SRZD



Ana Carolina Garcia

Ana Carolina Garcia

CINEMA. Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



29/04/2016 00h57

Tom Holland, o novo Homem-Aranha
Ana Carolina Garcia

Ao longo dos anos, a Marvel criou diversos personagens interessantes que foram transpostos das HQ's para o cinema. Fato é que nem todos obtiveram o êxito esperado, principalmente no que tange à recepção do público. E o Homem-Aranha é um deles, pois não superou todas as expectativas dos fãs na telona, mesmo nos últimos filmes, estrelados por Andrew Garfield, superiores aos protagonizados por Tobey Maguire.

Foto: Divulgação

De responsabilidade da Sony Pictures, a franquia "Homem-Aranha" (Spider-Man) parece ganhar novos ares por causa do acordo de parceria entre o estúdio e a Marvel, que possibilitou a introdução do personagem ao universo de "Os Vingadores" (The Avengers) através de uma elogiada participação em "Capitão América: Guerra Civil" (Captain America: Civil War - 2016), longa que estreou no Brasil na última quinta-feira, dia 28.

As mudanças em torno do Cabeça de Teia são positivas, uma vez que o acordo prevê que a Marvel seja responsável pelo controle criativo de "Spider-Man: Homecoming" (Idem - 2017), inclusive pela escolha de um novo intérprete para o personagem. A substituição de Garfield por Tom Holland deu certo, pois o jovem esbanja carisma e consegue assimilar com bastante perspicácia as características do personagem, que surge em cena como um adolescente de 15 anos de idade, estudante do ensino médio e fã de Capitão América (Chris Evans), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) e companhia.

Foto: Divulgação

Aos 19 anos de idade e despontando como um dos nomes mais talentosos de sua geração, Holland é um ator versátil que chamou a atenção em produções como "O Impossível" (The Impossible - 2012) e "No Coração do Mar" (In the Heart of the Sea - 2015), foto acima, ao qual contracenou com Chris Hemsworth, o Thor do Universo Cinematográfico da Marvel. Sua participação em "Capitão América: Guerra Civil" não é longa, mas seu desempenho como Peter Parker / Homem-Aranha é um dos destaques do filme e nos dá uma noção sobre as mudanças preparadas para a franquia "Homem-Aranha".

De acordo com o produtor Kevin Feige em entrevista concedida ao Collider há algumas semanas, durante um evento de divulgação de "Capitão América: Guerra Civil", os filmes anteriores não serão levados em consideração e a origem do personagem não será abordada em "Spider-Man: Homecoming". Além disso, o produtor afirmou que o roteiro está sendo desenvolvido e que a equipe está se preparando para filmar "o verdadeiro filme do Homem-Aranha".

Dirigido por Jon Watts e roteirizado por John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein, "Spider-Man: Homecoming" tem lançamento previsto para julho de 2017. Enquanto isso, você pode conferir a atuação de Tom Holland como o herói em "Capitão América: Guerra Civil".

Leia também:
- Dica: 'Capitão América: Guerra Civil'
- Crítica: 'Capitão América: Guerra Civil' é a produção mais madura da Marvel



28/04/2016 21h13

Dica: 'Capitão América: Guerra Civil'
Ana Carolina Garcia

Nesta quinta-feira, dia 28, a longa espera acabou e o público brasileiro já pode conferir "Capitão América: Guerra Civil" (Captain America: Civil War - 2016), produção excelente e empolgante do início ao fim!

Foto: Divulgação

Roteirizado por Christopher Markus e Stephen McFeely, este longa mantém o tom mais sério adotado em "Capitão América 2: O Soldado Invernal" (Captain America: The Winter Soldier - 2014), bem como o nível de qualidade, se diferenciando dos demais lançamentos da Marvel por apresentar uma trama mais madura e também por superá-los em todas as sequências de ação.

Com direção de Anthony e Joe Russo, "Capitão América: Guerra Civil" coloca Steve Rogers / Capitão América (Chris Evans) e Tony Stark / Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) em lados opostos, reunindo alguns dos maiores heróis do Universo Cinematográfico da Marvel de maneira interessante e divertida, mostrando um elenco integrado entre si e com seus respectivos personagens.

