão fisicamente muito bem preparados para o Mundial, em Marrocos.

Ainda sobre o Audax, gostei da atuação do time. Devido a tantos desgastes citados a cima o Fluminense atuou bem e venceu, mesmo com Carlinhos e Leandro levando um baile do Hyuri (com H!). Veloz atacante do Audax. Bom jogador.

Contra o Duque de Caxias, amanhã, teremos o retorno de Deco. Resta saber se o futebol arte que nos encantou vai voltar junto com ele. Felipe segue no banco. Na atual conjuntura, uma pena.

Fred ontem vazou a seleção italiana com um simples toque de primeira. Tarefa difícil. Os italianos têm a tradição de jogar com duas linhas de defesa e seus grandes ídolos, normalmente, são os zagueiros. Jean entrou e no primeiro contato com a bola chutou a gol. Se a redonda não tivesse sido desviada poderia ter sido outro gol tricolor. Cavalieri segue com a tradicional calma esperando por uma oportunidade na meta da seleção canarinho.

Essa semana, um grupo do ex-candidato Júlio Bueno apresentou uma queixa em uma delegacia sobre uma suposta fraude nas eleições que elegeram Peter Siemsen como mandatário tricolor por três anos. Como sócio não gosto de me intrometer em políticas. Mas quero deixar o seguinte comentário: Peter tem feito uma administração digna. Em dois anos, dois títulos e grande parte das dívidas herdadas pela antiga presidência estão sendo saneadas. Além disso, ele aumentou significativamente o quadro de sócios do clube, uma das principais receitas. Organizou e profissionalizou o departamento de Futebol com a contratação de Rodrigo Caetano. É notório que ele faz um bom trabalho. Democraticamente falando, acho justo e importante ele sofrer oposição sim. Mas não seria melhor uma proposta de união entre todos em prol do Fluminense? Do jeito que a oposição está agindo, parece mais estar preocupada com os próprios interesses do que no Fluminense. Tal atitude pode desencadear uma crise interna, o que seria péssimo...

Nobres tricolores, continuo batendo na tecla D’Alessandro. O nome dele ainda não saiu dos planos... Sei que muitos colorados querem alvejar o passarinho verde-branco-grená que voa com uma cartola na cabeça.

Saudações tricolores!


6 Comentários | Clique aqui para comentar

15/03/2013 22h47

Rodrigo Caetano x passarinho verde-branco-grená = ?
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Foto: DivulgaçãoComo já havia dito os telefones da redação do SRZD não param. Tudo por conta do passarinho verde-branco-grená. Minha caixa de entrada do e-mail continua entupida. Mas acreditem, nobres tricolores, tem mais gente atrás dessa ave com pedigree. Ninguém mais nem menos que ele, o todo-poderoso diretor executivo de futebol do Fluminense, Rodrigo Caetano. Profissional que sempre elogio nas minhas linhas neste blog, Rodrigo foi atencioso em me ligar na tarde desta sexta-feira para falar sobre a contratação de D’Alessandro.

Fui sondado sobre o passarinho verde-branco-grená, sobre as informações dele, mas fui fiel a minha profissão e não revelei nada sobre o bom de bico. Mas o motivo principal dessa atenção que recebi por parte de Rodrigo Caetano foi o caso D’Alessandro. Segundo Rodrigo Caetano o Fluminense não cogita em se desfazer de Sóbis nem do Wagner. Outra coisa reveladora: ele nega veementemente que o Fluminense esteja negociando no momento com o meia argentino do Internacional, todavia, não negou em MOMENTO ALGUM que D’Alessandro não faz parte do interesse do Fluminense. Nobres tricolores, tirem suas conclusões. É ver pra crer...

Saudações tricolores!


11 Comentários | Clique aqui para comentar

15/03/2013 09h28

D’Alessandro e o passarinho verde-branco-grená
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Pelo mais incrível que possa parecer, minha caixa de entrada do e-mail está lotada, os telefonemas para redação do SRZD não param, tudo por conta do passarinho verde-branco-grená e não pela transferência de D’Alessandro para o Fluminense. Todos querem saber quem é esse pássaro falante. Como jornalista, preservar a fonte é um direito meu. Mas posso adiantar que essa ave pomposa, que fala diversos idiomas e anda com uma cartola na cabeça não costuma errar quando abre o bico.

A negociação segue acelerada e o desfecho está próximo do fim. Claro que as diretorias dos dois clubes trabalham caladas. A do Flu, a exemplo da quase vinda do Conca, nega as negociações. Mas ela veio à tona quando Conca assistiu ao jogo contra o Cruzeiro, ano passado, no Engenhão e só não se confirmou pelo alto valor que o Flu teria que pagar ao clube chinês. A quantia vai virar zero até o fim do ano quando tudo indica o retorno do ídolo.

