SRZD



Ana Carolina Garcia

Ana Carolina Garcia

CINEMA. Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



07/02/2016 09h44

DGA Awards 2016: Alejandro González Iñárritu vence por 'O Regresso'
Ana Carolina Garcia

Foto: DivulgaçãoNa noite do último sábado, dia 06, o Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos (Directors Guild of America - DGA) realizou a cerimônia de entrega do DGA Awards 2016 no Hyatt Regency Century Plaza em Los Angeles.

Na categoria principal de cinema, o grande vencedor foi Alejandro González Iñárritu por "O Regresso" (The Revenant - 2015), tornando-se o primeiro diretor a vencer o DGA por dois anos consecutivos - em 2015 o mexicano ganhou por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or The Unexpected Virtue of Ignorance - 2014).

Este resultado deixa Iñárritu numa situação bastante confortável na corrida pelo Oscar de melhor direção, pois, assim como acontece em outras premiações de sindicatos, parte dos membros do DGA também integra a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Pictures Arts & Sciences - AMPAS), com direito a voto, o que faz deste prêmio um dos principais termômetros do Oscar.

Contudo, acabou por embolar ainda mais a corrida pelo Oscar de melhor filme, fazendo da cerimônia deste ano uma das mais incertas dos últimos tempos, colocando "O Regresso" entre os favoritos, ao lado de "Spotlight - Segredos Revelados" (Spotlight - 2015), vencedor do SAG Awards de melhor elenco, e "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015), vencedor do PGA Awards de melhor filme (The Darryl F. Zanuck Award).

Indicado na categoria de diretor estreante por "O Lobo Atrás da Porta" (2014), o brasileiro Fernando Coimbra perdeu para Alex Garland por "Ex-Machina: Instinto Artificial" (Ex Machina - 2015), ficção-científica estrelada por Alicia Vikander, Domhnall Gleeson e Oscar Isaac.

A 88a edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles. A cerimônia será apresentada por Chris Rock e transmitida pelo canal por assinatura TNT e pela Rede Globo.

Clique aqui para conferir os indicados de outras categorias.



04/02/2016 02h32

Dica: 'O Regresso'
Ana Carolina Garcia

Chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira, dia 04, o líder de indicações ao Oscar deste ano: "O Regresso" (The Revenant - 2015), protagonizado por Leonardo DiCaprio.

Foto: Divulgação

Baseado em fatos reais e adaptação cinematográfica da obra de Michael Punke, este longa se desenvolve com muita calma para possibilitar ao espectador uma total compreensão de todos os acontecimentos mostrados na tela. É uma obra cinematográfica completa e primorosa em todos os aspectos, da direção ao roteiro, passando pela técnica e pela atuação de todo o elenco, especialmente de Tom Hardy (Fitzgerald) e Leonardo DiCaprio (Hugh Glass), numa atuação que impressiona por tamanha entrega física e emocional, digna do Oscar que ele tem chances reais de vencer no próximo dia 28.

Além disso, pode dar a Alejandro González Iñarritu as estatuetas de melhor filme e direção pelo segundo ano consecutivo - o cineasta venceu no ano passado por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or The Unexpected Virtue of Ignorance - 2014), que lhe rendeu ainda o prêmio de melhor roteiro original.

Fica a dica: corra ao cinema mais próximo e assista "O Regresso"!

Leia também:
- Crítica: 'O Regresso' é primoroso e oferece o melhor trabalho de Leonardo DiCaprio

Confira o trailer oficial:



04/02/2016 02h27

'Zoolander 2': Paramount divulga vídeos com Ben Stiller em diversas cidades
Ana Carolina Garcia

A Paramount Pictures divulgou esta semana vídeos de Ben Stiller promovendo "Zoolander 2" (Idem - 2015) em diversas cidades ao redor do globo, caracterizado como Derek Zoolander. Entre as cidades visitadas estão Paris (França), Sydney (Austrália) e Roma (Itália).

Foto: Divulgação

Em Paris, Stiller visitou a Torre Eiffel e se encontrou com Cara Delevigne, com quem simulou um affair e improvisou uma competição fashion, além de marcar presença nas passarelas da Paris Fashion Week, ao lado de Hansel Stun (Owen Wilson).

Em Roma, a dupla aparece simulando manequins vivos na vitrine da Valentino, atraindo centenas de curiosos. Adepto dos esportes e amante da boa forma, Derek deixa o universp fashion em segundo plano para escalar a Harbour Bridge, em Sydney, e se divertir no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri (Espanha)

Satirizando o mundo da moda, este longa dirigido e roteirizado por Stiller mostra os ex-modelos mais famosos do mundo, Derek Zoolander e Hansel Stun, tentando desvendar quem está por trás dos assassinatos das personalidades mais bonitas do mundo fashion.

O elenco conta ainda com Penélope Cruz (Valentina), Kristen Wiig (Alexanya Atoz), Benedict Cumberbatch (All), Will Ferrell (Mugatu), entre outros.

Sequência de "Zoolander" (Idem - 2001), "Zoolander 2" deve chegar aos cinemas brasileiros no dia 10 de março.

Confira o vídeo de Paris:

Confira o vídeo de Roma:



31/01/2016 01h47

SAG Awards 2016: 'Spotlight - Segredos Revelados' vence o prêmio principal
Ana Carolina Garcia

O Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG) realizou na noite do último sábado, dia 30, a 22a edição da cerimônia de entrega do SAG Awards no Shrine Exposition Center em Los Angeles, Califórnia.

Foto: Divulgação

O grande vencedor da noite foi "Spotlight - Segredos Revelados" (Spotlight - 2015), longa dirigido por Tom McCarthy que conta a história real da equipe do The Boston Globe responsável por investigar e denunciar os casos de violência sexual contra crianças e adolescentes cometidos por clérigos católicos, acobertados por membros da própria Igreja.

O longa derrotou um forte concorrente, vencedor do Producers Guild Awards, prêmio considerado o maior termômetro do Oscar na categoria de melhor filme, "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015). Talvez isto explique a incredulidade de Mark Ruffalo ao subir ao palco do Shrine acompanhado de seus colegas. "Impossível", disse o ator popularmente conhecido como Bruce Banner / Hulk dos filmes da Marvel. Bastante emocionado, Ruffalo continuou falando em nome de todo o elenco e lembrando as vítimas. Em seguida, o ator deu a vez a Michael Keaton que também mencionou as vítimas e finalizou seu discurso dizendo: "sempre estarei do lado da justiça". Este é o segundo ano consecutivo que Keaton integra o elenco vencedor do Actor, pois venceu no ano passado por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or The Unexpected Virtue of Ignorance - 2014).

Ovacionado pela plateia, Leonardo DiCaprio recebeu o prêmio de melhor ator por "O Regresso" (The Revenant - 2015), agradecendo à toda a equipe, frisando que o trabalho não seria possível sem Alejandro González Iñárritu, fortalecendo-se ainda mais na corrida pelo Oscar, pois o SAG Awards é um dos maiores termômetros do Golden Boy nas categorias de atores porque muitos de seus integrantes também são membros com direito a voto da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS). Com isso, pode-se dizer que o Oscar deste ano começou a se delinear nestas categorias, pois os atores que venceram o Actor têm grandes chances no próximo dia 28.