Utilizando efeitos visuais e sonoros a favor de sua trama, o longa conta ainda com duas cenas pós-créditos importantes e instigantes, inclusive uma rodada no sul do Brasil, na região das Cataratas do Iguaçu. Então, não levante antes de conferi-las.

Fica a dica: assista "Capitão América: Guerra Civil" e decida de que lado você está!

Leia também:
- Crítica: 'Capitão América: Guerra Civil' é a produção mais madura da Marvel

Assista ao trailer oficial (legendado):



27/04/2016 01h05

Dica: 'Maratona Hitchcock'
Ana Carolina Garcia

Há 36 anos, o cinema perdia um dos maiores gênios de sua história: Alfred Hitchcock. Dono de uma filmografia riquíssima e que contém alguns dos maiores clássicos da cinematografia mundial, o Mestre do Suspense ganhou uma maratona no Telecine Cult nesta sexta-feira, dia 29.

Foto: Divulgação

A maratona de mais de 12 horas conta com sete filmes: "Cortina Rasgada" (Torn Curtain - 1966) às 11h20; "O Homem Que Sabia Demais" (The Man Who Knew Too Much - 1956) às 13h45; "Festim Diabólico" (Rope - 1948) às 16h; "Psicose" (Psycho - 1960) às 17h35; "Os Pássaros" (The Birds - 1963) às 19h40; "Um Corpo Que Cai" (Vertigo - 1958); e "Janela Indiscreta" (Rear Window - 1954) às 0h30. Curiosamente, "Cortina Rasgada" e "O Homem Que Sabia Demais" estão completando 50 e 60 anos, respectivamente.

Perfeccionista e controlador nos sets, dono de uma filmografia interessante e aclamada por muitos, Hitchcock foi ignorado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) durante muitos anos, pois nunca recebeu nenhuma estatueta do Oscar de melhor direção, categoria em que disputou cinco vezes por "Rebecca, A Mulher Inesquecível" (Rebecca - 1940), "Um Barco e Nove Destinos" (Lifeboat - 1944), "Quando Fala o Coração" (Spellbound - 1945), "Janela Indiscreta" e "Psicose".

No entanto, a AMPAS reconheceu seu talento e importância para a sétima-arte concedendo-lhe o Irving G. Thalberg Memorial Award em 1968, prêmio especial que Hitchcock agradeceu de forma bastante sucinta, neste que é considerado o discurso mais rápido da história da Academia - você pode conferir no vídeo abaixo.

A "Maratona Hitchcock" é uma verdadeira aula de cinema e vale muito a pena ser assistida, mesmo que num horário alternativo no Telecine Play, que disponibiliza todos os sete longas-metragens que integram essa programação especial do Telecine Cult.

Assista ao discurso de Hitchcock ao receber o Irving G. Thalberg Memorial Award (oficial e sem legendas):



19/04/2016 02h29

Cinema x smartphone: quem sai perdendo?
Ana Carolina Garcia

Há muitos anos, quando a telefonia celular não era uma realidade no Brasil, as salas de exibição não tinham lugares marcados, o cigarro era permitido e o público era exposto a um verdadeiro "salve-se quem puder", tanto para encontrar um lugar para se acomodar junto de familiares e/ou amigos quanto para que tais assentos não estivessem localizados próximos ao de um fumante. Vários anos se passaram desde então, mas a inconveniência nas salas de exibição permanece firme e forte através de um novo personagem: o smartphone.

Recentemente, uma das maiores redes de cinema dos Estados Unidos, a AMC, se viu em meio a uma polêmica sobre a criação de uma sala ou sessões especiais em que o uso de smartphones seria permitido. Chamadas de "texting-friendly", tais salas ou sessões teriam como público-alvo os jovens que não consideram a hipótese de permanecerem offline por algumas horas. Seja por qual motivo for. Segundo Adam Aron, presidente da rede, à Variety, "não é assim (offline) que eles (jovens) vivem suas vidas". A polêmica que se sucedeu ao anúncio obrigou a AMC a desistir da criação das "texting-friendly" e investir no conforto dos clientes.

Não há como negar que o uso de celulares em salas de exibição é uma realidade incômoda. Isto porque ainda existe uma fatia considerável do público que vai ao cinema para aproveitá-lo em sua plenitude. Ou seja, para prestar atenção no filme e curtir o momento, acompanhado ou sozinho, não importa.