No caso D’Alessandro é bem diferente e muito mais fácil do que parece. Os caciques do Colorado gostaram da possível chegada de Wagner e Sóbis. Há quem diga que o Dunga foi quem ficou mais feliz com o possível troca-troca. No Fluminense, Abel gostou de poder contar com o D’Ale, porém esbravejou em perder Wagner e o xodó Sóbis. Mas Abel não está podendo apitar muito ultimamente. Com resultados ruins, a insatisfação com o trabalho do treinador é generalizada. Sem contar que o troca-troca vai ser rentável ao clube que deixaria de pagar o salário de um jogador.

A negociação também atrai os jogadores. Tanto Sóbis e Wagner vão ter uma oportunidade de figurarem entre os 11 principais do Inter. D’Alessandro quer ter a chance de disputar outra Libertadores e conquistar o Mundial Interclubes. Além disso, o meia argentino teria a oportunidade de jogar ao lado de outras feras como Fred, Wellington Nem, Jean, Deco, Thiago Neves. Isso atrairia ainda mais os holofotes para D’Ale, o que ajudaria uma possível convocação dele para seleção hermana e quem sabe uma vaga na Copa do Mundo de 2014. Para o passarinho verde-branco-grená o desfecho terá um final feliz para todos.

Saudações tricolores!


17 Comentários | Clique aqui para comentar

13/03/2013 11h39

D’Alessandro a caminho das Laranjeiras - será uma boa?
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Esse ano o rendimento dos meias-armadores do Fluminense estão bem abaixo do esperado. O Fluminense apostou todas as moedas no eterno machucado craque Deco e no Thiago Neves, com isso, deixou escapar o retorno do ídolo Dario Conca, ou mesmo a vinda de Ronaldinho Gaúcho. Mas nem mesmo a atual diretoria confiava tanto nesse meio-campo e por isso, trouxe o Felipe. Jogador que não está sendo aproveitado pelo técnico Abel Braga.

Passado esse início nebuloso de temporada, o tricolor tenta mudar os ares das Laranjeiras. Mas a modificação não passa apenas na retomada vigorosa das atividades físicas dos guerreiros. Atividades essas que parecem ter passado dos limites com a s contusões de Thiago Neves, Wellington Silva e Deco. A lotação do departamento médico ligou o sinal de alerta vermelho no máximo. Dessa maneira, a cúpula do futebol tricolor tenta buscar um reforço de emergência para a criação.

D’Alessandro poderá estar a caminho das Laranjeiras. A contratação seria feita numa troca por Wagner e Rafael Sóbis, eterno ídolo da torcida Colorada. Até onde o passarinho verde-branco-grená me contou, a mudança animou os jogadores envolvidos. Vamos ver se ela vai evoluir no decorrer dessa semana.

Saudações tricolores!


24 Comentários | Clique aqui para comentar

08/03/2013 13h46

Amor ao Flu é maior que decepção com o Abel
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Sempre falo que o amor a um time de futebol é algo extremamente incondicional. Em muitos casos, podendo ser comparado a amores de pai pra filho e por aí vai. Ora, quando o time está bem somos os primeiros a ficarmos felizes. Do mesmo jeito, quando está mal, puxamos a orelha, vaiamos (uma forma de dar bronca), exigimos ao máximo. Mas se o nosso time sofre o pior como perder um campeonato importante, ser rebaixado ao algo assim, nunca o abandonamos.

Seguindo essa linha e analisando o momento nebuloso nas Laranjeiras, passou da hora de entrarmos de braços dados ao campo de guerra. O voto de confiança ou apoio incondicional, como vocês queiram, deve ser a nova palavra de ordem a todos os tricolores. Seja do mais pessimista ao mais vibrante guerreiro.

Episódios recentes e marcantes são a prova que a nossa torcida faz a diferença. O apoio sem fim do quase apocalíptico ano de 2009 à epopéia do tetra em 2010. Antes mesmo. Depois de uma derrota triste no Equador, um espetáculo de paixão no Maracanã e por pouco não ajudamos na conquista do título da Libertadores em 2008. Fora os incríveis mosaicos, recepções calorosas nos aeroportos, todas essas ações são as provas desse amor incondicional da torcida do Fluminense ao tricolor. O maior patrimônio do clube. Afinal, os jogadores, treinadores se vão, mas a torcida fica e ainda se renova.