Foto: Divulgação

Levando isto em consideração, a sueca Alicia Vikander sai do Shrine Exposition Center como franca favorita ao Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo belíssimo trabalho em "A Garota Dinamarquesa" (The Danish Girl - 2015), assim como Brie Larson desponta na categoria principal por "O Quarto de Jack" (Room - 2015).

No entanto, o SAG Awards não poderá ser considerado nas predições do prêmio da Academia de melhor ator coadjuvante por dois fatores: primeiro, o favorito da temporada, Sylvester Stallone, não concorreu ao Actor; segundo, porque o vencedor Idris Elba não está entre os indicados ao Oscar, não por racismo, mas por politicagem, uma vez que seu filme, "Beasts of No Nation" (Idem - 2015), é uma produção original Netflix, logo, estreou diretamente na internet, pulando as salas de exibição responsáveis pelo altíssimo lucro que movimenta a indústria hollywoodiana. Ou seja, a AMPAS premiar o Netflix é o mesmo que a indústria aceitar uma mudança de conceito que acarretará uma mudança em toda a estrutura do cinema, especialmente em cifras. Idris Elba também venceu como melhor ator em minissérie / telefilme por "Luther" (Idem - 2010 - 2015). Curiosamente, o ator derrotou Mark Rylance em ambas as categorias. Indicado ao Oscar, Rylance concorria ao SAG Awards por seus desempenhos em cinema por "Ponte dos Espiões" (Bridge of Spies - 2015) e em televisão por "Wolf Hall" (Idem - 2015).

Líder em indicações, "Trumbo: Lista Negra" (Trumbo - 2015) não venceu nenhuma das três categorias a que concorria, melhor elenco, ator para Bryan Cranston e atriz coadjuvante para Helen Mirren. O mesmo aconteceu com o já citado "A Grande Aposta" e com "Straight Outta Compton - A História do N.W.A." (Straight Outta Compton - 2015).

Carol Burnett foi a grande homenageada da noite com o Life Achievement Awards, apresentado por Tina Fey e Amy Poehler. Aos 82 anos de idade, Burnett tem uma sólida carreira na indústria do entretenimento, principalmente na televisão, onde estrelou diversos programas, como por exemplo, o "The Carol Burnett Show" (Idem - 1967 - 1978), que lhe rendeu inúmeros prêmios, entre eles, cinco Globos de Ouro.

Também ovacionada pelos presentes, a comediante foi levada ao palco por Steve Carell. Bastante emocionada, ela contou um pouco de sua própria história, relembrando a infância próxima à Hollywood Boulevard, quando ela e sua avó economizavam para ir ao cinema e das vezes em que costumava visitar/subir no letreiro de Hollywood; bem como de sua dificuldade inicial em conseguir apresentar seu programa de variedades, numa época em que os homens dominavam tais programas.

Ao contrário do esperado, o SAG Awards não se transformou em palco de críticas à falta de diversidade que gerou imensa polêmica após o anúncio dos indicados ao Oscar. Vencedora na categoria de atriz - minissérie / telefilme por "Bessie" (Idem - 2015), Queen Latifah abordou sutilmente o assunto em sua fala na abertura da cerimônia, encerrando-a com "eu sou suficiente", após explicar as críticas e comentários recebidos em início de carreira, como "Você não é branca o suficiente. Você não é homem o suficiente". A atriz Laura Prepon foi a segunda a abordar o tema ao subir ao palco com seus colegas para receber o prêmio de melhor elenco em série de comédia por "Orange is The New Black" (Idem - desde 2013).

Veja a lista completa de vencedores:
Cinema:
Melhor elenco:
- "Spotlight - Segredos Revelados";

Melhor ator:
- Leonardo DiCaprio - "O Regresso";

Melhor atriz:
- Brie Larson - "O Quarto de Jack";

Melhor ator coadjuvante:
- Idris Elba - "Beasts of No Nation";

Melhor atriz coadjuvante:
- Alicia Vikander - "A Garota Dinamarquesa";

 Melhor equipe de dublês:
- "Mad Max: Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road - 2015);

Televisão:
Melhor elenco - drama:
- "Downton Abbey" (Idem - desde 2010);

Melhor elenco - comédia:
- "Orange is The New Black";

Melhor ator - drama:
- Kevin Spacey - "House of Cards" (Idem - desde 2013);

Melhor atriz - drama:
- Viola Davis - "How To Get Away With Murder" (Idem - desde 2014);

Melhor ator - comédia:
- Jeffrey Tambor - "Transparent" (Idem - desde 2014);

Melhor atriz - comédia:
- Uzo Aduba - "Orange is The New Black";

Melhor ator - minissérie / telefilme:
- Idris Elba - "Luther";

Melhor atriz - minissérie / telefilme:
- Queen Latifah - "Bessie";

Melhor equipe de dublês:
- "Game of Thrones" (Idem - desde 2011);

Life Achievement Award:
- Carol Burnett.

Leia também:
- Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações



28/01/2016 22h59

Oscar 2016: Barack Obama fala sobre a polêmica em torno da premiação
Ana Carolina Garcia

A polêmica em torno da lista de indicados ao Oscar que, pelo segundo ano consecutivo não tem nenhum ator negro, está muito longe de acabar e a cada dia que passa gera mais discussão. Isto porque esta questão vai muito além da premiação, que nada mais é do que um reflexo da indústria cinematográfica, desde os executivos de estúdios até o quadro de funcionários, em quaisquer cargos.

Foto: AMPAS (Divulgação)

Diversas personalidades, dentro e fora de Hollywood, têm se manifestado sobre o tema. Os tons dos discursos são diferentes, mas todos têm um denominador comum: a necessidade de inclusão na indústria do entretenimento como um todo, e não somente de negros, como disse Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia em comunicado à imprensa há alguns dias.

E na última quarta-feira, dia 27, foi a vez do Presidente Barack Obama se manifestar sobre esta questão durante uma entrevista concedida à rede americana ABC, destacando o fato de toda esta controvérsia ser uma amostra de um problema muito maior. "Acho que a Califórnia é um exemplo da incrível diversidade deste país. É uma de suas forças. Penso que quando a história de todo mundo é contada acaba criando uma arte melhor, um entretenimento melhor. Faz com que todos se sintam parte de uma família americana. Então, como um todo, acho que a indústria cinematográfica deve fazer como qualquer outra indústria, que é procurar por talentos e oferecer oportunidades para todos. Acho que o debate sobre o Oscar é apenas uma expressão deste problema maior. Estamos garantindo que todos tenham uma oportunidade justa?", disse o presidente.

O comentário de Barack Obama foi feito na mesma semana em que a insatisfação de alguns membros da AMPAS começou a ser divulgada na mídia, afinal, toda a polêmica criada os colocou no olho do furacão, recebendo diversas acusações de racismo. Integrante da Academia, a atriz Penelope Ann Miller manifestou seu incômodo: "Chamar nós todos de racistas é extremamente ofensivo. Eu, por exemplo, votei em negros que acabaram não sendo indicados", afirmou em entrevista ao The Hollywood Reporter.