Originalmente criadas como espaços de socialização, as salas de exibição são afetadas diariamente pela falta de bom senso e educação de pessoas que não estão ali em busca do filme em si, mas de uma maneira de postar no Facebook o que estão fazendo no momento - este é um dos exemplos mais comuns do que acontece dentro dos cinemas.

Num mundo em que boa parte das pessoas estabelece uma relação de dependência com seus smartphones e tudo o que eles podem lhes oferecer, a ideia de passar algumas horas sem checar suas redes sociais soa como um absurdo sem precedentes para alguns, especialmente para as gerações mais novas. Mas, não, não é absurdo. Pelo contrário, se "desligar" de vez em quando e se permitir viver o mundo real é muito bom e necessário, principalmente em situações em que o bom senso e o respeito ao próximo têm de prevalecer.

Foto: DivulgaçãoMuito antes da popularização do WhatsApp e de tantas outras redes sociais e aplicativos, tive o desprazer de assistir "Os Descendentes " (The Descendants - 2011), numa  sessão normal de domingo, ao lado de uma pessoa que fez três ligações (sim, ligações!) para dizer aos amigos que o filme era ótimo e que eles precisavam assisti-lo - fato que abordei em um dos meus primeiros textos aqui no blog. Nesta disputa acirrada entre cinema e celular há ainda quem fique com o aparelho em punho para selfies ou simplesmente para gravar o filme que está sendo exibido, algo que é totalmente ilegal.

Numa época em que o acesso aos filmes é banal, devido à popularização de arquivos online, ir ao cinema com o propósito original é válido, mesmo com o elevado preço dos ingressos. Tal como no passado, em que o não-fumante era prejudicado pela atitude de terceiros, hoje, quem deseja relaxar e aproveitar momentos agradáveis no cinema é prejudicado também, pois não há como negar o fato de que a luz oriunda da tela do celular incomoda e dispersa a atenção das pessoas ao redor. Mais do que isso, causa irritação e pode se tornar motivo de discussão.

No entanto, o espectador comum não é o único prejudicado por isto, uma vez que aqueles que pagam o ingresso e não prestam atenção em absolutamente nada do que é exibido na tela do cinema, focando somente na tela do celular, não usufrui de algo pelo qual pagou.

Enfim, pode-se afirmar que todos os que pagam ingresso perdem, independente da postura assumida dentro da sala de exibição.



19/04/2016 02h25

Festival Internacional Pequeno Cineasta 2016: inscrições começam na quarta-feira
Ana Carolina Garcia

A partir desta quarta-feira, dia 20, crianças e adolescentes entre oito e 17 anos de idade poderão se inscrever na 6a edição do Festival Internacional Pequeno Cineasta (FIPC). A inscrição é gratuita e poderá ser feita até o dia 18 de julho no site oficial do evento (www.pequenocineastafest.com.br), que disponibiliza todo o regulamento.

Foto: Divulgação

Criado por Daniela Gracindo em 2010, o FIPC tem como objetivo incentivar a produção audiovisual entre crianças e adolescentes, que deverão entregar um curta-metragem de um a 10 minutos de duração, de temática livre e qualquer gênero cinematográfico, sem a obrigatoriedade de escalar atores da mesma faixa etária, podendo ser estrelados por adultos, desde que reflitam a opinião e o pensamento de seus idealizadores. Os participantes poderão solicitar suporte técnico, mas seus orientadores não estarão autorizados a interferir no processo criativo de tais produções.

Todos os curtas serão avaliados por um júri infanto-juvenil com experiência profissional e submetidos ao voto popular nas competições nacional e internacional, divididas em duas categorias: de 8 a 12 anos e de 13 a 17 anos; sendo que os curtas em competição serão exibidos entre os dias 02 e 06 de novembro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro.

Paralelamente à mostra oficial, o FIPC promove ainda duas mostras não-competitivas: "Sustente sua História" e "Oficina Pequeno Cineasta", que originou o programa "Pequeno Cineasta" exibido pelo Canal Brasil.