Com o objetivo único e exclusivo de conquistar ineditamente o Continente percebo que o momento não é para críticas, mas força, aplausos, carinho e vibração. Sempre destaquei os problemas que vejo no time. Mesmo vencendo aponto os destaques negativos para que não sejamos pegos pela surpresa da decepção. Como já disse, não tenho nada pessoalmente contra o Abel, mas as atitudes dele enquanto técnico. Mas nessa conjuntura me vejo mais como tricolor do que como um crítico ao trabalho dele. Quero frisar o meu amor ao FLUMINENSE e destacar que desde já farei uma campanha apoio máximo ao Fluminense. Quero ser campeão da Libertadores desse ano e sei que temos elenco para isso.

Os jogadores precisão de paz e apoio para trabalharem e retomarem o caminho das vitórias, conquistas e finalmente do título da Libertadores da América de 2013. Falta mais de um mês para nossa próxima partida. Só vai ser no dia 10 de abril contra o Grêmio, em Porto Alegre. Até lá teremos cinco jogos na Taça Rio para afinarmos o time e demonstrarmos todo esse apoio. Sei que não é fácil, mas todo sacrifício é válido quando se tem um objetivo.

Saudações tricolores!


5 Comentários | Clique aqui para comentar

07/03/2013 10h36

Não aguento mais o Edinho pereba
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Perna-de-pau, ruim de bola, pereba, são vários nomes que existem para o cara que não sabe jogar bola. E o Edinho é exatamente esse cara. E quais os nomes ou os adjetivos podemos dar para aquele que insiste em escalar o pereba, perna-de-pau deixando o Valência no banco de reservas?

Ontem, o Fluminense dominou o jogo. Deco sem inspiração nenhuma no meio-campo deixou mais uma vez no ar a dúvida: por que o Felipe não tem sido relacionado em nenhum jogo da Libertadores? Por que então o Abel quis a contratação dele?

Thiago Neves fez uma boa partida. O problema é que o Abel preferiu desorganizar o certo. Ele jogou o TN10 pelas pontas, em especial à esquerda. Mas o Thiago é meio-campo e não tem cacoete de ponteiro. Logo, desperdiçou inúmeros cruzamentos. E justamente o ponta nato, Wellington Nem, ele jogou para o meio de campo. Com isso ele destruiu o time.

Ainda assim o Flu era bem superior com Jean fazendo um partidão e o Carlinhos bem em campo, quase uma raridade. Como sempre, Abel preferiu levar sufoco e até daria certo se não tivesse o bonde do Edinho em campo. Levamos o gol por culpa única e exclusivamente dele: Abel. Por ter escalado o Edinho. Este saiu de campo rindo. Devia estar rindo dele mesmo que é uma piada.

Qual o motivo do Abel preferir contar com o jogador que tem nome de marca de chinelo ao invés do Felipe? Por que o Abel jogou o Jean, o mais lúcido do meio-campo, na lateral? Nobres tricolores, elogiei jogadores que estava criticando como TN10 e o Carlinhos. Reconheço que fizemos uma boa partida ontem. Mas não saímos com os três pontos justamente por causa do Abel.

Agora é para diretoria. Aonde vocês diretores do Flu querem chegar? Não se conscientizaram que com o Abel não dá mais? Com ele a Libertadores já era. Vou repetir. Internacional mudou três vezes de treinador durante a Libertadores e mesmo assim conquistou o caneco. O Santos duas e também levou a taça. Por que o Fluminense não pode?

E vocês, nobres tricolores, querem que o Abel continue?

Saudações tricolores!


5 Comentários | Clique aqui para comentar

04/03/2013 14h31

Abel - a cruz que os tricolores carregam
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Eliminados da Taça Guanabara pelo até então, questionável Vasco, seguimos em frente e teremos o confronto de volta contra o Huachipato, no Engenhão. Será a primeira rodada do ‘segundo’ turno da primeira fase. Outro tropeço e o trabalho do semestre poderá ter ido por água abaixo. Não foi por falta de avisos. Tricolores de todas as partes do mundo têm expressado opiniões a respeito da formação do time, falta de zagueiros, péssimas escalações e falta de prioridade em uma competição.