Não apenas isso, eles também reclamam das medidas criadas por Isaacs para aumentar a diversidade da Academia, consequentemente, da premiação, esquecendo seus atos em prol da instituição. Na última quarta-feira, o The New York Times divulgou o trecho de um e-mail de Sidney Furie, diretor, produtor, roteirista e membro da AMPAS. Aos 82 anos de idade, ele rebateu as acusações lembrando o pioneirismo de sua geração ao dar a um negro o primeiro Oscar de melhor ator em 1964, Sidney Poitier por "Uma Voz nas Sombras" (Lilies of the Field - 1963), e por indicar "No Calor da Noite" (In the Heat of the Night - 1967), também estrelado por Poitier, na categoria de melhor filme em 1968. "Os mesmos que votaram para aqueles prêmios agora estão sendo acusados de serem entraves para a diversidade", disse.

Vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por "Ghost - Do Outro Lado da Vida" (Ghost - 1990), primeira mulher a ser mestre de cerimônias do Oscar (1994, reassumindo o posto em 1996, 1999 e 2002) e confirmada como uma das apresentadoras deste ano, Whoopi Goldberg também opinou sobre o assunto durante o programa "The View" (Idem - desde 1997), ao qual é uma das apresentadoras. Para a atriz, que recebeu sua primeira indicação ao prêmio por "A Cor Púrpura" (The Color Purple - 1985), na categoria principal, a AMPAS não é racista: "Eu ganhei uma vez, por isso não pode ser racista", disse, completando que "esta luta só vai continuar se as pessoas reconhecerem que há um problema. Não apenas durante o Oscar, mas durante o ano. Isso é o que vai fazer a mudança. Não é a Academia, mas nós".

A 88a edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles. A cerimônia será apresentada por Chris Rock e transmitida pelo canal por assinatura TNT e pela Rede Globo.

Leia também:
- Oscar 2016: Variety diz que o problema é de toda a indústria
- Oscar 2016: presidente da AMPAS divulga nota sobre a polêmica das indicações
- Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações



28/01/2016 03h38

Oscar 2016: Variety diz que o problema é de toda a indústria
Ana Carolina Garcia

Uma das mais tradicionais e importantes publicações sobre a indústria do entretenimento, a Variety entrou na polêmica discussão sobre a falta de diversidade no Oscar deste ano, estampando em sua capa uma estatueta branca com a manchete: "Shame on Us", "nossa vergonha", numa tradução livre. Mais do que estampando a vergonha em sua capa, a Variety foca no sistema como um todo, dos estúdios à mídia, assumindo parte da culpa.

Foto: AMPAS (Divulgação)

De fato, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) é apenas o reflexo de uma indústria que pouco tem a oferecer a minorias, não apenas aos negros, pois latinos, por exemplo, também têm poucas oportunidades de bons papeis na capital do cinema.

Personagens interessantes em produções de qualidade existem, mas não são oferecidos com frequência a tais profissionais, que surgem em cena em filmes ou programas de televisão fracos e em papeis estereotipados e/ou marginalizados que não lhes permite mostrar toda a sua competência.

Não há como negar o fato de que ao longo dos anos, as listas de indicados e vencedores são compostas em sua maioria por brancos, em quaisquer categorias, não apenas as destinadas aos atores principais e coadjuvantes. Contudo, fatos importantes em sua história não podem ser desconsiderados, dentre eles, destaco as vitórias de Hattie McDaniel e Sidney Poitier, dois marcos na história do próprio cinema.

Em 1940, a AMPAS rompeu uma barreira social importante ao premiar uma atriz negra, filha de escravos e que não foi convidada a participar da première de seu próprio filme em Atlanta, o que levou seu colega de cena, Clark Gable, a boicotar o evento em apoio a ela. Hattie McDaniel não foi somente a primeira negra a vencer uma estatueta do Oscar, na categoria de melhor atriz coadjuvante por seu memorável trabalho como Mammy em "... E O Vento Levou" (Gone With the Wind - 1939), mas a primeira pessoa negra a participar da cerimônia como convidada. O Golden Boy foi o único prêmio que a atriz recebeu em sua carreira, sendo homenageada com duas estrelas na Calçada da Fama (cinema e rádio) em 1960.

No início dos anos de 1960, a Academia concedeu a Sidney Poitier o Oscar de melhor ator por "Uma Voz nas Sombras" (Lilies of the Field - 1963), esta foi a primeira estatueta da categoria principal a ser entregue a um negro, numa época conturbada e de luta pelos Direitos Civis nos Estados Unidos. O ator já havia sido indicado por "Acorrentados" (The Defiant Ones - 1958) e, em 2002, foi homenageado com um Oscar honorário pelo conjunto da obra e por representar a indústria com dignidade e inteligência.

A AMPAS é uma instituição formada em sua maioria por homens brancos, que elegeram uma mulher negra para presidi-la, Cheryl Boone Isaacs, que anunciou medidas de inclusão na semana passada, ressaltando que a inclusão não pode ser apenas de raça, mas, também, de gênero, etnia e orientação sexual. Em recente entrevista exclusiva ao The Hollywood Reporter, ela disse estar feliz por toda a discussão que o anúncio dos indicados gerou na sociedade americana, bem como na indústria.

Capa do The Hollywood Reporter, outra publicação importante e tradicional sobre o showbusiness, ao lado da CEO da AMPAS, Dawn Hudson, Isaacs disse que a instituição não podia ficar em silêncio diante de toda a polêmica que tomou conta de Hollywood, que provocou anúncios de boicotes de profissionais e críticas ao comediante Chris Rock, por decidir continuar como mestre de cerimônias deste ano. A presidente afirmou ainda à publicação: "Estou recebendo ligações de executivos de estúdios, produtores executivos, agentes, certamente de nossos membros - todos querem saber o que eles podem fazer para ajudar. Você não pode ganhar um Academy Award (Oscar) se o seu filme não receber sinal verde. Você não pode receber um Academy Award se você não estiver em um papel especial em um filme. Então, desde o início isto é sobre oportunidade e inclusão de diferentes vozes".

Este comentário da presidente da Academia remete quase que imediatamente ao discurso de Viola Davis no último Emmy, especialmente no seguinte trecho: "E deixa contar uma coisa para vocês, a única coisa que separa as mulheres negras de qualquer outra pessoa é a oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papeis que não existem", disse a atriz duas vezes indicada ao Oscar, na categoria de coadjuvante por "Dúvida" (Doubt - 2008) e na principal por "Histórias Cruzadas" (The Help - 2011).

Vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu incrível desempenho em "12 Anos de Escravidão" (12 Years a Slave - 2013), Lupita Nyong'o usou sua conta no Instagram para se pronunciar sobre a falta de inclusão deste ano: "Eu estou desapontada pela falta de inclusão entre os indicados desse ano pela Academia. Isso me fez pensar sobre o preconceito inconsciente e quais méritos são prestigiados em nossa cultura. O Oscar não deveria ditar os termos da arte na sociedade moderna, mas sim ser um reflexo diverso do melhor que nossa arte tem a oferecer nos dias de hoje. Eu apoio meus colegas que clamam por uma mudança nas histórias que são contadas e pelo reconhecimento das pessoas que as contam".