19/04/2016 02h19

'Ghost in the Shell': filmagens acontecem na Nova Zelândia
Ana Carolina Garcia

A Paramount e a DreamWorks anunciaram o início das filmagens de "Ghost in the Shell" (Idem - 2017) em Wellington, Nova Zelândia. Baseado na série homônima de mangá Kodansha Comics, escrita e ilustrada por Masamune Shirow, o longa é dirigido por Rupert Sanders e protagonizado por Scarlett Johansson.

Foto: Divulgação 

"Estamos muito satisfeitos por estarmos em Wellington para filmarmos ?Ghost in the Shell?. A cidade ostenta instalações de produção de última geração e uma rica paisagem urbana que a torna um cenário ideal para um filme de ficção científica. A equipe de base da Nova Zelândia, que está trabalhando no filme, é de primeira classe. Trabalhar com Sir Richard Taylor e com a equipe da Weta Workshop é uma inspiração em todos os níveis. As pessoas da Nova Zelândia têm sido parceiras incríveis, nos ajudando a levar esta história e seus adorados personagens para o público de todo o mundo. Estamos muito gratos por sua contínua hospitalidade", disseram os produtores Avi Arad, Michael Costigan e Jeffrey Silver em comunicado oficial à imprensa.

E não são apenas os produtores do longa quem estão felizes com a oportunidade de trabalhar no país, pois autoridades locais estão cientes de como o acordo dos estúdios com a Comissão de Cinema da Nova Zelândia (NZFC), o Turismo da Nova Zelândia (TNZ), a Callagan Innovation e com o Ministério de Negócios, Inovação e Empregos (MBIE) poderá beneficiar o desenvolvimento econômico, cultural e industrial.

"O Turismo da Nova Zelândia está muito entusiasmado em trabalhar pela primeira vez com a Paramount Pictures no filme 'Ghost in the Shell?. O turismo cinematográfico é um elemento importante do trabalho turístico da Nova Zelândia para inspirar as pessoas a visitarem o país. Esperamos com ansiedade por esta nova oportunidade para mostrarmos a Nova Zelândia para o resto do mundo", afirmou o executivo-chefe do Turismo da Nova Zelândia, Kevin Bowler.

O longa acompanha a Major (Johansson), uma híbrida de humano e ciborgue, que lidera uma força-tarefa de elite: a Seção 9. Dedicada a deter os mais perigosos criminosos e extremistas, a Seção 9 enfrenta um inimigo cujo objetivo é exterminar os avanços da Hanka Robotic na tecnologia cibernética.

"Ghost in the Shell" tem lançamento previsto para março de 2017.



14/04/2016 23h51

Dica: 'Mogli - O Menino Lobo'
Ana Carolina Garcia

Uma das estreias desta quinta-feira, dia 14, é "Mogli - O Menino Lobo" (The Jungle Book - 2016), adaptação em live-action do clássico de animação do estúdio Disney, lançado em 1967. Com direção de Jon Favreau, o longa é mais uma pérola desta onda de adaptações do estúdio que, no ano passado, nos brindou com o também excelente "Cinderela" (Cinderella - 2015).

Foto: Divulgação

Baseado na obra "O Livro da Selva", de Rudyard Kipling, este longa é um verdadeiro espetáculo visual, capaz de deixar o espectador boquiaberto com sua bela fotografia, a perfeição dos cenários e, principalmente, dos animais criados em computação gráfica.

Além disso, a produção impressiona no roteiro redondinho de Justin Marks e por escalar um ator tão carismático quanto o personagem, Neel Sethi (Mogli). Estreante em longas-metragens, o jovem ator conquista a plateia já em suas primeiras cenas, concedendo uma veracidade incrível a esta história que transmite a mensagem de como a ação do homem causa tanta destruição em nossas florestas.

Prioritariamente voltado ao público infantil, este live-action tem absolutamente todos os elementos necessários para levar os adultos que cresceram lendo o livro de Kipling e assistindo à animação original, uma nostálgica viagem à infância.

Então, corra para o cinema mais próximo e assista "Mogli - O Menino Lobo"!

Leia também:
- Crítica - 'Mogli - O Menino Lobo': outra excelente adaptação da Disney

Assista ao trailer:



14/04/2016 23h45

Dica: 'Ave, César!'
Ana Carolina Garcia

Sátira ao passado de Hollywood, "Ave, César!" (Hail, Ceaser! - 2016), o novo longa dirigido e roteirizado pelos irmãos Joel e Ethan Coen, é um dos lançamentos desta quinta-feira, dia 14, nos cinemas brasileiros.