Vamos começar pelo técnico do Fluminense. O tempo dele nas Laranjeiras já deu. O time não tem sequer esquema tático. A falta de sangue nos olhos dos nossos jogadores já é notória. O discurso soberbo do treinador parece ter contaminado um pouco os nossos bravos guerreiros. Ele conquistou sim um Carioca e um Brasileiro para o Fluminense. Mas vamos recordar. No Carioca de 2012 nos classificamos para as semifinais da Taça GB graças ao Vasco. No segundo turno sequer chegamos as semifinais e contra o Botafogo na final... era o Botafogo. No Brasileirão de 2012, poderíamos ter perdido ou mesmo empatado várias partidas. Sempre começando bem nas partidas o Abel acovardava o time que passava o restante do jogo se defendendo de qualquer maneira e sendo salvo sempre por Cavalieri, Fred que além da marcar os gols decisivos, se sacrificava e fazia a função de zagueiro melhor do que os que têm lá e Jean que estava numa grande fase, sem esquecer do Wellington Nem. Jogos contra a Ponte Preta, para servir de exemplo foram vencidos na sorte! Na Libertadores, por contar com a sorte, Abel fez o Flu sofrer um gol no final do jogo e ser prematuramente eliminado.

E nesse ano? A postura vai ser mantida. Isso já sabemos. Essa é a filosofia do Abel. Não vai mudar. Por isso tem que vir outro técnico antes que seja tarde. Santos mudou de técnico duas vezes e venceu a Libertadores. O Inter mudou três vezes e também conquistou o caneco. Não dá para crer num sujeito que ganha uma fortuna e diz que Leandro Eusébio e Gum são os melhores zagueiros do planeta. Não podemos confiar num ‘técnico’ que insiste com um Edinho que se torce todo para dar um passe e na maioria das vezes errado.

Futebol não pode se ganhar só pela camisa. Muitas vezes nem a camisa de um time GIGANTE como o Fluminense segura erros banais. Temos o melhor elenco. Merecemos assistir um time melhor que apresente um futebol leve, ofensivo e acima de tudo bem jogado. E não será com o Abel que isso vai acontecer. Com ele no comando estamos fadados a não conquistar a Libertadores de novo.

Na quarta-feira, vamos mais uma vez esperar que Fred, Nem, Deco e Cavalieri façam a diferença e conquistem esses três preciosos pontos porque até o mais otimista dos tricolores não espera nada de bom que venha do Abel Braga.

Saudações tricolores!


14 Comentários | Clique aqui para comentar

27/02/2013 08h50

Atalho tricolor ao topo do Continente começa no Chile
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Contra o Grêmio até o mais pessimistas dos tricolores ou mais crédulo fiel apreciador do trabalho de Abel Braga acreditaria que entraríamos em campo com força máxima. Mas o treinador resolveu comparar o bicampeão da Libertadores e o time mais copeiro do Brasil ao Caracas da Venezuela quando escalou Wagner e deixou no banco Deco. Pelo menos foi o que ele (Abel) disse no jornal O GLOBO desta terça-feira.

Para o Fluminense vencer a Copa Libertadores desse ano terá que ter algo muito superior a um grande elenco ou mesmo 11 bravos guerreiros. Uma coisa que só os nobres, aristocratas, reis, príncipes e claro São Francisco de Assis podem ter: a humildade. Sem ela não chegaremos a lugar nenhum. Aliados a esse nobre sentimento e filosofia de vida poderemos sim chegar ao topo do Continente mesmo sem esquema tático algum.

Resta saber se o Abel Braga vai se esforçar em tê-la (a humildade) também no coração, atos e palavras. Não importa o adversário. O que importa é respeito. Só assim seremos ,da mesma forma, respeitados nessa complicada e equilibrada competição. Sem desculpas após tropeços ou atuações ruins.

Deco tem que ser titular desde o início. Ele sem condições físicas é melhor que todo restante dos jogadores de meio-campo do Fluminense juntos. Com ele em campo ao lado de Wellington Nem e Fred o tricolor é quase imbatível. Fora das quatro linhas é hora da corrente pra frente tricolor. Seja em casa, no bar, na sede do clube, esquina, nos eventos organizados pela Garra ou GrajaFlu.

Vamos incendiar, mesmo a distância, o coração de cada guerreiro que vai representar na noite desta quarta-feira o nosso pavilhão. Pensamento positivo e palavras de humildade aos secadores de plantão é questão de ordem. Também servem como lição de conduta aquele que insiste nos erros e jamais reconhece os mesmos. Esse é o segredo do sucesso e por que não um atalho até o título da Libertadores.

Saudações tricolores!