A rápida resposta da AMPAS em meio às críticas rendeu elogios à Isaacs, dentre eles, o de Ken Howard, presidente do Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG), que disse: "Eles estão fazendo algumas coisas inteligentes que vão aumentar a inclusão e promover a diversidade. Esse é um bom início".

No entanto, a questão é muito mais complexa, pois mesmo que necessárias, as medidas adotadas por Cheryl Boone Isaacs e por outros membros para diversificar a AMPAS como um todo, não somente em relação aos indicados ao maior prêmio do cinema mundial, terão impacto praticamente nulo se o modus operandi da indústria continuar o mesmo, oferecendo papeis estereotipados e/ou marginalizados a atores fantásticos e que têm muito a nos oferecer, tanto no cinema, quanto na televisão.

A 88a edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles.

Confira as capas da Variety e do The Hollywood Reporter:

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Leia também:
- Oscar 2016: presidente da AMPAS divulga nota sobre a polêmica das indicações
- Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações



24/01/2016 04h56

PGA Awards 2016: 'A Grande Aposta' é o grande vencedor
Ana Carolina Garcia

No último sábado, dia 23, foi realizada a cerimônia de entrega do PGA Awards 2016, no Hyatt Regency Century Plaza Hotel em Los Angeles. E o grande vencedor deste ano foi "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015), de Adam McKay.

Foto: Divulgação

Produzido por Brad Pitt e baseado na obra homônima de Michael Lewis, "A Grande Aposta" surpreendeu por derrotar títulos considerados os queridinhos da temporada de premiações, como "Mad Max - Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road - 2015), "Spotlight - Segredos Revelados" (Spotlight - 2015) e "O Regresso" (The Revenant - 2015), que é o favorito ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS), com 12 indicações.

Concedido pelo Sindicato dos Produtores (Producers Guild of America - PGA), o PGA Awards é considerado um dos maiores termômetros do Oscar na categoria de melhor filme, pois se analisarmos os seus resultados nos últimos anos, perceberemos que boa parte dos vencedores também levou a estatueta do Oscar na categoria principal, o que deixa "A Grande Aposta" numa situação bastante confortável na corrida pelo Golden Boy, prêmio ao qual concorre em cinco categorias: filme, direção para McKay, ator coadjuvante para Christian Bale, roteiro adaptado e montagem.

Se o PGA Awards surpreendeu na categoria principal, o mesmo não pode ser dito dos prêmios de melhor animação e documentário, concedidos aos favoritos das respectivas categorias, "Divertida Mente" (Inside Out - 2015) e "Amy" (Idem - 2015), também favoritos no Oscar.

A 88a edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles. A cerimônia será apresentada por Chris Rock e transmitida pelo canal por assinatura TNT e pela Rede Globo.

Confira a lista dos indicados nas categorias de cinema:
Melhor filme (The Darryl F. Zanuck Award):
- "A Grande Aposta";

Melhor animação:
- "Divertida Mente";

Melhor documentário:
- "Amy".

Leia também:
- Oscar 2016: presidente da AMPAS divulga nota sobre a polêmica das indicações
- Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações



21/01/2016 21h39

'Asterix e o Domínio dos Deuses' tem estreia adiada
Ana Carolina Garcia

Previsto para estrear no dia 04 de fevereiro, "Asterix e o Domínio dos Deuses" (Astérix - Le Domaine des Dieux - 2014) teve sua estreia adiada nos cinemas brasileiros para o dia 17 de março.

Essa co-produção francesa e belga é dirigida por Louis Clichy e mostra o imperador romano Júlio César (voz de Philippe Morier-Genoud) mudando sua estratégia para tentar derrotar os gauleses. Ao invés de atacá-los, lhes apresenta os prazeres da civilização ao ordenar a construção da Terra dos Deuses ao redor da vila, mas Asterix (voz de Roger Carel) e Obelix (voz de Guillaume Briat) não estão dispostos a cooperar com o imperador.

"Asterix e o Domínio dos Deuses" é o primeiro longa da série produzido em animação computadorizada e será exibido em cópias dubladas e legendadas, nos formatos 2D e 3D.

Confira as fotos oficiais do longa:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Assista ao trailer: 



21/01/2016 21h30

'Deus Não Está Morto 2': confira o trailer
Ana Carolina Garcia

Foto: DivulgaçãoA Califórnia Filmes divulgou esta semana o trailer de "Deus Não Está Morto 2" (God's Not Dead 2 - 2015), drama dirigido por Harold Cronk e roteirizado por Chuck Konzelman e Cary Solomon.

Sequência de "Deus Não Está Morto" (God's Not Dead - 2014), o longa mostra uma professora cristã que tem seu emprego ameaçado por falar sobre Jesus Cristo em sala de aula e ser processada pelos pais de uma aluna. Desta forma, Grace (Melissa Joan Hart) deverá decidir entre negar sua fé ou ir a júri para lutar por seu direito à liberdade religiosa.

Este drama também tem em seu elenco nomes como Jesse Metcalfe (Tom Endler), Hayley Orrantia (Brooke Thawley), Ernie Hudson (Juiz Stennis), Robin Givens (diretora Kinney), Sadie Robertson (Marlene), David A.R. White (Reverendo Dave), Fred Dalton Thompson (Pastor), Maria Canals-Barrera (Catherine Thawley) e Ray Wise (Pete Kane).

"Deus Não Está Morto 2" deve estrear nos cinemas brasileiros no dia 07 de abril.

Assista ao trailer oficial:



19/01/2016 23h56

Oscar 2016: presidente da AMPAS divulga nota sobre a polêmica das indicações
Ana Carolina Garcia

Na última quinta-feira, dia 14, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) divulgou a lista de indicados ao Oscar 2016, sem nenhum ator negro como concorrente pelo segundo ano consecutivo, o que gerou protestos na comunidade hollywoodiana.

Foto: AMPAS (Divulgação)

Homenageado com um Oscar honorário em novembro do ano passado, Spike Lee disse que vai boicotar a premiação deste ano, assim como Jada Pinkett Smith, esposa de Will Smith. Na última segunda-feira, dia 18, Lee protestou em sua página do Instagram: "Nós não podemos apoiar isso e eu não quero desrespeitar os meus amigos, o apresentador Chris Rock, o produtor Reggie Hudlin, a presidente Isaacs e a Academia. Mas como é possível pelo segundo ano consecutivo todos os 20 candidatos na categoria de ator serem brancos? E não vamos nem entrar em outros ramos. 40 atores brancos em dois anos e nenhuma personalidade. Não podemos atuar?!", disse o cineasta.