 Foto: Divulgação

Durante muitos anos, a indústria do entretenimento sofreu com as imposições dos sistemas de estúdios e estrelas em prol do lucro e da propagação do american way of life. Ou seja, era uma época de muita hipocrisia em que absolutamente tudo o que pudesse ser considerado uma afronta à sociedade era devidamente abafado pelos executivos, que controlavam a todos os seus funcionários, principalmente os atores.

Toda essa fábrica de ilusões é apresentada ao espectador de forma ágil e muito divertida em "Ave, César!", que tenta fazer um pequeno resumo da história de Hollywood através de mais um dia de trabalho de Eddie Mannix (Josh Brolin), executivo da Capitol Pictures que tem de solucionar todo o tipo de problema, inclusive o sequestro de seu maior astro, Baird Whitlock (George Clooney).

Esta produção não é uma obra-prima e não será unanimidade entre o público, mas é uma maneira interessante de se ter uma noção das engrenagens da indústria do entretenimento nos seus anos dourados e nos anos que se seguiram. E de observar que muitas coisas mudaram ao longo dos anos, mas que algumas continuam idênticas. Afinal, qual estúdio quer seus atores envolvidos em escândalos pessoais, especialmente próximos ao lançamento de um filme que é a sua grande aposta?

Então, fica a dica: assista "Ave, César!"!

Leia também:
- Crítica: 'Ave, César!' é uma divertida crítica à Hollywood

Assista ao trailer:



13/04/2016 19h46

'Doutor Estranho': confira o primeiro trailer
Ana Carolina Garcia

A Disney e a Marvel divulgaram nesta quarta-feira, dia 13, o primeiro trailer de "Doutor Estranho" (Doctor Strange - 2016), protagonizado por Benedict Cumberbatch.

Foto: Divulgação

Com direção de Scott Derrickson, o longa conta a história de um neurocirurgião Stephen Strange (Cumberbatch) que, após um terrível acidente de carro, descobre o mundo oculto de magia e dimensões alternativas. 

Criado em 1963, o personagem apareceu pela primeira vez na edição 110 da "Strange Tales" e seu longa-metragem integra a Fase 3 do Universo Cinematográfico Marvel, cujo primeiro longa será "Capitão América: Guerra Civil" (Captain America: Civil War - 2016), que estreia no próximo dia 28.

"Doutor Estranho" chega aos cinemas brasileiros em 03 de novembro e tem em seu elenco nomes como Chiwetel Ejiofor, Rachel McAdams, Michael Stuhlbarg e Tilda Swinton.

Confira o trailer:



13/04/2016 19h21

Warner confirma Ben Affleck na direção de filme solo de Batman
Ana Carolina Garcia

Na última terça-feira, dia 12, a Warner Bros. confirmou Ben Affleck na direção do próximo filme solo do Batman, personagem ao qual é o atual intérprete. O anúncio aconteceu semanas após o estúdio tê-lo confirmado como roteirista do longa.

Foto: Divulgação

Ferozmente criticado pelos fãs ao ser anunciado como Bruce Wayne / Batman em "Batman Vs Superman: A Origem da Justiça" (Batman v Superman: Dawn Of Justice - 2016) há alguns anos, Affleck surpreendeu positivamente na função, o que certamente deixou os executivos da Warner mais confiantes para dar sinal verde ao próximo longa do Homem-Morcego, personagem que também aparecerá em "Esquadrão Suicida" (Suicide Squad - 2016) e nos dois filmes da "Liga da Justiça" (Justice League), previstos para 2017 e 2019, respectivamente.

O anúncio de Affleck na direção e no roteiro deve ser comemorado, uma vez que ele obteve mais êxitos nestas funções do que em frente às câmeras, mesmo mostrando amadurecimento como ator. Neste ponto, vale lembrar o seu Oscar de melhor roteiro original por "Gênio Indomável" (Good Will Hunting - 1997), dividido com Matt Damon, e sua enxurrada de prêmios por "Argo" (Idem - 2012), como o DGA Awards, e a polêmica que sucedeu por não ter sido indicado ao Oscar 2013.