8 Comentários | Clique aqui para comentar

25/02/2013 13h18

Chegou o momento da humildade
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

A semana só está começando, mas as incertezas que pairam o ambiente tricolor deixam a torcida inquieta. A primeira delas é o caso Felipe. Como anunciei no início do ano neste blog, não queria que ele fosse contratado, mesmo sabendo que ele é bom de bola quando quer jogar. Mas por que esse jogador não tem sido aproveitado? Na estreia da Libertadores ele não foi relacionado. Nem viajou para Caracas. Ontem, ele entrou no segundo tempo. Deu velocidade e criatividade no meio de campo tricolor (também com o Wagner não dá). Hoje, Felipe não viaja para o Chile para o nosso terceiro confronto. Não dá pra entender.

Há quem diga que Felipe ainda não está 100%. Afinal, ele não fez pré-temporada esse ano. A pergunta é: por que o departamento médico do Fluminense Football Club não se pronuncia? Impressionante. Vale dizer que Felipe sem ritmo e fora de forma joga com uma perna só mais que Rafael Sóbis e Wagner juntos. Com esse silêncio do nosso departamento médico a especulações sobre o caso Felipe não param.

Pra terminar sobre o jogo de ontem, um empate medíocre contra o Madureira, tenho quatro destaques negativos: Abel, Wagner, Edinho e Thiago Neves. Abel porque ele continua sem esquema de jogo. Deixou Felipe e Marco Junior no banco de reservas. Sem contar que mesmo vendo que o Wagner não joga nada, ele insiste com esse jogador, mesmo quando nosso quadro são os reservas. Acho que do Wagner e do Edinho, maior responsável pelo segundo gol que o Flu sofreu, não preciso falar. Já o Thiago Neves... Jogador que quando abre a boca só fala besteira. Cadê a assessoria do Flu? Esse cara não joga nada desde que ele saiu e voltou para o Fluminense na primeira vez. Pior, não tem memória. Falar sobre nossa torcida é de quem não tem memória ou não está satisfeito com o clube. Em 2008, a torcida tricolor deu um show de amor e crédito a um time. Mas ele não lembra. Ela não lembra também como é jogar bem. Pênalti, ele nunca soube cobrar... O destaque positivo vai para Samuel que tem transformado a arte de marcar gols em rotina.

Agora o foco é o Hiachipato. Já estamos na terceira rodada da Libertadores. Jogo duríssimo. Espero que o Abel escale o time que acreditamos que é o titular. Um tropeço lá não terá perdão dessa vez. Sei que esquema tático o Flu não vai apresentar porque desde que o Abel assumiu não tem isso. Mas entrar em campo com sangue nos olhos, principal virtude do time de guerreiros é o que nós esperamos. Chegou a hora da corrente positivista de novo. Esquecermos os erros estúpidos de agora e focarmos na vitória no Chile.

Saudações tricolores!


3 Comentários | Clique aqui para comentar

21/02/2013 13h01

Campanha fora Abel Braga - o rei da glicose-anal
Cristiano Barbosa Lima

Tricolores de coração,

Não é de hoje que falo e escrevo a mesma coisa: o que adianta termos um excelente elenco, que conta com 11 jogadores, sendo que cinco de alto nível, se temos um treinador que insiste em jogar retrancado? No meu blog de ontem ainda disse que por essa mania retranqueira do Abel fomos eliminados da Libertadores e por pouco não perdemos o Brasileiro, ou mesmo não saímos com um empate na primeira rodada com o Caracas.

Não tenho perseguição ao Abel, apenas tenho a certeza que ele é burro. O Fluminense, desde que ele assumiu, nunca teve um esquema de jogo. O time joga com bicos pra frente. Salvo quando jogam juntos Thiago, Deco, Nem e Fred. Aí sim, a bola rola macia. Não porque o Abel acertou um esquema tático, mas pela qualidade técnica dos jogadores citados.

Tudo o que estou falando vocês, nobres tricolores, já estão carecas de saber. A questão apenas é por que a permanência do Abel? Lembram quando terminou o Brasileirão? Ele disse ao vivo que ficaria e no dia seguinte voltou atrás no maior estilo ‘glicose-anal’. Agora chega. Quem tem elenco bom, tem que jogar pra frente. Ele ter deixado o Deco e o Thiago no banco foi de uma inacreditável tolice. Também não entendo a paixão que ele tem pelo Edinho. Se tem o Diguinho por que escalar aquele pangaré manco? E quem é esse Wagner? Fala sério! Fora Abel! Vai fazer glicose-anal no raio que o parta! Volta Renato Gaúcho já!!

Ah, sim. Vamos falar que coisas boas. Convido os tricolores que quiserem debater sobre o nosso Fluzão a darem uma visitada no fluliterário.com. Com belos textos do amigo Valdir Barbosa. Segue o link: http://fluliterario.com/posts-de-guerreiro

Saudações tricolores!


29 Comentários | Clique aqui para comentar