A onda de protestos obrigou a AMPAS a se pronunciar. E, nesta terça-feira, dia 19, a presidente Cheryl Boone Isaacs emitiu o seguinte comunicado à imprensa, destacando que a inclusão não pode ser apenas de raça, mas, também, de gênero, etnia e orientação sexual:

"Gostaria de reconhecer o incrível trabalho dos indicados deste ano. Mas ao mesmo tempo em que celebramos seus feitos extraordinários, estou frustrada e com o coração partido por causa da falta de inclusão. É uma conversa difícil, mas importante, e é tempo de grandes mudanças. A Academia está tomando medidas dramáticas para alterar a face de nossos membros. Nos próximos dias e semanas iremos conduzir uma revisão de nosso processo de recrutamento de novos membros com a intenção de trazer a tão necessária diversidade em nossos escolhidos de 2016 e próximos anos.

Como muitos de vocês sabem, implementamos mudanças para diversificar nossos membros nos últimos quatro anos. Mas os resultados não estão chegando rápido o bastante. Precisamos fazer mais, melhor e mais rápido.

Isso não é algo sem precedentes na Academia. Nos anos 60 e 70, trabalhou-se o recrutamento de membros jovens para manter a entidade vital e relevante. Em 2016, o tema é a inclusão em todas as suas faces: gênero, raça, etnia e orientação sexual. Reconhecemos as preocupações reais em nossa comunidade e eu aprecio todos vocês que me procuraram em nosso esforço de seguir em frente juntos".

No entanto, a raiz deste problema não está na AMPAS, mas na indústria do entretenimento propriamente dita - digo entretenimento porque o mesmo ocorre em produções televisivas. E, neste ponto, é válido ressaltar um trecho do discurso de Spike Lee ao receber seu Oscar honorário: "É mais fácil um negro ser presidente dos Estados Unidos do que ser o presidente de um estúdio". Ou seja, a ausência de atores negros entre os indicados ao Oscar reflete a realidade / posição dos estúdios em não oferecer papeis significativos a profissionais negros que, em sua maioria, acabam por receber personagens estereotipados.

Esta posição da indústria também foi abordada por Viola Davis em setembro do ano passado, quando ela se tornou a primeira negra a vencer o Emmy de melhor atriz, em seu emocionado discurso de agradecimento: "Na minha mente, eu vejo uma linha. E, além dessa linha, eu vejo campos verdes e belas flores e lindas mulheres brancas com os braços esticados para mim, além dessa linha. Mas eu não vejo como chegar lá. Eu não vejo como ultrapassar essa linha. Essa foi Harriet Tubman, no século XIX. E deixa contar uma coisa para vocês, a única coisa que separa as mulheres negras de qualquer outra pessoa é a oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papeis que não existem. Então, esse prêmio vai para todos os roteiristas, essas pessoas maravilhosas que são Ben Sherwood, Paul Lee, Peter Nowalk e Shonda Rhimes. Pessoas que redefiniram o que significa ser bonita, ser sexy, ser protagonista, ser negra. E também para as Taraji P. Hensons, Kerry Washingtons, Halle Berrys, Nicole Beharies, Meagan Goods, Gabrielle Union. Obrigada por nos levar além dessa linha. Obrigada à Television Academy", disse a atriz duas vezes indicada ao Oscar, na categoria de coadjuvante por "Dúvida" (Doubt - 2008) e na principal por "Histórias Cruzadas" (The Help - 2011).

Foto: Divulgação
 
Outro fator que tem fortalecido esta onda de protestos, especialmente nas redes sociais, é a regra para a categoria de melhor filme, que poderia ter até 10 indicados este ano. Porém, tem oito concorrentes, esnobando títulos que estavam aptos a concorrer ao maior prêmio do cinema mundial: "Straight Outta Compton - A História do N.W.A." (Straight Outta Compton - 2015) e "Creed: Nascido Para Lutar" (Creed - 2015). Os longas receberam uma indicação cada, nas respectivas categorias de melhor roteiro original e na de ator coadjuvante, para Sylvester Stallone, considerado franco favorito ao prêmio.

A lista de esnobados pela Academia que circula na internet desde a divulgação da lista dos indicados deste ano também inclui nomes como Michael B. Jordan por "Creed: Nascido Para Lutar", Idris Elba por "Beasts of No Nation" (Idem - 2015) e Will Smith por "Um Homem Entre Gigantes" (Concussion - 2015).

A 88a edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles. A cerimônia será apresentada por Chris Rock e transmitida pelo canal por assinatura TNT e pela Rede Globo.

Leia também:
- Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações



19/01/2016 23h48

Curso de roteiro no Rio
Ana Carolina Garcia

No próximo domingo, dia 24, será realizado no Hotel Copa Sul em Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro, o primeiro módulo do curso de Roteiro Cinema, Séries de TV e Outras Mídias, ministrado pelo escritor e professor Gustavo Martinez.

Sucesso nas últimas quatro edições do Festival do Rio, o curso tem como objetivo capacitar o aluno a desenvolver e analisar um roteiro. Neste primeiro módulo, o tema abordado será "Estrutura do Conflito" e a aula se aprofundará em questões como: percepção da ação, definição dos elementos da ação, princípio do movimento, princípio da unidade de ação, princípio da unidade de oposição e princípio da causalidade.

"O sucesso de saber explorar bem o conflito é o que faz a história hipnotizar o público, faz a pessoa sentir aquela ansiedade sobre o que vai acontecer nas próximas cenas. Ter o domínio sobre essa técnica significa manter a plateia sentada na cadeira, o telespectador grudado no canal e o leitor com aquele gosto de quero mais ao terminar a leitura", explica Martinez, que foi aluno de nomes como Robert McKee, Syd Field, Maria Carmem Barbosa, Denise Crispun, Charles Möeller e Claudio Botelho.

Serviço:
- 1º Módulo - Estrutura do Conflito;
- Data: 24/01/16;
- Horário: 10h às 18h;
- Local: Hotel Copa Sul, Av. Nossa Senhora de Copacabana, 1284 - Copacabana, Rio de Janeiro;
- Telefone: (21) 98390-0274;
- Informações: www.eventick.com.br/mecanismosmodernos;
- Observação: É necessário fazer uma inscrição para cada módulo.



18/01/2016 02h48

Critics' Choice Awards 2016: 'Spotlight: Segredos Revelados' se consagra como melhor filme
Ana Carolina Garcia

Na noite do último domingo, dia 17, a Broadcast Film Critics Association (BFCA) e a Broadcast Television Journalists Association (BTJA) anunciaram os vencedores do Critics' Choice Awards 2016. E, pela primeira vez em sua história, os prêmios de cinema e televisão foram entregues na mesma cerimônia, apresentada pelo comediante T.J. Miller e realizada no The Barker Hangar em Santa Monica, Los Angeles.

Foto: Divulgação

Concorrendo a oito categorias, "Spotlight: Segredos Revelados" (Spotlight - 2015) se consagrou como melhor filme deste ano, levando ainda mais dois prêmios: melhor elenco e roteiro original. O longa de Tom McCarthy sobre a investigação de uma equipe do Boston Globe sobre os casos de pedofilia na Igreja Católica surpreendeu por desbancar, na categoria principal, o grande favorito, "Mad Max: Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road - 2015).