Atualmente, Ben Affleck se divide entre as filmagens de "Liga da Justiça - Parte 1" (Justice League - Part 1 - 2017) e a fase de pós-produção de "Live by Night" (Idem - 2017), suspense policial protagonizado, dirigido e escrito por ele, baseado na obra de Dennis Lehane e com Scott Eastwood e Zoe Saldana no elenco.

Nenhum detalhe sobre o novo longa de Batman foi divulgado, nem mesmo seu título e data de lançamento.



08/04/2016 14h48

Dica: 'Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros' na TV
Ana Carolina Garcia

Uma das grandes surpresas do ano passado e uma das maiores bilheterias da história, aproximadamente US$ 1,67 bilhão em todo o mundo, "Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros" (Jurassic World - 2015) invade a telinha a partir deste sábado, dia 09, às 22h, na sessão "Superestreia" do Telecine Premium.

Foto: Divulgação

No novo longa, o sonho de John Hammond (Richard Attenborough) se concretiza através de outro milionário, Masrani (Irrfan Khan), que transformou a ilha em uma espécie de Walt Disney World dos dinossauros - inclusive, a avenida principal do parque nos remete à Main Street do Magic Kingdom, só que ao invés do castelo da Cinderela, encontramos o Samsung Innovation Center, que abriga o Hammond Creation Lab, onde são realizadas as pesquisas genéticas que possibilitam a criação de novas espécies, como o Indominus Rex (D-Rex), mais perigoso que o T-Rex.

O que Masrani não desconfia é que sua gana por novas atrações, que sejam capazes de manter o interesse do público pelo parque, é alvo de interesses escusos de alguns de seus contratados que veem nos animais uma nova arma de guerra. Em meio a isso, o milionário precisa conter uma crise de proporções ainda maiores que as de Hammond no Jurassic Park, contando com a ajuda de seus funcionários, principalmente Owen Grady (Chris Pratt) e a Dra. Claire Dearing (Bryce Dallas Howard), cujos sobrinhos estão entre os mais de 20 mil visitantes.

Extremamente divertido, este filme impressiona pela escolha de seu carismático protagonista, Chris Pratt, e também em todos os outros aspectos, desde o roteiro até os efeitos visuais e sonoros.

Com produção-executiva de Steven Spielberg e direção de Colin Trevorrow, o longa é uma grande homenagem a "Jurassic Park - Parque dos Dinossauros" (Jurassic Park - 1993), o primeiro filme desta bem sucedida franquia cinematográfica, fazendo inúmeras referências a ele e levando as crianças e adolescentes de outrora a uma deliciosa sessão nostalgia; além, é claro, de apresentar com muita competência o universo baseado na obra homônima de Michael Crichton à nova geração.

Para quem não puder assisti-lo no sábado, o Telecine Pipoca preparou o "Especial Jurassic Park", que exibe todos os filmes da franquia a partir das 13h30 do próximo domingo, dia 10.



08/04/2016 14h42

'Rogue One: Uma História Star Wars': ganha primeiro trailer
Ana Carolina Garcia

A Walt Disney divulgou na última quinta-feira, dia 07, o trailer oficial de "Rogue One: Uma História Star Wars" (Rogue One: A Star Wars Story - 2016), primeiro spin-off da franquia criada por George Lucas em 1977.

Foto: Divulgação

Até agora, pouco foi divulgado sobre este spin-off cuja trama mostra guerreiros rebeldes assumindo a perigosa missão de roubar os planos da Estrela da Morte e tem em seu elenco nomes como Forrest Whitaker, Felicity Jones, Mads Mikkelsen, Diego Luna, Riz Ahmed, entre outros.

Com direção de Gareth Edwards, "Rogue One: Uma História Star Wars" estreia no Brasil em 15 de dezembro.

Assista ao trailer oficial legendado:



07/04/2016 02h38

'O Bom Gigante Amigo': Disney divulga trailer
Ana Carolina Garcia

A Disney divulgou na última quarta-feira, dia 06, o trailer nacional de "O Bom Gigante Amigo" (The BFG - 2016). Classificado como fantasia e aventura, o longa é baseado na obra homônima de Roald Dahl, que completaria 100 anos de idade em setembro.

Foto: Divulgação

Única obra de Dahl que ainda não havia sido adaptada para o cinema, "O Bom Gigante Amigo" conta a história de Sofia (Ruby Barnhill), uma menina órfã que é levada de Londres para a Terra dos Gigantes, onde conhece BGA (Mark Rylance), um gigante de sete metros de altura, bastante gentil e encantador. Logo, os dois se tornam grandes amigos e a menina é apresentada às maravilhas e perigos do local. A improvável dupla tem ainda a responsabilidade de prevenir a Rainha Vitória (Penelope Wilton) sobre os planos de outros gigantes, que desejam tomar as cidades e aterrorizar os humanos.

"O Bom Gigante Amigo" tem como trunfo a antiga parceria entre o cineasta Steven Spielberg e a roteirista Melissa Mathison, responsável pelo clássico "ET - O Extraterrestre" (E.T. the Extra-Terrestrial - 1982).

"Acho que foi genial da parte do Roald Dahl conseguir dotar as crianças de poder, tendo realmente muita coragem de propor essa combinação de luz e trevas - que acaba sendo a marca registrada da Disney em várias outras obras, como 'Dumbo', 'Fantasia', 'Branca de Neve' e 'Cinderela' -, que é, ao mesmo tempo, assustador e redentor, sem deixar de ter uma lição que fica e perdura para todos. É espetacular o que ele fez. Foi uma das coisas que me levou a querer dirigir essa história do Dahl", conta Spielberg.

O diretor também destaca a importância de ser fiel à linguagem de Dahl e a bela mensagem transmitida. "É uma história que fala de amizade, que fala de lealdade e de proteger os amigos, mostrando que mesmo uma garotinha pode ajudar um gigantão a resolver seus maiores problemas", afirma o diretor.

Produzido por Spielberg, Frank Marshall e Sam Mercer, "O Bom Gigante Amigo" chega aos cinemas brasileiros em 28 de julho.

Assista ao trailer:



07/04/2016 02h32

Especial Irmãos Coen no Telecine Cult
Ana Carolina Garcia

Na próxima quinta-feira, dia 14, o novo longa-metragem de Joel e Ethan Coen será lançado nos cinemas brasileiros, mas, enquanto "Ave, César!" (Hail, Caesar! - 2016) não invade as salas de exibição, os fãs da dupla podem aproveitar para rever seus filmes favoritos no "Especial Irmãos Coen", que será exibido no próximo sábado, dia 09, a partir das 16h, no Telecine Cult.

Foto: Divulgação 

O canal por assinatura selecionou cinco títulos da filmografia dos irmãos Coen, oferecendo diversão para todos os gostos. Os filmes são: "Arizona Nunca Mais" (Raising Arizona - 1987), às 16h; "Matadores de Velhinhas" (The Ladykillers - 2004), às 17h45; "Onde os Fracos Não Têm Vez" (No Country for Old Men - 2007), às 19h45; "O Grande Lebowski" (The Big Lebowski - 1998), às 22h; e "Fargo - Uma Comédia de Erros" (Fargo - 1996), à 0h45.

Os filmes selecionados também estão disponíveis para assinantes do canal no Telecine Play.



07/04/2016 02h29

Festival É Tudo Verdade começa nesta quinta-feira
Ana Carolina Garcia

O É Tudo Verdade - 21o Festival Internacional de Documentários começa nesta quinta-feira, dia 07 no Rio de Janeiro e em São Paulo, com a promessa de oferecer ao público documentários nacionais e internacionais de qualidade, divididos entre mostras competitivas, programas especiais e seções informativas.

"É um privilégio apresentarmos uma safra tão excepcional, tanto da produção brasileira, quanto internacional, com a marca muito expressiva de 22 estreias mundiais. Foi um processo de seleção particularmente difícil, devido à alta qualidade e ao recorde de inscrições, superando 1700 títulos dos cinco continentes", afirma Amir Labaki, fundador e diretor do É Tudo Verdade.

O festival também tem a responsabilidade de qualificar seus curtas-metragens vencedores para a corrida pelo Oscar de melhor documentário em curta-metragem, possibilitando sua inscrição para o difícil processo seletivo da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS).

Com entrada franca em todas as sessões, esta edição acontece até o dia 17 e tem como grande homenageado o documentarista Carlos Nader.

Clique aqui para ver a programação completa.