Líder de indicações da 21a edição do Critics' Choice Awards, ao todo foram 13, "Mad Max: Estrada da Fúria" faturou nove prêmios, incluindo o de melhor direção para George Miller e filme de ação, ator em filme de ação para Tom Hardy e atriz em filme de ação para Charlize Theron.

Foto: Divulgação

Um dos grandes favoritos desta temporada, Sylvester Stallone foi ovacionado pela plateia, assim como aconteceu na semana passada na cerimônia do Globo de Ouro, ao receber o seu prêmio de melhor ator coadjuvante por "Creed: Nascido Para Lutar" (Creed - 2015), o sétimo longa da franquia "Rocky", iniciada em 1976. "Nunca entendi realmente os críticos", disse Stallone visivelmente surpreso e feliz no palco.

Christian Bale também foi aplaudido de pé ao receber o prêmio de melhor ator em filme de comédia por "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015), que venceu em mais duas categorias, melhor roteiro adaptado e filme de comédia, este último chamou a atenção pelo discurso de agradecimento do diretor Adam McKay, que o dedicou a todos que perderam suas casas e economias devido à crise econômica de 2008, retratada no longa.

Considerado favorito ao Oscar deste ano, "O Regresso" (The Revenant - 2015) venceu somente dois dos nove prêmios a que concorria, os de melhor fotografia e ator para Leonardo DiCaprio, que não pôde comparecer à cerimônia e teve seu discurso de agradecimento previamente gravado.

"O Quarto de Jack" (Room - 2015) também venceu em duas das quatro categorias a que estava indicado: melhor atriz para Brie Larson e ator jovem para Jacob Tremblay.

A comediante Amy Schumer foi homenageada com o Critics' Choice MVP Award, prêmio que foi entregue pela primeira vez em 2015 (para a atriz Jessica Chastain) e que tem como objetivo homenagear um profissional que se destacou em vários filmes, com desempenhos incríveis, em apenas um ano.

Criado para homenagear quem demonstrou excelência sem precedentes na arte cinematográfica, o Critics' Choice Genius Award foi entregue à Industrial Light & Magic (ILM), empresa criada por George Lucas em 1975, como uma subsidiária da LucasFilm, para que ele pudesse produzir "Guerra nas Estrelas" (Star Wars - 1977), primeiro longa da franquia que se tornou fenômeno mundial - ressaltando que a LucasFilm foi comprada pela Disney em 2012 por aproximadamente US$ 4 bilhões. A homenagem foi apresentada por J.J. Abrams, diretor de "Star Wars - O Despertar da Força" (Star Wars - The Force Awakens - 2015) e coube ao diretor-criativo da ILM, John Knoll, aceitar o prêmio ao lado de BB-8, o grande xodó do novo filme da saga.

O brasileiro "Que Horas Ela Volta?" (2015), dirigido e roteirizado por Anna Muylaert, perdeu o prêmio de melhor filme estrangeiro para o favorito "O Filho de Saul" (Saul Fia - 2015, Hungria). Outras derrotas chamaram a atenção, como as de "Carol" (Idem - 2015) e "Perdido em Marte" (The Martian - 2015), ambos indicados a nove categorias e sem nenhum prêmio.

Confira a lista de vencedores:
Cinema:
Melhor filme:
- "Spotlight - Segredos Revelados";

Melhor ator:
- Leonardo DiCaprio - "O Regresso" (The Revenant - 2015);

Melhor atriz:
- Brie Larson - "O Quarto de Jack";

Melhor ator coadjuvante:
- Sylvester Stallone - "Creed: Nascido Para Lutar";

Melhor atriz coadjuvante:
- Alicia Vikander - "A Garota Dinamarquesa" (The Danish Girl - 2015);

Melhor ator jovem:
- Jacob Tremblay - "O Quarto de Jack";

Melhor elenco:
- "Spotlight - Segredos Revelados";

Melhor direção:
- George Miller - "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor roteiro original:
- "Spotlight - Segredos Revelados";

Melhor roteiro adaptado:
- "A Grande Aposta";

Melhor animação:
- "Divertida Mente" (Inside Out - 2015);

Melhor filme - ação:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor ator em filme de ação:
- Tom Hardy - "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor atriz em filme de ação:
- Charlize Theron - "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor filme - comédia:
- "A Grande Aposta";

Melhor ator em filme de comédia:
- Christian Bale - "A Grande Aposta";

Melhor atriz em filme de comédia:
- Amy Schumer - "Descompensada" (Trainwreck - 2015);

Melhor filme - ficção-científica ou terror:
- "Ex_Machina: Instinto Artificial" (Ex Machina - 2015);

Melhor filme estrangeiro:
- "O Filho de Saul";

Melhor documentário:
- "Amy" (Idem - 2015);

Melhor canção:
- "See You Again" - "Velozes & Furiosos 7" (Furious 7 - 2015);

Melhor trilha Sonora:
- "Os Oito Odiados" (The Hateful Eight - 2015);

Melhor fotografia:
- "O Regresso" (The Revenant - 2015);

Melhor design de produção:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor edição:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor figurino:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor maquiagem e penteado:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Melhor efeitos visuais:
- "Mad Max: Estrada da Fúria";

Televisão:
Melhor série - drama:
- "Mr. Robot" (Idem - desde 2015);

Melhor ator em série - drama:
- Rami Malek - "Mr. Robot";

Melhor atriz em série - drama:
- Carrie Coon - "The Leftovers" (Idem - desde 2014);

Melhor ator coadjuvante em série - drama:
- Christian Slater - "Mr. Robot";

Melhor atriz coadjuvante em série - drama:
- Constance Zimmer - "UnREAL" (Idem - desde 2015);

Melhor participação especial em série - drama:
- Margo Martindale - "The Good Wife" (Idem - desde 2009);

Melhor série - comédia:
- "Master of None" (Idem - desde 2015);

Melhor ator em série - comédia:
- Jeffrey Tambor - "Transparent" (Idem - desde 2014);

Melhor atriz em série - comédia:
- Rachel Bloom - "Crazy Ex-Girlfriend" (Idem - desde 2015);

Melhor ator coadjuvante em série - comédia:
- Andre Braugher - "Brooklyn 9-9" (Idem - desde 2013);

Melhor atriz coadjuvante em série - comédia:
- Mayim Bialik - "The Big Bang Theory" (Idem - desde 2007);

Melhor participação especial em série - comédia:
- Timothy Olyphant - "The Grinder" (Idem - desde 2015);

Melhor telefilme ou minissérie:
- "Fargo" (Idem - 2014);

Melhor ator - telefilme ou minissérie:
- Idris Elba - "Luther" (Idem - 2010 - 2015);

Melhor atriz - telefilme ou minissérie:
- Kirsten Dunst - "Fargo";

Melhor ator coadjuvante em telefilme ou minissérie:
- Jesse Plemons  - "Fargo";

Melhor atriz coadjuvante em telefilme ou minissérie:
- Jean Smart - "Fargo";

Melhor série - animação:
- "BoJack Horseman" (Idem - desde 2014);

Melhor reality show - competição:
- "The Voice" (Idem - desde 2011);

Melhor reality show:
- "Anthony Bourdain: Parts Unknown" (Idem - desde 2013);

Melhor talk show:
- "Last Week Tonight with John Oliver" (Idem - desde 2014);

Melhor apresentador:
- James Lipton - "Inside the Actors Studio" (Idem - desde 1994);

Critics' Choice MVP Award:
- Amy Schumer;

Critics' Choice Genius Award:
- Industrial Light & Magic (ILM).



15/01/2016 19h06

Dica: 'A Grande Aposta'
Ana Carolina Garcia

Produzido por Brad Pitt e baseado na obra homônima de Michael Lewis, "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015) estreou nos cinemas brasileiros na última quinta-feira, dia 14, mesmo dia em que recebeu cinco indicações ao Oscar, nas categorias de melhor filme, direção para Adam McKay, ator coadjuvante para Christian Bale, roteiro adaptado e montagem.

Foto: Divulgação

Este longa acerta ao explorar com simplicidade e objetividade uma história tão complexa como a da grave crise econômica que assolou os Estados Unidos em 2008, refletindo-se em tantos outros países; através de um roteiro muito bem estruturado que utiliza o humor ácido como ferramenta crítica ao mercado financeiro, bem como diversas referências pop numa tentativa de facilitar sua digestão.

Com um elenco que brilha em cena, totalmente entregue aos seus respectivos personagens, este longa é um dos mais instigantes da temporada de premiações e tem tudo para agradar o espectador.

Então, fica a dica: assista "A Grande Aposta"!

Leia também:
- Crítica - 'A Grande Aposta': crítico e instigante

Assista ao trailer oficial:



14/01/2016 16h15

Oscar 2016: 'O Regresso' lidera com 12 indicações
Ana Carolina Garcia

Guillermo Del Toro, Ang Lee, John Krasinski e a presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS), Cheryl Boone Isaacs, anunciaram nesta quinta-feira, dia 14, os indicados ao Oscar 2016.

Foto: Divulgação

E quem lidera a lista este ano é "O Regresso" (The Revenant - 2015), com 12 indicações, inclusive nas categorias principais de melhor filme, ator para Leonardo DiCaprio e direção para Alejandro González Iñárritu, vencedor do ano passado por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or The Unexpected Virtue of Ignorance - 2014). Baseado em fatos reais, "O Regresso" concorre com mais sete longas-metragens na categoria principal, seguido de perto pela ação desenfreada de "Mad Max: Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road - 2015), com 10 indicações, incluindo as de melhor filme e direção para George Miller.

Um dos queridinhos da temporada e motivo de controvérsia por ter sido classificado como comédia pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA), "Perdido em Marte" (The Martian - 2015) concorre a sete categorias, seguido por "Spotlight - Segredos Revelados" (Spotlight - 2015) e "Ponte dos Espiões" (Bridge of Spies - 2015), ambos com seis indicações; "A Grande Aposta" (The Big Short - 2015) com cinco; "O Quarto de Jack" (Room - 2015) com quatro; e "Brooklyn" (Idem - 2015) com três.

Foto: Divulgação

A lista de indicações teve poucas surpresas este ano, nenhuma nas categorias destinadas aos atores. As duas principais surpresas são a ausência de "Carol" (Idem - 2015) nas categorias de filme e direção, bem como a presença de Lenny Abrahamson entre os diretores finalistas por seu trabalho em "O Quarto de Jack" - apesar de concorrer às premiações de outras instituições, Abrahamson não concorreu aos dois grandes termômetros do Oscar: o Globo de Ouro e o DGA Awards.

O Brasil não conseguiu emplacar seu representante a filme estrangeiro, "Que Horas Ela Volta?" (2015), eliminado há algumas semanas, mas está presente na categoria de melhor animação com "O Menino e o Mundo" (2013), de Alê Abreu, que tem de encarar uma concorrência de peso, composta pelo favorito "Divertida Mente" (Inside Out - 2015), "Anomalisa" (Idem - 2015), "Shaun, O Carneiro" (Shaun the Sheep Movie - 2015) e "As Memórias de Marnie" (Omoide no Mânî - 2015).

A 88ª edição do Oscar será realizada no dia 28 de fevereiro no Dolby Theatre, em Los Angeles. A cerimônia será apresentada por Chris Rock e transmitida pelo canal por assinatura TNT e pela Rede Globo.

Confira a lista completa dos indicados ao Oscar 2016:

Melhor filme:
- "Spotlight - Segredos Revelados";
- "O Regresso";
- "O Quarto de Jack";
- "Brooklyn";
- "Ponte dos Espiões";
- "Perdido em Marte";
- "Mad Max - Estrada da Fúria";
- "A Grande Aposta".

Melhor direção:
- Alejandro González Iñárritu - "O Regresso";
- Tom McCarthy - "Spotlight - Segredos Revelados";
- George Miller - "Mad Max: Estrada da Fúria";
- Lenny Abrahamson - "O Quarto de Jack";
- Adam McKay - "A Grande Aposta".

Melhor ator:
- Bryan Cranston - "Trumbo: Lista Negra" (Trumbo - 2015);
- Leonardo DiCaprio - "O Regresso";
- Michael Fassbender - "Steve Jobs" (Idem - 2015);
- Matt Damon - "Perdido em Marte";
- Eddie Redmayne - "A Garota Dinamarquesa" (The Danish Girl - 2015);

Melhor atriz:
- Cate Blanchett - "Carol";
- Brie Larson - "O Quarto de Jack";
- Jennifer Lawrence - "Joy: O Nome do Sucesso" (Joy - 2015);
- Charlotte Rampling - "45 Anos" (45 Years - 2015);
- Saoirse Ronan - "Brooklyn".

Melhor ator coadjuvante:
- Sylvester Stallone - "Creed: Nascido para Lutar" (Creed - 2015);
- Christian Bale - "A Grande Aposta";
- Mark Rylance - "Ponte dos Espiões";
- Tom Hardy - "O Regresso";
- Mark Ruffalo - "Spotlight - Segredos Revelados".

Melhor atriz coadjuvante:
- Rooney Mara - "Carol";
- Alicia Vikander - "A Garota Dinamarquesa";
- Kate Winslet - "Steve Jobs";
- Jennifer Jason Leigh - "Os Oito Odiados" (The Hateful Eight - 2015);
- Rachel McAdams - "Spotlight - Segredos Revelados".

Melhor roteiro original:
- "Ponte dos Espiões" - Matt Charman, Ethan Coen e Joel Coen;
- "Ex_Machina: Instinto Artificial" (Ex Machina - 2015) - Alex Garland;
- "Divertida Mente" - Pete Docter, Meg LeFauve, Josh Cooley e Ronnie del Carmen;
- "Spotlight: Segredos Revelados" - Josh Singer e Tom McCarthy;
- "Straight Outta Compton - A História do N.W.A." (Straight Outta Compton - 2015) - Jonathan Herman e Andrea Berloff.

Melhor roteiro adaptado:
- "A Grande Aposta" - Charles Randolph e Adam McKay;
- "Brooklyn" - Nick Hornby;
- "Carol" - Phyllis Nagy;
- "Perdido em Marte" - Drew Goddard;
- "O Quarto de Jack" - Emma Donoghue.

Melhor animação:
- "Divertida Mente";
- "Anomalisa";
- "As Memórias de Marnie";
- "O Menino e o Mundo";
- "Shaun, O Carneiro".

Melhor filme estrangeiro:
- "Son of Saul" (Saul Fia - 2015, Hungria);
- "Cinco Graças" (Mustang - 2015, Turquia, Qatar, França e Alemanha);
- "O Abraço da Serpente" (El abrazo de la serpiente - 2015, Colômbia);
- "Guerra" (Krigen - 2015, Dinamarca);
- "Theeb" (Idem - 2014, Jordânia).

Melhor fotografia:
- "Carol" - Edward Lachman;
- "Os Oito Odiados" - Robert Richardson;
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - John Seale;
- "Sicario: Terra de Ninguém" (Sicario - 2015) - Roger Deakins.

Melhor edição (montagem):
- "A Grande Aposta" - Hank Corwin;
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - Margaret Sixel;
- "Spotlight: Segredos Revelados" - Tom McArdle;
- "O Regresso" - Stephen Mirrione;
- "Star Wars - O Despertar da Força" (Star Wars - The Force Awakens - 2015) - Maryann Brandon e Mary Jo Markey.

Melhor design de produção:
- "Ponte dos Espiões" - Adam Stockhausen, Rena DeAngelo e Bernhard Henrich;
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - Colin Gibson e Lisa Thompson;
- "Perdido em Marte" - Arthur Max e Celia Bobak;
- "O Regresso" - Jack Fisk e Hamish Purdy;
- "A Garota Dinamarquesa" - Eve Stewart e Michael Standish.

Melhor figurino:
- "Carol" - Sandy Powell;
- "Cinderela" (Cinderella - 2015) - Sandy Powell;
- "A Garota Dinamarquesa" - Paco Delgado;
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - Jenny Beavan;
- "O Regresso" - Jacqueline West.

Melhor maquiagem e cabelo:
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - Lesley Vanderwalt, Elka Wardega e Damian Martin;
- "O Centenário Que Fugiu Pela Janela e Desapareceu" (Hundraåringen som klev ut genom fönstret och försvann - 2013) - Love Larson e Eva Von Bahr;
- "O Regresso" - Sian Grigg, Duncan Jarman e Robert A. Pandini.

Melhor trilha sonora:
- "Carol" - Carter Burwell;
- "Os Oito Odiados" - Ennio Morricone;
- "Sicario: Terra de Ninguém" - Jóhann Jóhannsson;
- "Star Wars - O Despertar da Força" - John Williams;
- "Ponte dos Espiões" - Thomas Newman.

Melhor canção original:
- "Writing's On The Wall" - "007 Contra Spectre" (Spectre - 2015);
- "Earned It" - "Cinquenta Tons de Cinza" (Fifty Shades of Grey - 2015);
- "Manta Ray" - "Racing Extinction" (Idem - 2015);
- "Simple Song #3" - "Youth";
- "Til It Happens To You" - "The Hunting Ground" (Idem - 2015).

Melhor mixagem de som:
- "Ponte dos Espiões" - Andy Nelson, Gary Rydstrom e Drew Kunin;
- "Mad Max - Estrada da Fúria" - Chris Jenkins, Gregg Rudloff e Ben Osmo;
- "Perdido em Marte" - Paul Massey, Mark Taylor e Mac Ruth;
- "O Regresso" - Jon Taylor, Frank A. Montaño, Randy Thom e Chris Duesterdiek;
- "Star Wars - O Despertar da Força" - Andy Nelson, Christopher Scarabosio e Stuart Wilson.

Melhor edição de som:
- "Mad Max - Estrada da Fúria" - Mark A. Mangini e David White;
- "Perdido em Marte" - Oliver Tarney;
- "O Regresso" - Martín Hernández e Lon Bender;
- "Sicario - Terra de Ninguém" - Alan Robert Murray;
- "Star Wars - O Despertar da Força" - Matthew Wood e David Acord.

Melhor efeitos visuais:
- "Ex_Machina: Instinto Artificial" - Andrew Whitehurst, Paul Norris, Mark Williams Ardington e Sara Bennett;
- "Mad Max: Estrada da Fúria" - Andrew Jackson, Tom Wood, Dan Oliver e Andy Williams;
- "Perdido em Marte" - Richard Stammers, Anders Langlands, Chris Lawrence e Steven Warner;
- "O Regresso" - Richard McBride, Matt Shumway, Jason Smith e Cameron Waldbauer;
- "Star Wars - O Despertar da Força" - Roger Guyett, Pat Tubach, Neal Scanlan e Chris Corbould.

Melhor documentário:
- "Amy" (Idem - 2015);
- "Cartel Land" (Idem - 2015);
- "O Peso do Silêncio" (The Look Of Silence - 2015);
- "What Happened, Miss Simone? " (Idem - 2015);
- "Winter on Fire" (Idem - 2015).

Melhor documentário (curta):
- "Body Team 12" (Idem - 2015);
- "War Within the Walls" (Idem - 2015);
- "Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah" (Idem - 2015);
- "A Girl in the River: The Price of Forgiveness" (Idem - 2015);
- "Last Day of Freedom" (Idem - 2015).

Melhor animação (curta):
- "Historia de un oso" (Idem - 2014);
- "Mi ne mozhem zhit bez kosmosa" (Idem - 2014);
- "Prologue" (Idem - 2015);
- "Os Heróis de Sanjay" (Sanjay's Super Team - 2015);
- "World of Tomorrow" (Idem - 2015).

Melhor curta:
- "Ave Maria" (Idem - 2015);
- "Day One" (Idem - 2015);
- "Alles wird gut" (Idem - 2015);
- "Shok" (Idem - 2015);
- "Stutterer" (Idem - 2015).



13/01/2016 22h18

Dica: 'Creed: Nascido Para Lutar'
Ana Carolina Garcia

O sétimo longa da franquia "Rocky", iniciada em 1976, chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira, dia 14, com a promessa de agradar ao público, esteja ele familiarizado ou não com a trajetória de Rocky Balboa (Sylvester Stallone), personagem que assume o posto de coadjuvante em "Creed: Nascido Para Lutar" (Creed - 2015).

Foto: Divulgação

Com ótimo desempenho em cena, que lhe rendeu o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante neste ano, Stallone passa o bastão, ou, melhor dizendo, o cinturão, a Michael B. Jordan. O ator brilha como o protagonista Adonis "Donnie" Johnson, o filho de Apollo Creed (Carl Weathers), assimilando com muita competência as características de Rocky e Apollo.

Dirigido por Ryan Cooler, que também assina o roteiro, ao lado de Aaron Covington, "Creed: Nascido Para Lutar" é uma produção surpreendente e emocionante, capaz de manter o espírito da série e, ao mesmo tempo, lhe conceder o frescor de um novo e impressionante protagonista.

Fica a dica: assista "Creed: Nascido Para Lutar"!

Leia também:
- Crítica - 'Creed: Nascido Para Lutar': Stallone e Jordan esbanjam química em cena

Assista ao trailer oficial: