SRZD



Ana Carolina Garcia

Ana Carolina Garcia



* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.CINEMA. Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.



03/03/2015 23h41

Divulgado o título oficial do novo filme de Steven Spielberg e Tom Hanks
Ana Carolina Garcia

Nesta terça-feira, dia 03, a DreamWorks anunciou o título oficial do próximo filme de um de seus fundadores: "Bridge of Spies" (Idem - 2015), a nova parceria entre Steven Spielberg e Tom Hanks. Classificado como drama e suspense, o longa foi rodado na Alemanha e na Polônia e tem lançamento previsto para 15 de outubro.

Foto: Divulgação

Com roteiro de Matt Charman e dos irmãos Joel e Ethan Coen, o longa é baseado em fatos reais e conta a história de James Donovan (Hanks), advogado convocado pela CIA para ajudar numa operação de resgate de um piloto americano na União Soviética, Francis Gary Powers (Austin Stowell), no período da Guerra Fria.

Vale ressaltar que o anúncio foi feito no dia seguinte à confirmação de Jennifer Lawrence como protagonista do próximo filme de guerra dirigido por Steven Spielberg e produzido por Andrew Lazar, um dos produtores de "Sniper Americano" (American Sniper - 2014). O longa, ainda sem título e data de lançamento definidos, é a adaptação cinematográfica de "It’s What I do: A Photographer’s Life Of Love And War", autobiografia de Lynsey Addario, jornalista vencedora do prêmio Pulitzer e que trabalhou como fotógrafa durante a Guerra no Afeganistão, chamada de Guerra Contra o Terror por focar no talibã, após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.



03/03/2015 23h30

‘Vai Que Cola’ ganha adaptação para o cinema
Ana Carolina Garcia

"Vai Que Cola", um dos programas mais populares da TV por assinatura, ganhou uma adaptação para o cinema: "Vai Que Cola - O Filme" (2015). Estrelado pelo comediante Paulo Gustavo, o longa tem direção de César Rodrigues e roteiro de Luiz Noronha e Leandro Soares.

Foto: Divulgação

Na trama, Valdomiro (Paulo Gustavo) perde todo seu dinheiro após se envolver em uma falcatrua na empresa da qual era sócio. Para fugir da polícia, o malandro se muda para a pensão de Dona Jô (Catarina Abdalla), onde passa os dias reclamando da nova realidade de entregador de quentinhas. Quando um ex-sócio o procura com um plano para recuperar sua cobertura de frente para o mar, Valdo se vê com a oportunidade de retornar à antiga vida de luxo, mas não esperava ter que carregar toda a turma do subúrbio com ele. Com a pensão interditada pela defesa civil, Dona Jô, Jéssica (Samantha Schmutz), Máicol (Emiliano D'Avila), Ferdinando (Marcus Majella), Seu Wilson (Fernando Caruso), Velna (Fiorella Mattheis) e Terezinha (Cacau Protássio) se mudam com Valdomiro para o amplo apartamento e prometem causar muita confusão no bairro mais caro do país.

No auge da carreira, Paulo Gustavo ressalta a importância da série televisiva e não poupa elogios á adaptação para a tela grande: "É uma honra fazer o filme ‘Vai Que Cola’. O programa do Multishow mudou minha vida e tenho certeza que esse filme será outro passo importante. O texto está uma delícia, a produção é incrível e o elenco já virou certamente uma família. Eu me divirto muito fazendo e espero divertir muita gente também. Nos encontramos em breve nos cinemas!".

Para César Rodrigues, responsável também pela direção do programa apresentado pelo Multishow, "O desafio agora é ser fiel ao humor livre, libertário e sem freios. Diversão, alegria e uma boa dose de anarquia é o que vamos imprimir no filme".

"Vai Que Cola - O Filme" ainda não tem data de estreia definida, mas deve chegar aos cinemas no segundo semestre deste ano.



03/03/2015 23h25

Confira o trailer e um vídeo de bastidores do novo filme de Caio Blat
Ana Carolina Garcia

No ar como José Pedro na novela "Império", Caio Blat continua conciliando cinema e televisão, tanto que seu próximo filme, "Ponte Aérea" (2015), tem estreia marcada para o próximo dia 26.

Foto: Divulgação

Com direção de Júlia Rezende, o longa conta a história de Bruno (Blat), artista plástico carioca sem nenhuma ambição, que conhece uma jovem publicitária no auge da carreira, após o voo de ambos, na ponte aérea Rio - São Paulo, ser desviado para Belo Horizonte devido a uma tempestade. Os dois se apaixonam rapidamente e passam a enfrentar os desafios de um relacionamento à distância.

"Eles têm uma noite juntos numa coisa ‘amor líquido’ total e daí começa uma relação marcada por essa distância de duas cidades", diz a diretora.

Assista ao vídeo:

Assista ao trailer:



03/03/2015 03h01

‘A Noviça Rebelde’ completa 50 anos
Ana Carolina Garcia

Na última segunda-feira, dia 02, um dos maiores musicais de todos os tempos completou 50 anos: "A Noviça Rebelde" (The Sound of Music - 1965), de Robert Wise. E o aniversário deste clássico jamais poderia passar em branco, tanto que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) o homenageou no Oscar.

Foto: Divulgação

Durante a cerimônia da AMPAS, coube à Lady Gaga a responsabilidade de subir ao palco e apresentar algumas das mais famosas canções do longa, deixando toda sua excentricidade de lado e garantindo elogios de Julie Andrews, a eterna noviça.

Canções como "The Sound of Music", "Do-Re-Mi", "Edelweiss" e "Maria", nos remetem imediatamente à imagem da atriz nas colinas ou nas ruas de Salzburg, Áustria, onde cenas importantes foram rodadas.

Foto: DivulgaçãoNeste ponto, sou obrigada a confessar que mais do que à imagem da atriz e às belas locações, tais músicas me remetem à infância, período ao qual assisti "A Noviça Rebelde" inúmeras vezes. Na verdade, não faço ideia de quantas vezes o assisti, pois é um dos meus musicais favoritos.

Baseado em fatos reais e no livro "The Story of the Trapp Family Singers", o longa conta a história de Maria, uma noviça incapaz de se adequar às regras do convento e que é enviada à casa do Capitão Von Trapp (Christopher Plummer) para cuidar de sete crianças indisciplinadas, apesar da rigidez do pai. Aos poucos, Maria não apenas conquista a confiança das crianças, mas também o amor do Capitão, noivo de uma baronesa. Em meio a isso, o regime nazista cresce na Áustria e o Capitão é convocado para servir ao Terceiro Reich, deixando-o desesperado e disposto a abandonar sua casa e país.

Equilibrando drama, romance e comédia, o longa é capaz de encantar pessoas de todas as idades devido à sua leveza e ao carisma de seu elenco, especialmente ao de Julie Andrews. Com uma atuação primorosa, a atriz conquista o espectador logo nos primeiros minutos. Por esta razão, não é exagero algum afirmar que mesmo que daqui a alguns anos este filme ganhe um remake, não haverá Maria igual ou melhor que Andrews, pois sua atuação é insuperável e entrou para a história do cinema.

Foto: Divulgação

Além disso, o longa também não decepciona nos quesitos técnicos, pois apresenta um roteiro estruturado e desenvolvido com muito esmero; fotografia e direção de arte belíssimas; montagem competente; a direção firme de Wise; e, óbvio, uma trilha sonora inesquecível.

Enfim, elogiar esta produção é muito fácil, então é melhor parar por aqui antes que escreva umas 10 laudas. Mas não sem antes dar uma dica: se você nunca assistiu "A Noviça Rebelde", assista-o o quanto antes!

*Vencedor de cinco estatuetas do Oscar, nas categorias de melhor filme, direção, edição, trilha sonora e som. Indicado também nas de atriz para Andrews, atriz coadjuvante para Peggy Wood (Madre Abbess), fotografia colorida, direção de arte colorida e figurino colorido.

Leia também:

- Oscar 2015: ‘Birdman’ derrota ‘Boyhood’


1 Comentários | Clique aqui para comentar

01/03/2015 23h55

Confira os novos cartazes oficiais de ‘Vingadores: A Era de Ultron’
Ana Carolina Garcia

Após anunciarem que a estreia de "Vingadores: A Era de Ultron" (Avengers: Age of Ultron - 2015) foi antecipada para o dia 23 de abril, a Disney e a Marvel divulgaram cinco novos cartazes oficiais do longa dirigido e roteirizado por Joss Whedon. Um dos pôsteres mostra todos os personagens reunidos, enquanto que os outros quatro são individuais do Thor, Homem de Ferro, Nick Fury e Viúva Negra.

Foto: Divulgação

Esta continuação de "Os Vingadores" (The Avengers - 2012), mostra Tony Stark / Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) tentando alavancar um programa de paz virtual, mas as coisas não saem como o planejado e ele precisa se reunir com seus amigos para enfrentar um vilão tecnológico obcecado em destruir a humanidade, Ultron (voz de James Spader). Além disso, os Vingadores reencontram um velho amigo, Jarvis / Visão (Paul Bettany) e precisam enfrentar dois novatos bastante misteriosos, Wanda Maximoff / Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) e Pietro Maximoff / Mercúrio (Aaron Taylor-Johnson).

No elenco também estão Chris Evans (Steve Rogers / Capitão América), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Bruce Banner / Hulk), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff / Viúva Negra), Jeremy Renner (Clint Barton / Gavião Arqueiro) e Samuel L. Jackson (Nick Fury), entre outros.

Leia também:

- Marvel divulga trailer oficial de ‘Os Vingadores 2: A Era de Ultron’

Confira os cartazes:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Assista ao trailer oficial:



23/02/2015 04h51

Oscar 2015: ‘Birdman’ derrota ‘Boyhood’
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) realizou na noite do último domingo, dia 22, a 87a cerimônia de entrega do Oscar, no Dolby Theatre em Los Angeles. E o grande vencedor foi "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014), que levou quatro das nove estatuetas a que concorria, inclusive de melhor filme.

Foto: Divulgação (Mark Suban / ©A.M.P.A.S.)O longa de Alejandro González Iñarritu era o centro das atenções desta edição do Oscar porque protagonizou os maiores momentos de suspense da noite, nos embates nas categorias de filme, direção e ator. Como disse acima, "Birdman" venceu a categoria principal, derrotando "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), filme considerado o queridinho da temporada e franco favorito ao prêmio da AMPAS, mas que levou somente uma estatueta, a de atriz coadjuvante para Patricia Arquette.

Além disso, "Boyhood" foi derrotado mais duas vezes por "Birdman", nas categorias de melhor direção e roteiro original, algo que começou a se delinear nas últimas semanas quando o filme de Richard Linklater perdeu em premiações consideradas indicativos do Oscar, principalmente as dos sindicatos, conforme comentei nos últimos dias no Especial Oscar 2015.

Iñarritu não escondeu sua felicidade em nenhuma das três vezes que subiu ao palco para receber suas estatuetas, mas sempre enaltecendo sua equipe e elenco, principalmente Michael Keaton, dizendo que o filme não seria o mesmo sem ele, inclusive brincando ao dizer que estava usando a cueca do ator para dar sorte (ao receber o prêmio de direção).

Foto: Divulgação (Mark Suban / ©A.M.P.A.S.)

A maioria das instituições escolheu Michael Keaton por sua genialidade em "Birdman", uma interpretação memorável e que já faz parte da história do cinema americano; contudo, o veterano perdeu no SAG Awards para Eddie Redmayne, numa atuação fraca, baseada em imitação física, mas desprovida de aprofundamento psicológico do personagem, ninguém menos que Stephen Hawking. O que tornava impossível fazer qualquer predição nesta categoria, cuja estatueta acabou com Redmayne.

Foto: DivulgaçãoNem sempre os resultados do SAG Awards se repetem no Oscar, mas, assim como no último ano, todos os atores que receberam o Actor faturaram o Golden Boy. Além de Redmayne por "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014), Julianne Moore, Patricia Arquette e J.K. Simmons saíram do Dolby Theatre com suas respectivas estatuetas de atriz, atriz coadjuvante e ator coadjuvante.

Apresentada por Neil Patrick Harris, a cerimônia foi marcada pela agilidade e modernidade em uma nova tentativa de atrair o público mais jovem, mesmo mantendo o tradicionalismo da AMPAS, e teve a melhor abertura dos últimos anos com um número musical estrelado por ele, Anna Kendrick e Jack Black, homenageando clássicos do cinema.

As apresentações musicais chamaram bastante atenção, especialmente a de John Legend e Common por "Glory", de "Selma: Uma Luta Pela Igualdade" (Selma - 2014), que levou muitos dos presentes às lágrimas, inclusive David Oyelowo e Chris Pine. Outra performance que se destacou, mesmo que inimaginável, foi a de Lady Gaga durante a homenagem aos 50 anos de "A Noviça Rebelde" (The Sound of Music - 1965), apresentada por Scarlett Johansson. Aplaudida de pé, Gaga saiu emocionada do palco, não sem antes chamar a eterna noviça, Julie Andrews.

É necessário ressaltar que Harris se saiu muito bem como mestre de cerimônias e arrancou gargalhadas da plateia diversas vezes, algo que há muito tempo não acontecia com tanta espontaneidade. Em uma das vezes, o ator "recriou" uma cena famosa de "Birdman", saindo do backstage até o palco de cueca enquanto Miles Teller, de "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014), tocava bateria.

Foto: Divulgação (Michael Yada / ©A.M.P.A.S.)

Porém, o que o público brasileiro mais aguardava era o resultado de melhor documentário, uma vez que "O Sal da Terra" (The Salt of the Earth - 2014) estava entre os indicados. Dirigido por Win Wenders e Juliano Salgado, o longa sobre Sebastião Salgado perdeu para "Citizenfour" (Idem - 2014), o grande favorito da categoria devido ao assunto abordado e sua figura principal, Edward Snowden.

Como era de se esperar, o Oscar deste ano foi bastante dividido e nenhum dos indicados a melhor filme saiu de "mãos" vazias. Líder de indicações, nove ao todo, assim como "Birdman", "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel - 2014) também faturou quatro estatuetas, seguido por "Whiplash" com três. Todos os outros receberam uma estatueta.

Uma das poucas surpresas foi a vitória de "Operação Big Hero" (Big Hero 6 - 2014) sobre "Como Treinar o Seu Dragão 2" (How to Train Your Dragon 2 - 2014), o preferido da categoria de animação, em mais uma disputa direta entre os departamentos de animação da Disney e da DreamWorks. Sendo que o estúdio do Mickey ainda faturou a estatueta de curta de animação por "O Banquete" (Feast - 2014), exibido no início das sessões de "Operação Big Hero".

Confira a lista completa dos vencedores do Oscar 2015:

Melhor filme:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014);

Melhor direção:

- Alejandro González Iñárritu - "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)";

Melhor ator:

- Eddie Redmayne - "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014);

Melhor atriz:

- Julianne Moore - "Para Sempre Alice" (Still Alice - 2014);

Melhor ator coadjuvante:

- J.K. Simmons - "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014);

Melhor atriz coadjuvante:

- Patricia Arquette - "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014);

Melhor roteiro original:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" - Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris e Armando Bo;

Melhor roteiro adaptado:

- "O Jogo da Imitação" - Graham Moore;

Melhor animação:

- "Operação Big Hero" (Big Hero 6 - 2014);

Melhor filme estrangeiro:

- "Ida" (Idem - 2013, Polônia);

Melhor fotografia:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" - Emmanuel Lubezki;

Melhor edição (montagem):

- "Whiplash: Em Busca da Perfeição" - Tom Cross;

Melhor design de produção:

- "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel - 2014);

Melhor figurino:

- "O Grande Hotel Budapeste" - Milena Canonero;

Melhor maquiagem e cabelo:

- "O Grande Hotel Budapeste" - Frances Hannon e Mark Coulier;

Melhor trilha sonora:

- "O Grande Hotel Budapeste" - Alexandre Desplat;

Melhor canção original:

- "Glory" - "Selma: Uma Luta Pela Igualdade" (Selma - 2014), John Legend e Common;

Melhor mixagem de som:

- "Whiplash: Em Busca da Perfeição";

Melhor edição de som:

- "Sniper Americano" (American Sniper - 2014);

Melhor efeitos visuais:

- "Interestelar" (Interestellar - 2014);

Melhor documentário:

- "Citizenfour" (Idem - 2014);

Melhor documentário (curta):

- "Crisis Hotline: Veterans Press 1" (Idem - 2013);

Melhor animação (curta):

- "O Banquete" (Feast - 2014);

Melhor curta:

- "The Phone Call" (Idem - 2014).

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor filme

*Créditos das fotos divulgadas pela Academia: Patricia Arquette (Mark Suban / ©A.M.P.A.S.), Michael Keaton e Alejandro González Iñarritu (Mark Suban / ©A.M.P.A.S.) e Neil Patrick Harris (Michael Yada / ©A.M.P.A.S.).


1 Comentários | Clique aqui para comentar

22/02/2015 01h45

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor filme
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)Este ano, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) selecionou oito longas-metragens para disputar o Oscar da categoria principal, a de melhor filme - sendo que quatro deles são baseados em fatos reais.

Os filmes indicados ao Oscar 2015 são: "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014), "Sniper Americano" (American Sniper - 2014), "Boyhood - Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), "Selma: Uma Luta Pela Igualdade" (Selma - 2014), "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014), "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014), "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel - 2014) e "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014).

Com mais de 154 prêmios recebidos ao longo desta temporada e um dos recordistas de indicações ao Oscar deste ano, nove ao todo, "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" é uma obra-prima que equilibra humor negro de primeiríssima qualidade com sequências dramáticas tensas, fazendo uma crítica aberta tanto à Hollywood quanto à Broadway; através de um roteiro estruturado de forma primorosa, recheado de diálogos sarcásticos e inteligentes, sem perder o ritmo ágil da narrativa em nenhum instante. Além disso, o longa chama a atenção do espectador pela bela fotografia, montagem muito competente, trilha sonora incrível e seu elenco espetacular, encabeçado por Michael Keaton e sua atuação genial, isso para dizer o mínimo.

Foto: Divulgação

"Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" era o franco favorito ao prêmio antes do início da temporada de premiações, quando perdeu o Globo de Ouro de melhor filme - comédia / musical para "O Grande Hotel Budapeste", que também soma nove indicações ao Golden Boy. Concedido pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA), o Globo de Ouro é um grande indicativo do Oscar e uma derrota significa um baque na campanha pelo Golden Boy. Contudo, o longa dirigido pelo mexicano Alejandro González Iñarritu ganhou fôlego na reta final ao vencer o PGA Awards, concedido pelo Producers Guild of America (PGA), o Sindicato dos Produtores dos Estados Unidos, outro grande termômetro da categoria de melhor filme. Além disso, venceu a categoria principal do SAG Awards, a de melhor elenco, concedido pelo Screen Actors Guild (SAG). Com isso, tornou-se uma ameaça real a "Boyhood - Da Infância à Juventude", seu principal oponente.

Também com mais de 140 prêmios recebidos e com seis indicações ao Oscar, "Boyhood - Da Infância à Juventude" é considerado o "queridinho" desta temporada. Isso se deve principalmente ao fato de ter sido rodado ao longo de 12 anos, seu maior chamariz publicitário. De fato, o longa de Richard Linklater é excelente e encanta pela naturalidade com a qual mostra o crescimento do protagonista, alicerçado por um roteiro coeso e desenvolvido com bastante perspicácia, recheado de diálogos simples e apropriados para cada fase dos personagens; bem como à montagem eficiente. Porém, passaria despercebido, como tantos outros dramas excelentes, se Linklater não ousasse no tempo de duração das filmagens.

Foto: Divulgação

"Boyhood - Da Infância à Juventude" é um forte candidato à estatueta porque venceu o Globo de Ouro de melhor filme - drama, mas seu favoritismo foi abalado desde a vitória de "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" no PGA Awards, citada anteriormente.

Com mais de 80 prêmios, "O Grande Hotel Budapeste" não é o favorito à estatueta nem o melhor filme na disputa, mas não pode ser ignorado porque faturou o Globo de Ouro. O longa de Wes Anderson tem qualidades inegáveis, como direção de arte, fotografia, montagem, caracterização dos personagens, figurinos e uma trama bem construída, mas que se torna cansativa ao apelar para um tom quase de comédia pastelão, recheado de situações previsíveis.

Com mais de 65 prêmios e cinco indicações ao Oscar, "Whiplash: Em Busca da Perfeição" é excelente e uma das grandes surpresas do ano. Visualmente bonito e com uma trilha sonora que é, de fato, perfeita, o longa nos impressiona pela força de seu elenco e roteiro, redondinho e que prima pela coerência, desenvolvendo a narrativa de forma simples e agradável, mas sem deixar a tensão da trama em segundo plano.

Com poucos prêmios na bagagem, oito até agora, e seis indicações ao Oscar, "Sniper Americano" é considerado um dos azarões desta temporada, mas pode surpreender por causa de seu forte apelo junto ao público, pois já faturou mais do que todos os outros indicados juntos, mais de US$ 300 milhões em bilheterias apenas nos Estados Unidos, e, portanto, não pode ser ignorado nesta disputa.

Foto: Divulgação

Devido ao conteúdo violento e político, o longa de Clint Eastwood não agradará a todos, mas é uma obra impecável, extremamente tenso e brutal e que mostra os efeitos psicológicos de um cenário de guerra na vida de um homem que tinha pouco tempo para tomar uma decisão importante em meio ao caos, tendo como maior arrependimento o fato de não conseguir salvar alguns de seus companheiros em meio às batalhas, expondo toda a sua família ao seu trauma e estresse. Sem dúvida alguma, o melhor filme já lançado sobre a Guerra do Iraque.

Com mais prêmios que "Sniper Americano", cerca de 40, "O Jogo da Imitação" é um filme que não se arrisca em absolutamente nada visando prêmios. Com roteiro coeso, o longa se desenvolve quase que didaticamente para que o espectador possa ter melhor compreensão do que é mostrado na tela grande. Com boa atuação de Benedict Cumberbatch, o filme de Morten Tyldum tem poucas chances na corrida pelo Oscar, mas tem o "fator Weinstein" a seu favor, uma vez que tem o respaldo da The Weinstein Company, de Bob e Harvey Weisntein, conhecidos pelo investimento pesado em propaganda nesta época do ano, o que no passado deu resultado, vide a vitória de "Shakespeare Apaixonado" (Shakespeare in Love - 1998) sobre "O Resgate do Soldado Ryan" (Saving Private Ryan - 1998), ainda nos tempos da Miramax.

Com mais de 30 prêmios até agora e duas indicações ao Oscar, "Selma: Uma Luta Pela Igualdade" é um bom filme que retrata de forma bastante crua toda humilhação e barbárie enfrentadas pela comunidade negra durante a luta pela igualdade dos direitos civis nos Estados Unidos, mas que também não se arrisca em nenhum momento com o evidente propósito de conquistar prêmios nesta temporada, chamando a atenção pela qualidade de seu elenco entrosado e competente, ao qual se destaca David Oyelowo.

Com pouco mais de 20 prêmios e cinco indicações ao Oscar, "A Teoria de Tudo" é um filme de premissa interessante, não há nenhuma dúvida quanto a isso, mas que pecou por seguir uma abordagem extremamente convencional e por romancear demais a trajetória de Hawking, também com o provável objetivo de obter bons resultados em premiações, especialmente na da AMPAS. É o pior longa da disputa, principalmente no que diz respeito a roteiro e atuações, apesar do favoritismo de Eddie Redmayne, num trabalho de imitação que aposta mais no esforço físico do que na composição psicológica do personagem.

Pelos motivos citados acima, pode-se dizer que o grande embate do Oscar nesta categoria será entre "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" e "Boyhood - Da Infância à Juventude". É muito provável que um deles vença a estatueta, sendo que no cenário atual o primeiro encontra-se numa situação mais confortável devido ao resultado do PGA Awards. Obviamente, a possibilidade de perderem existe, mas é mínima e a AMPAS não costuma surpreender com seus vencedores. Em seu encalço estão "Sniper Americano", "O Grande Hotel Budapeste" e "Whiplash: Em Busca da Perfeição", com "Selma: Uma Luta Pela Igualdade", "O Jogo da Imitação" e "A Teoria de Tudo" correndo por fora.

Conheça os indicados:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Alejandro González Iñarritu.

Sinopse: Precursor dos intérpretes de super-heróis da atualidade, Riggan Thomson (Michael Keaton) vive à sombra de Birdman, personagem que o deixou famoso, mas também o grande responsável pela estagnação de sua carreira após a recusa em estrelar o quarto filme da popular série. Desesperado para recuperar seu prestígio, Thomson decide dirigir, protagonizar e roteirizar uma peça na Broadway, enfrentando diversos problemas no processo e tendo de lutar contra o "fantasma" de Birdman, que lhe atormenta diariamente.

Recebeu nove indicações ao Oscar: Melhor filme, direção, ator para Michael Keaton, ator coadjuvante para Edward Norton, atriz coadjuvante para Emma Stone, roteiro original, fotografia, mixagem de som e edição e som.

Prêmios já recebidos: o Globo de Ouro de melhor ator - comédia / musical para Michael Keaton e roteiro; o BAFTA Film Award da British Academy Of Film And Television Arts de fotografia; o SAG Award de elenco; o AFI Award da AFI Award de filme do ano; o AAFCA Award da African-American Film Critics Association (AAFCA) de Top 10 Films - 4th Place; o EDA Award da Alliance of Women Film Journalists de melhor ator para Keaton, roteiro original, elenco - empate com "O Grande Hotel Budapeste" -, edição, fotografia e trilha sonora; o ASC Award da American Society of Cinematographers de melhor fotografia; o Excellence in Production Design Award do Art Directors Guild de filme contemporâneo; o Austin Film Critics Award da Austin Film Critics Association de fotografia, trilha sonora e trilha sonora original; o AACTA International Award do Australian Film Institute de filme, direção, ator para Keaton e roteiro; o ACCA da Awards Circuit Community Awards de filme, ator para Keaton, elenco, roteiro original e fotografia, ficando em segundo lugar de direção, ator coadjuvante para Norton, atriz coadjuvante para Stone, edição e trilha sonora original; o BOFCA Award da Boston Online Film Critics Association de direção, elenco, ator coadjuvante para Norton, fotografia e 10 melhores filmes do ano; o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards de ator para Keaton, atriz coadjuvante para Stone, roteiro - empate com "Boyhood - Da Infância à Juventude" - e fotografia; o Critics Choice Award da Broadcast Film Critics Association Awards de melhor ator e ator de comédia para Keaton, roteiro original, fotografia, elenco, edição e trilha sonora; o Capri Visionary Movie Award do Capri, Hollywood; o COFCA Award da Central Ohio Film Critics Association no segundo lugar de ator para Keaton - empate com Jake Gyllenhaal por "O Abutre" (Nightcrawler - 2014) -, edição e elenco - empate com "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014); o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards de ator para Keaton e fotografia - empate com "O Grande Hotel Budapeste"; o Founder's Award do Chicago International Film Festival de ator para Keaton; o C.A.S. Award da Cinema Audio Society, USA  de mixagem de som em filme - Live Action; o CDG Award da Costume Designers Guild Awards de Excellence in Contemporary Film; o DFWFCA Award da Dallas-Fort Worth Film Critics Association Awards de filme, ator para Keaton, direção, roteiro e fotografia, ficando em segundo lugar em ator coadjuvante para Norton e atriz coadjuvante para Stone; o DFCS Award da Denver Film Critics Society de fotografia, trilha sonora original e roteiro original; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US de ator para Keaton e elenco; o DGA Awards do Directors Guild of America (DGA) para Iñarritu; o FFCC  Award da Florida Film Critics Circle Awards de filme e ator para Keaton; o GFCA Award da Georgia Film Critics Association (GFCA) de fotografia; o Gotham Award da The Gotham Independent Film Awards de filme e ator para Keaton; o Hollywood Film Award do Hollywood Film Awards de fotografia; o Artisan da Hollywood Makeup Artist and Hair Stylist Guild Awards de penteado contemporâneo; o HMMA Award da Hollywood Music In Media Awards (HMMA) de trilha sonora original; o HFCS Award da Houston Film Critics Society Awards de fotografia; o Independent Spirit Award do Independent Spirit Awards de filme, ator para Keaton e fotografia; o IFC Award da Iowa Film Critics Awards de ator para Keaton e trilha sonora original, ficando em segundo lugar de filme, direção e atriz coadjuvante para Stone, e em terceiro lugar de ator coadjuvante para Norton; o KCFCC Award da Kansas City Film Critics Circle Awards de filme, ator para Keaton, ator coadjuvante para Norton e roteiro original; o Sierra Award da Las Vegas Film Critics Society Awards de filme, ator para Keaton, direção, roteiro, fotografia, elenco e trilha sonora; o ALFS Award da London Critics Circle Film Awards de ator do ano para Keaton; o LAFCA Award da Los Angeles Film Critics Association Awards de fotografia, ficando em segundo lugar de ator para Keaton, ator coadjuvante para Norton e roteiro; o Golden Reel Award da Motion Picture Sound Editors, USA de edição de som em longa-metragem: música; o NBR Award da National Board of Review de ator para Keaton - empate com Oscar Isaac por "O Ano Mais Violento" (A Most Violent Year - 2014) -, ator coadjuvante para Norton e Top Ten Films; o NSFC Award da National Society of Film Critics Awards, USA em terceiro lugar de filme - empate com "Sr. Turner" (Mr. Turner - 2014) -, roteiro e ator coadjuvante para Norton; o NYFCO Award da New York Film Critics, Online de Top Films of the Year, elenco, roteiro e fotografia; o NTFCA Award da North Texas Film Critics Association, US de elenco; o OFCC Award da Oklahoma Film Critics Circle Awards de ator para Keaton e ator coadjuvante para Norton, ficando em segundo lugar de filme; o OFTA Film Award da Online Film & Television Association de filme, ator para Keaton, elenco, escalação de elenco, trilha sonora original e fotografia; o OFCS Award da Online Film Critics Society Awards de ator para Keaton; o PGA Award de filme; o Director of the Year Award do Palm Springs International Film Festiva; o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards de filme, ator para Keaton, trilha sonora original, fotografia, edição, roteiro original e elenco; o SDFCS Award do San Diego Film Critics Society Awards de elenco; o SFFCC Award da San Francisco Film Critics Circle de ator para Keaton, ator coadjuvante para Norton e roteiro original; o Modern Master Award do Santa Barbara International Film Festival para Keaton; o Satellite Award da International Press Academy de filme, ator para Keaton e trilha sonora original; o Camera Operator of the Year Award da Society of Camera Operators para Chris Haarhoff ; o SLFCA Award da St. Louis Film Critics Association, US de direção, roteiro original, fotografia e trilha sonora; o TFCA Award da Toronto Film Critics Association Awards de ator coadjuvante para Norton; o UFCA Award da Utah Film Critics Association Awards de filme, direção, ator para Keaton e roteiro original, ficando em segundo lugar de ator coadjuvante para Norton; o VFCC Award da Vancouver Film Critics Circle de direção; o Future Film Festival Digital Award, o Leoncino d'Oro Agiscuola Award, o Nazareno Taddei Award e o Soundtrack Stars Award no Festival de Veneza; o VVFP Award da Village Voice Film Poll de filme "em que todos erraram sobre", ficando em segundo lugar de ator coadjuvante para Norton e terceiro lugar de ator para Keaton; o VES Award da Visual Effects Society Awards de efeitos visuais em longa-metragem: Live Action; e o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards de ator para Keaton, elenco, roteiro original, fotografia e edição.

- "Sniper Americano" (American Sniper - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Clint Eastwood.

Sinopse: Baseado na história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), maior atirador de elite da história da Marinha dos Estados Unidos, chamado de "Lenda" por seus companheiros, que matou oficialmente 160 pessoas no Iraque, consideradas perigosas tanto para o povo daquele país quanto para as tropas americanas. Adaptação cinematográfica de "American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History", best-seller escrito por Kyle, mostra também o drama de sua esposa, que insistia para que ele largasse o SEAL e voltasse para a casa.

Recebeu seis indicações ao Oscar: Melhor filme, ator para Bradley Cooper, roteiro adaptado, edição (montagem), mixagem de som e edição de som.

Prêmios já recebidos: O AFI Award de filme do ano; o Critics Choice Award de melhor ator em filme de ação para Bradley Cooper; o DFCS Award de filme e ator para Cooper - empate com Ralph Fiennes por "O Grande Hotel Budapeste"; o Truly Moving Picture Award da Heartland Film; o IFC Award de "filme que ainda não estreou em Iowa" - empate com "O Ano Mais Violento"; o Golden Reel Award de edição de som em longa-metragem: FX/Foley; o NBR Award direção e Top Ten Films; o OFTA de som e trailer de filme.

- "Boyhood - Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Richard Linklater.

Sinopse: Mason (Ellar Coltrane) é um menino que precisa lidar com a separação dos pais, as dificuldades financeiras da mãe e seus casamentos conturbados, e tantos outros problemas, desde a infância até a ida para a universidade.

Recebeu seis indicações ao Oscar: Melhor filme, direção, ator coadjuvante para Ethan Hawke, atriz coadjuvante para Patricia Arquette, roteiro original e edição (montagem).

Prêmios já recebidos: O Globo de Ouro de melhor filme - drama, direção e atriz coadjuvante para Patricia Arquette; o BAFTA Film Award de filme e atriz coadjuvante para Arquette; o SAG Award de atriz coadjuvante para Arquette; o AFI Award de filme do ano; o EDA Award de filme e direção; o Eddie da American Cinema Editors, USA de melhor edição em filme drama; o Austin Film Award para Linklater e o Austin Film Critics Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o AACTA International Award de atriz coadjuvante para Arquette; o ACCA de direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em segundo lugar de filme; o Urso de Prata de melhor direção, o Reader Jury of the "Berliner Morgenpost" e o Prize of the Guild of German Art House Cinemas no Festival de Berlim; o BOFCA Award de 10 melhores filmes do ano; o BSFC Award de filme, direção, roteiro - empate com "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)", edição e elenco; o British Independent Film Award da British Independent Film Awards de filme internacional independente; o Critics Choice Award de filme, direção, atriz coadjuvante para Arquette e ator jovem para Ellar Coltrane; o Capri Family Award e o Capri Rising Star para Coltrane, do Capri, Hollywood; o Artios da Casting Society of America, USA de elenco em filme drama de baixo orçamento; o segundo lugar do COFCA Award de atriz coadjuvante para Arquette; o CFCA Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o CinEuphoria da CinEuphoria Awards de Top Ten of the Year - International Competition; o Heterodox Award do Cinema Eye Honors Awards, US; o DFWFCA Award de atriz coadjuvante para Arquette, o Russell Smith Award, ocupando o segundo lugar de filme, direção e roteiro, e o terceiro lugar de ator coadjuvante para Ethan Hawke; o DFCS Award da Denver Film Critics Society de direção e atriz coadjuvante para Arquette; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US de filme, direção, atriz coadjuvante para Arquette e roteiro; o DFCC da Dublin Film Critics Circle Awards de filme, direção e Top Ten Films; o Lost Weekend Award do Film Club's The Lost Weekend de direção e atriz coadjuvante para Arquette; o FFCC Award de direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em segundo lugar de filme e elenco; o Fotogramas de Plata da Fotogramas de Plata de filme estrangeiro; o Dorian Award da Gay and Lesbian Entertainment Critics Association (GALECA) de filme do ano; o GFCA Award de filme e direção; o Audience Award da The Gotham Independent Film Awards; o Truly Moving Picture Award; o HFCS Award de filme, direção, atriz coadjuvante para Arquette e roteiro, Technical Achievement e Texas Independent Film Award; o Independent Spirit Award do Independent Spirit Awards de direção e atriz coadjuvante para Arquette; o IFJA Award da Indiana Film Journalists Association, US de Original Vision Award, filme e direção, ficando em segundo lugar de ator coadjuvante para Hawke e roteiro original; o IFC Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em segundo lugar de ator coadjuvante para Hawke; o KCFCC Award de direção e atriz coadjuvante para Arquette; o Sierra Award em segundo lugar de filme; o ALFS Award de filme do ano, diretor do ano e atriz coadjuvante do ano para Arquette; o LAFCA Award de filme, direção, atriz para Arquette e edição; o NBR Award de Top Ten Films; o NSFC Award de direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em segundo lugar de filme; o NYFCC Award da New York Film Critics Circle Awards de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o NYFCO Award de Top Films of the Year, filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o NTFCA Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o Norwegian Film Critics Award do Norwegian International Film Festival; o OFCC Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette; o OFTA Film Award da Online Film & Television Association de direção, atriz coadjuvante para Arquette, performance jovem para Coltrane; o OFCS Award de direção; o Sonny Bono Visionary Award do Palm Springs International Film Festival; o PFCS Award de direção; o Robert do Robert Festival de filme americano; o Louis Black / Lone Star Award do SXSW Film Festival; o SFFCC Award de filme, direção, atriz coadjuvante para Arquette e edição; o FIPRESCI Film of the Year do San Sebastián International Film Festival; o Virtuoso Award e o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival; o Satellite Award de direção e atriz coadjuvante para Arquette; o Golden Space Needle Award do Seattle International Film Festival de filme, direção e atriz para Arquette; o SLFCA Award de filme e atriz coadjuvante para Arquette; o TFCA Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em segundo lugar de roteiro; o VFCC Award de filme e atriz coadjuvante para Arquette; o VVFP Award de filme, direção e atriz coadjuvante para Arquette, ficando em terceiro lugar de ator coadjuvante para Hawke; o WAFCA Award de filme, direção, performance jovem para Coltrane e atriz coadjuvante para Arquette.

- "Selma: Uma Luta Pela Igualdade" (Selma - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Ava DuVernay.

Sinopse: Baseado numa história real, mostra os terríveis eventos que antecederam a marcha liderada por Martin Luther King (David Oyelowo) da cidade de Selma até Montgomery, capital do Alabama, cruzando 80 km de estrada, para garantir o direito de voto aos negros daquele estado, assolado pela segregação racial e suas consequências.

Recebeu duas indicações ao Oscar: Melhor filme e canção original ("Glory").

Prêmios já recebidos: o Globo de Ouro de melhor canção original ("Glory"); o AFI Award da AFI Award de filme do ano; o AAFCA Award de filme, direção, ator para David Oyelowo e canção original ("Glory"); o EDA Female Focus Award de direção feminina e ícone feminino, este último um empate com Laura Poitras por "Citizenfour" (Idem - 2014); o ACCA de canção original ("Glory"); o Black Reel da Black Reel Awards de filme, direção, ator para David Oyelowo, ator coadjuvante para Wendell Pierce, atriz coadjuvante para Carmem Ejogo, trilha sonora e canção original ("Glory"); o BOFCA Award de 10 melhores filmes do ano; o Critics Choice Award de canção original ("Glory"); o COFCA Award de filme, direção, diretora revelação, ator para Oyelowo e roteiro original; o GFCA Award de canção original ("Glory"), o Dorian Award de diretora do ano; o Breakthrough Award para Oyelowo e o Oglethorpe Award for Excellence in Georgia Cinema; o Image Award da Image Awards de filme, ator para Oyelowo, atriz para Ejogo e ator coadjuvante para Common; o New Generation Award da Los Angeles Film Critics Association Awards; o Freedom of Expression Award da National Board of Review, USA; o NYFCO Award de Top Films of the Year; o Audience Award, o Directors to Watch e o Breakthrough Performance Award para Oyelowo do Palm Springs International Film Festival; o Virtuoso Award para Oyelowo; o WFCC Award de filme dirigido por mulher e estrela feminina para Oprah Winfrey.

- "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Morten Tyldum.

Sinopse: Baseado na história real e adaptação cinematográfica do livro "Alan Turing: The Enigma", de Andrew Hodges, o longa conta a história de um matemático brilhante que foi chamado pelo governo britânico para trabalhar num projeto ultrassecreto: decifrar as mensagens criptografadas dos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, enviadas por uma máquina que todos consideravam indecifrável, a Enigma. Antipatizado por todos, Alan Turing (Benedict Cumberbatch) custa a conquistar a simpatia de seus colegas de trabalho, ao mesmo tempo, em que sofre calado por esconder de todos a sua preferência sexual, considerada crime obsceno na Inglaterra naquela época.

Recebeu oito indicações ao Oscar: Melhor filme, direção, ator para Benedict Cumberbatch, atriz coadjuvante para Keira Knightley, roteiro adaptado, trilha sonora original, edição (montagem) e design de produção.

Prêmios já recebidos: o AFI Award de filme do ano; o AAFCA Award, segundo lugar em filme do ano; o Jury Award do Asheville Cinema Festival; o Audience Award (Audience Special Recognition) do Aspen Filmfest; o Capri Director Award e o Capri Movie of the Year Award; o COFCA Award de roteiro adaptado; o Audience Choice Award e o de filme em Língua Inglesa do Chicago International Film Festival; o DFWFCA Award em terceiro lugar de filme, ator para Benedict Cumberbatch e atriz coadjuvante para Keira Knightley; o Festival Award e melhor filme no Fort Lauderdale International Film Festival, US; o Audience Award e o Alfred P. Sloan Foundation Feature Film Prize in Science and Technology do Hamptons International Film Festival; o EuroCinema Hawai'i Award de filme, direção e ator para Cumberbatch; o Truly Moving Picture Award; o Hollywood Film Award de diretor do ano, compositor do ano para Alexander Desplat, ator do ano para Cumberbatch e atriz coadjuvante do ano para Knightley; o IFJA Award em segundo lugar de roteiro adaptado; o IFC Award em segundo lugar em trilha sonora original e terceiro lugar de filme e ator para Cumberbatch; o ALFS Award de ator britânico jovem para Alex Lawther; o Audience Award do Memphis Indie Film Festival; o Audience Award (direção) do Mill Valley Film Festival; o NBR Award de Top Ten Films; o NYFCO Award de Top Films of the Year; o OFTA Film Award da Online Film & Television Association de design de produção, figurino e roteiro original; o Ensemble Cast Award do Palm Springs International Film Festival; o PFCS Award de atriz coadjuvante para Knightley; o Audience Award (Gala Film) do San Diego Film Festival; o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival; o Satellite Award de roteiro adaptado; o Audience Award do Scottsdale International Film Festival; o People's Choice Award (Masters) do Toronto International Film Festival; o Festival Award de filme do Twin Cities Film Fest, US; o USC Scripter Award do USC Scripter Award; o UFCA Award em segundo lugar de filme e ator para Cumberbatch - empate com Ralph Fiennes por "O Grande Hotel Budapeste"; e o WGA Awards do Writers Guild of America de roteiro adaptado.

- "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: James Marsh.

Sinopse: Baseado na história real e adaptação cinematográfica do livro "Travelling to Infinity: My Life with Stephen", de Jane Hawking, a primeira esposa de Stephen Hawking (Eddie Redmayne), o longa conta a história do físico teórico e cosmólogo britânico desde a juventude nos corredores de Cambridge e o diagnóstico de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), com apenas 21 anos de idade, até seu encontro com a Rainha Elizabeth II; mostrando sua luta pessoal e sua genialidade, sendo apoiado por seus familiares, amigos e professores, especialmente por Jane (Felicity Jones), com quem foi casado por muitos anos e teve três filhos.

Recebeu cinco indicações ao Oscar: Melhor filme, ator para Eddie Redmayne, atriz para Felicity Jones, roteiro adaptado e trilha sonora original.

Prêmios já recebidos: o Globo de Ouro de melhor ator - drama para Eddie Redmayne e trilha sonora original; o BAFTA Film Award de ator para Redmayne, roteiro adaptado e o Alexander Korda Award for Best British Film; o SAG Awards de ator para Redmayne; o AAFCA Award em terceiro lugar de Top 10 Films; o segundo lugar no ACCA de ator para Redmayne; o DFWFCA Award em segundo lugar de ator para Redmayne e quarto lugar de filme e atriz para Felicity Jones; o Dorian Award de performance masculina ator para Redmayne; o Truly Moving Picture Award; o Hollywood Film Award de ator revelação para Redmayne; o IFC Award em segundo lugar de ator para Redmayne e atriz para Jones e o terceiro lugar de trilha sonora original; o Audience Award (Favorite World Feature) do Mill Valley Film Festival; o NYFCO Award de Top Films of the Year e ator para Redmayne; o Desert Palm Achievement Award do Palm Springs International Film Festival para Redmayne; o Cinema Vanguard Award do Santa Barbara International Film Festival para Redmayne e Jones; o Jury Prize do Tallinn Black Nights Film Festival de ator para Redmayne; e o WFCC Award de ator para Redmayne e o Invisible Woman Award para Jones.

- "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Wes Anderson.

Sinopse: M. Gustave (Ralph Fiennes) é o concierge do hotel título que mantém relacionamentos amorosos com hóspedes idosas, todas ricas, e herda uma obra de arte valiosíssima de uma delas, provocando a ira de seus filhos. Preso sob a acusação de assassinato, Gustave foge da prisão e conta com a ajuda de um jovem funcionário do hotel, com quem embarca numa aventura para provar sua inocência.

Recebeu nove indicações ao Oscar: Melhor filme, direção, roteiro original, fotografia, edição (montagem), design de produção, figurino, trilha sonora e cabelo e maquiagem.

Prêmios já recebidos: o Globo de Ouro de melhor filme - comédia / musical; o BAFTA Film Award de roteiro original, trilha sonora original, design de produção, figurino e cabelo e maquiagem; o EDA Award de elenco - empate com "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)"; o Eddie edição em filme comédia / musical; o Excellence in Production Design Award de filme de época; o Austin Film Critics Award em terceiro lugar de filme; o ACCA da Awards Circuit Community Awards de design de produção e figurino, ficando em segundo lugar de roteiro original e elenco; o Urso de Prata no Festival de Berlim; o Critics Choice Award de filme de comédia, figurino e direção de arte; o Artios de elenco em comédia independente ou de estúdio; o COFCA Award de elenco, fotografia e trilha sonora, ficando em segundo lugar de direção, roteiro original e atriz do ano para Tilda Swinton; o CFCA Award de roteiro original, fotografia e design de produção / direção de arte; o CDG Award da Costume Designers Guild Awards de Excellence in Period Film; o DFWFCA Award em terceiro lugar de direção; o David do David di Donatello Awards de filme estrangeiro; o DFCS Award da Denver Film Critics Society de filme e ator para Fiennes - empate com Bradley Cooper por "Sniper Americano"; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US de elenco; o DFCC de Top Ten Films; o FFCC Award de elenco, roteiro original e design de produção / direção de arte, ficando em segundo lugar de fotografia; o Dorian Award de filme mais impressionante do ano; o GFCA Award de elenco e design de produção; o Golden Trailer do Golden Trailer Awards de comercial de TV; o Hollywood Film Award de figurinista do ano para Milena Canonero; o Artisan da Hollywood Makeup Artist and Hair Stylist Guild Awards de maquiagem de época e penteado de época; o HFCS Award de pôster design e trilha sonora; IFJA Award de ator para Fiennes e roteiro original, ficando em segundo lugar de trilha sonora original; o ICS Award da International Cinephile Society Awards de elenco e design de produção; o IFMCA Award de trilha sonora original em filme comédia da International Film Music Critics Award (IFMCA); o IFC Award em terceiro lugar de atriz coadjuvante para Swinton; o Silver Ribbon do Italian National Syndicate of Film Journalists de figurino; o Sierra Award de direção de arte; o ALFS Award de roteirista do ano para Wes Anderson; o LAFCA Award de roteiro e design de produção; o NSFC Award de roteiro, ficando em terceiro lugar de ator para Fiennes - empate com Joaquin Phoenix por "Vício Inerente" (Inherent Vice - 2014); o NYFCC Award de roteiro; o OFCC Award de roteiro, ficando em terceiro lugar de filme; o OFCS Award de filme; o PFCS Award de figurino e design de produção; o SDFCS Award de design de produção e trabalho para Willem Dafoe; o SFFCC Award de direção e design de produção; o Satellite Award de design de produção / direção de arte e figurino; o SLFCA Award de direção de arte; o TFCA Award de roteiro, ficando em segundo lugar de filme e em terceiro de direção e ator para Fiennes; o UFCA Award em segundo lugar de filme e ator para Fiennes - empate com Benedict Cumberbatch por "O Jogo da Imitação"; o VFCC Award de roteiro; o VVFP Award de roteiro, ficando em segundo lugar de ator para Fiennes e terceiro lugar de filme; e o WAFCA Award de direção de arte; o World Soundtrack Award do World Soundtrack Awards de compositor do ano e filme original do ano; e o WGA Awards de roteiro original.

- "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014):

Foto: DivulgaçãoDireção: Damien Chazelle.

Sinopse: Andrew Neiman (Miles Teller) é um jovem que sonha em ser aceito na turma de Terence Fletcher (J.K. Simmons), músico e professor impiedoso cujos métodos de ensino ultrapassam os limites do respeito e do bom senso, por vezes agredindo seus alunos verbal e fisicamente. Isto é, seu método de ensino utiliza a humilhação em prol da disciplina que os fará encontrar a perfeição.

Recebeu cinco indicações ao Oscar: Melhor filme, ator coadjuvante para J.K. Simmons, roteiro adaptado, edição (montagem) e mixagem de som.

Prêmios já recebidos: o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante para J.K. Simmons; o BAFTA Film Award de ator coadjuvante para Simmons, edição e som; o SAG Awards de ator coadjuvante para Simmons; o AFI Award de filme do ano; o AAFCA Award de ator coadjuvante para Simmons - empate com Tyler Perry por "Garota Exemplar" (Gone Girl - 2014); o EDA Award de ator coadjuvante para Simmons; o Austin Film Critics Award de ator coadjuvante para Simmons, ficando em segundo lugar em filme; o AACTA International Award do Australian Film Institute de ator coadjuvante para Simmons; o ACCA da Awards Circuit Community Awards de ator coadjuvante para Simmons, edição e som, ficando em segundo lugar de roteiro adaptado; o BSFC Award de ator coadjuvante para Simmons; o Critics Choice Award de ator coadjuvante para Simmons; o People's Choice Award do Calgary International Film Festival; o COFCA Award de ator coadjuvante para Simmons e edição, ficando em segundo lugar de filme; o CFCA Award de ator coadjuvante para Simmons, edição e cineasta promissor para Damien Chazelle; o DFWFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o Audience Award e o Grand Special Prize do Deauville Film Festival; o DFCS Award da Denver Film Critics Society de ator coadjuvante para Simmons; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US de ator coadjuvante para Simmons; o FFCC Award de ator coadjuvante para Simmons; o GFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o HFCS Award de ator coadjuvante para Simmons; Humanitas Prize de Sundance Film Category do Humanitas Prize; o Independent Spirit Award do Independent Spirit Awards de ator coadjuvante para Simmons e edição; o IFJA Award de ator coadjuvante para Simmons e roteiro adaptado, ficando em segundo lugar em filme e direção; o ICS Award da International Cinephile Society Awards de edição; o IFC Award de ator coadjuvante para Simmons; o Sierra Award de ator coadjuvante para Simmons e cineasta revelação para Chazelle, ficando em terceiro lugar em filme; o ALFS Award de ator coadjuvante para Simmons; o LAFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o Audience Award de filme americano do Mill Valley Film Festival; o NSFC Award de ator coadjuvante para Simmons; o NYFCC Award de ator coadjuvante para Simmons; NYFCO Award da New York Film Critics, Online de Top Films of the Year e de ator coadjuvante para Simmons; o NTFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o Spotlight Award para Simmons do Palm Springs International Film Festival; o OFTA Film Award de ator coadjuvante para Simmons; o PFCS Award de ator coadjuvante para Simmons; o Virtuoso Award para Simmons e o Outstanding Director Award para Chazelle do Santa Barbara International Film Festival; o Satellite Award de som (edição e mixagem) e ator coadjuvante para Simmons; o SLFCA Award de Arthouse e ator coadjuvante para Simmons; o Audience Award do Sundance Film Festival; o TFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o UFCA Award de ator coadjuvante para Simmons; o Pilar Miró Award de diretor estreante do Valladolid International Film Festival; o VFCC Award de ator coadjuvante para Simmons; o VVFP Award de ator coadjuvante para Simmons; e o WAFCA Award de ator coadjuvante para Simmons.

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor direção

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações



21/02/2015 23h46

TNT e Globo exibem o Oscar 2015
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)

Na noite deste domingo, dia 22, será realizada a 87a cerimônia de entrega do Oscar no Dolby Theatre em Los Angeles, e o canal por assinatura TNT e a Rede Globo têm os direitos de exibição no Brasil.

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)Na TNT, a transmissão começará às 20h30 com o pré-show e imagens ao vivo do tapete vermelho, sendo que a cerimônia propriamente dita será às 22h; enquanto que na Globo o Oscar será exibido após o Big Brother Brasil.

Mais cedo, às 15h30, o canal por assinatura E! Entertainment começará sua programação ao vivo, direto do tapete vermelho do Dolby Theatre. Além disso, após a cerimônia, o canal vai exibir o pós-show com entrevistas dos vencedores.

O ator Neil Patrick Harris assumiu a responsabilidade de ser o mestre de cerimônias da maior festa do cinema mundial que, este ano, terá entre seus apresentadores: Ben Affleck, Jennifer Aniston, Jason Bateman, Cate Blanchett, Jessica Chastain, Marion Cotillard, Benedict Cumberbatch, Viola Davis, Chiwetel Ejiofor, Idris Elba, Ansel Elgort, Chris Evans, Kevin Hart, Terrence Howard, Josh Hutcherson, Scarlett Johansson, Dakota Johnson, Felicity Jones, Nicole Kidman, Jennifer Lopez, Jared Leto, Shirley MacLaine, Matthew McConaughey, Sienna Miller, Chloë Grace Moretz, Eddie Murphy, Liam Neeson, Lupita Nyong’o, David Oyelowo, Gwyneth Paltrow, Chris Pine, Chris Pratt, Margot Robbie, Zoe Saldana, Octavia Spencer, Meryl Streep, Channing Tatum, Miles Teller, John Travolta, Kerry Washington, Naomi Watts, Oprah Winfrey e Reese Witherspoon.

Uma das principais características da cerimônia de entrega do Oscar é a aposta em números musicais, especialmente das canções indicadas. Este ano, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Pictures Arts & Sciences - AMPAS) conta com as performances de Jack Black, Common, Jennifer Hudson, Anna Kendrick, Lady Gaga, John Legend, Adam Levine com o Maroon 5, Tim McGraw, Rita Ora e Tegan & Sara com The Lonely Island.

A AMPAS inovou e este ano vai exibir na internet o backstage da cerimônia, apresentado por Paula Faris, Chris Connelly, Nick Axelrod, Matt McGorry e o brasileiro Pedro Andrade. Serão mais de 20 câmeras registrando tudo o que acontece nos bastidores, matando a curiosidade do público no Facebook oficial da ABC Network ou no do Oscar (www.facebook.com/oscars).

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor direção

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações



21/02/2015 23h02

‘Birdman’ vence o Independent Spirit Awards 2015
Ana Carolina Garcia

Na noite deste sábado, dia 21, foi realizada em Los Angeles a cerimônia de entrega do Independent Spirit Awards, um dos prêmios mais importantes do cinema independente americano. E o grande vencedor da noite foi "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014).

Foto: Divulgação

O longa do mexicano Alejandro González Iñarritu venceu três das seis categorias a que concorria: filme, ator para Michael Keaton e fotografia. Lembrando que o filme é um dos favoritos ao Oscar deste ano e vem ganhando força nas últimas semanas, num embate direto com outro favorito, "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), que venceu o Independent Spirit nas categorias de direção e atriz coadjuvante para Patricia Arquette.

Dirigido por Win Wenders e Juliano Salgado, o documentário "O Sal da Terra" (The Salt of the Earth - 2014), sobre o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, perdeu para "Citizenfour" (Idem - 2014).

Confira a lista completa de vencedores:

Melhor filme:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014);

Melhor direção:

- Richard Linklater - "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014);

Melhor filme de estreia:

- "O Abutre" (Nightcrawler - 2014);

Melhor ator:

- Michael Keaton - "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)";

Melhor atriz:

- Julianne Moore - "Para Sempre Alice" (Still Alice - 2014);

Melhor ator coadjuvante:

- J.K. Simmons - "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014);

Melhor atriz coadjuvante:

- Patricia Arquette - "Boyhood: Da Infância à Juventude";

Melhor roteiro:

- "O Abutre";

Melhor roteiro de estreia:

- "Dear White People" (Idem - 2014);

Melhor fotografia:

- "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)";

Melhor filme internacional:

- "Ida" (Idem - 2013);

Melhor documentário:

- "Citizenfour" (Idem - 2014);

Melhor edição (montagem):

- "Whiplash: Em Busca da Perfeição";

John Cassavetes Award:

- "Land Ho!" (Idem - 2014);

Truer Than Fiction Award:

- "The Kill Team" (Idem - 2013);

Someone to Watch Award:

- "H." (Idem - 2014);

Producers Award:

- Chris Ohlson;

Robert Altman Award:

- "Vício Inerente" (Inherent Vice - 2014):

Special Distinction Award:

- "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014).



21/02/2015 00h59

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor direção
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)Há muito tempo que a categoria de melhor direção tem um favorito: Richard Linklater, que inovou ao rodar um filme durante 12 anos, encontrando-se com a equipe uma vez por ano, acompanhando o crescimento de seu protagonista e o amadurecimento dos demais personagens. "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014) é um filme excelente que encanta por sua simplicidade e que rendeu a Linklater o Globo de Ouro de melhor direção.

O prêmio concedido pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA) é de extrema importância por ser considerado uma das prévias do Oscar. Contudo, não é a única. Nesta categoria, o DGA Awards, concedido pelo Directors Guild of America (DGA), o Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos, é outro grande termômetro porque parte dos membros do DGA também integra a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Pictures Arts & Sciences - AMPAS), e com direito a voto.

O resultado do DGA Awards sacudiu a temporada de premiações por ter sido uma derrota significativa para Richard Linklater, pois seu maior adversário, Alejandro González Iñarritu, foi o grande vencedor, ficando numa situação confortável na disputa pelo Oscar. Ou seja, o DGA apenas confirmou o que já sabíamos há algumas semanas: o embate entre Linklater e Iñarritu.

Foto: Divulgação

Os indicados ao prêmio de melhor direção este ano, são: Alejandro González Iñárritu por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014), Richard Linklater por "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), Bennett Miller por "Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014), Morten Tyldum por "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014) e Wes Anderson por "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel - 2014).

Até agora, Richard Linklater recebeu mais de 30 prêmios, incluindo o já citado Globo de Ouro, entre eles estão: o David Lean Award for Direction do BAFTA Awards; o EDA Award da Alliance of Women Film Journalists; o Austin Film Critics Award da Austin Film Critics Award da Austin Film Critics Association; o ACCA da Awards Circuit Community Awards; o Urso de Prata do Festival de Berlim; o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards; o Critics Choice Award da Broadcast Film Critics Association Awards; o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards; o DFCS Award da Denver Film Critics Society; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US; o FFCC Award da Florida Film Critics Circle Awards; o HFCS Award da Houston Film Critics Society Awards; o ALFS Award da London Critics Circle Film Awards; o NSFC Award da National Society of Film Critics Awards, USA; o NYFCC Award da New York Film Critics Circle Awards; o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards; o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival, empate com Alejandro González Iñarritu, Bennett Miller, Laura Poitras e Morten Tyldum; e o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards.

Contabilizando o DGA Awards, Alejandro González Iñarritu, venceu mais de 10 prêmios, como: o AACTA International Award do Australian Film Institute; o BOFCA Award da Boston Online Film Critics Association; o Capri Visionary Movie Award do Capri, Hollywood; o DFWFCA Award da Dallas-Fort Worth Film Critics Association Awards; o Sierra Award da Las Vegas Film Critics Society Awards; o Director of the Year Award do Palm Springs International Film Festival; o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival, empate com Richard Linklater, Bennett Miller, Laura Poitras e Morten Tyldum; o SLFCA Award da St. Louis Film Critics Association, US; o UFCA Award da Utah Film Critics Association Awards; e o VFCC Award da Vancouver Film Critics Circle.

Com um trabalho praticamente conservador, ao qual o didatismo toma conta de todo o longa, Morten Tyldum não é o diretor com o melhor trabalho da disputa deste ano. Como diretor por "O Jogo da Imitação", venceu 4 prêmios até agora: o Capri Director Award do Capri, Hollywood; o EuroCinema Hawai'i Award do Hawaii International Film Festival; o Hollywood Film Award de diretor do ano do Hollywood Film Awards; o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival, empate com Alejandro González Iñarritu, Richard Linklater, Bennett Miller e Laura Poitras.

Bennett Miller apresenta um trabalho forte e de difícil digestão, mas dirigido com segurança e competência, mas tem poucas chances na disputa pelo Golden Boy. Até agora, "Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo" lhe rendeu apenas dois prêmios de direção: melhor diretor no Festival de Cannes; o Outstanding Director Award do Santa Barbara International Film Festival, empate com Alejandro González Iñarritu, Richard Linklater, Laura Poitras e Morten Tyldum.

Com chances ainda menores, Wes Anderson também não é o melhor na disputa, pois seu trabalho, assim como o de Morten Tyldum, não está em pé de igualdade com os de Iñarritu, Linklater e Miller. Como diretor de "O Grande Hotel Budapeste", ele venceu apenas um prêmio até agora: o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards.

Pelos motivos apresentados acima, é impossível fazer qualquer predição nesta categoria, mas o confronto direto entre Richard Linklater e Alejandro González Iñarritu é inegável. Por isso, é muito provável que um deles leve o Oscar, sendo que no cenário atual, Iñarritu tem certa vantagem sobre Linklater. Obviamente que a AMPAS pode nos surpreender, o que nem sempre acontece, mas levando em consideração toda a temporada, será muito difícil que outro diretor leve a estatueta para casa. Assim sendo, Tyldum, Miller e Anderson correm por fora.

Confira um pequeno perfil dos indicados:

- Alejandro González Iñárritu:

Foto: DivulgaçãoNascido em 15 de agosto de 1963 na Cidade do México (México), Alejandro González Iñárritu se formou em comunicação pela Universidad Iberoamericana e iniciou sua carreira no rádio até migrar para o cinema, trabalhando como compositor nos anos de 1980. A estreia como diretor aconteceu em 1995 com o curta-metragem "Detrás del dinero" (Idem - 1995), também roteirizado por ele. Demorou um pouquinho até assumir a direção de um longa-metragem, "Amores Brutos" (Amores Perros - 2000), que logo lhe rendeu reconhecimento de público e crítica, além de alguns prêmios. Nos anos seguintes, ele continuou assumindo as mais variadas funções em seus filmes e chamando ainda mais atenção ao dirigir longas como "21 Gramas" (21 Grams - 2003), "Babel" (Idem - 2006) e "Biutiful" (Idem - 2010). Concorrendo a três estatuetas do Oscar este ano nas categorias de melhor filme, direção e roteiro original; Iñárritu foi indicado a outras duas estatuetas por "Babel", filme e direção.

- Richard Linklater:

Foto: DivulgaçãoNascido em 30 de junho de 1960 em Houston, Texas (EUA), Richard Linklater estreou como diretor no documentário em curta-metragem "Woodstock" (Idem - 1985), mas o primeiro longa que dirigiu foi "It's Impossible to Learn to Plow by Reading Books" (Idem - 1988). Começou a chamar atenção com "Jovens, Loucos e Rebeldes" (Dazed and Confused - 1993), seguido por "Antes do Amanhecer" (Before Sunrise - 1995), primeiro longa da bem sucedida franquia protagonizada por Ethan Hawke e Julie Delpy, que inclui "Antes do Pôr-do-Sol" (Before Sunset - 2004) e "Antes da Meia-Noite" (Before Midnight - 2013). Sempre assumindo funções diversas em seus filmes, Linklater tem em sua filmografia como diretor produções bastante conhecidas, como "SubUrbia" (Idem - 1996), "Newton Boys - Irmãos Fora-da-Lei" (The Newton Boys - 1998), "Escola de Rock" (The School of Rock - 2003) e "Nação Fast Food: Uma Rede de Corrupção" (Fast Food Nation - 2006). Concorrendo a três estatuetas do Oscar este ano nas categorias de melhor filme, direção e roteiro original; Linklater foi indicado outras duas vezes na categoria de roteiro adaptado, por "Antes do Pôr-do-Sol" e "Antes da Meia-Noite".

- Bennett Miller:

Foto: DivulgaçãoNascido em 30 de dezembro de 1966 em Nova York (EUA), Bennett Miller abandonou os estudos na New York University Bennett para se tornar manager da banda The Fenwicks. Estreou como diretor em 1998 no documentário "The Cruise" (Idem - 1998). Somente em 2005 dirigiu seu primeiro longa-metragem, "Capote" (Idem - 2005), baseado na história real de Truman Capote. Bastante aclamado, o longa protagonizado por Philip Seymour Hoffman foi um divisor de águas na carreira de Miller. Em sua curta filmografia, cinco títulos apenas, três filmes são baseados em personagens reais: o já citado "Capote", "O Homem que Mudou o Jogo" (Moneyball - 2011) e "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar. A primeira foi por "Capote", também na categoria de melhor direção.

- Morten Tyldum:

Foto: DivulgaçãoNascido em 30 de novembro de 1966 na Noruega, Morten Tyldum estudou na conceituada School of Visual Arts em Nova York e começou a carreira trabalhando com televisão e também com vídeos musicais. Sua estreia no cinema foi com o curta-metragem "Lorenzo" (Idem - 1996), mas seu primeiro longa foi lançado somente em 2003, a comédia dramática "Buddy" (Idem - 2003). Com este filme, Tyldum começou a obter reconhecimento, mas só voltou a dirigir cinco anos depois em "Varg Veum - Falne engler" (Idem - 2008), seguido pelo elogiado suspense policial "HeadHunters" (Hodejegerne - 2011). "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014) é o seu primeiro filme de língua inglesa e lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar.

- Wes Anderson:

Foto: DivulgaçãoNascido em 1o de maio de 1969 em Houston, Texas (EUA), Wes Anderson começou a se interessar por teatro e cinema ainda na infância. Formado em filosofia pela University of Texas, o diretor também trabalha como ator, roteirista e produtor. Sua estreia na direção foi com o curta-metragem "Bottle Rocket" (Idem - 1994), roteirizado por ele e Owen Wilson. O curta originou seu primeiro longa-metragem como diretor, "Pura Adrenalina" (Bottle Rocket - 1994), também roteirizado por ele e Wilson, cuja amizade e parceria começou na faculdade. A partir daí, Anderson lançou vários filmes de sucesso, como "Três é Demais" (Rushmore - 1998), "Os Excêntricos Tenenbaums" (The Royal Tenenbaums - 2001), "A Vida Marinha com Steve Zissou" (The Life Aquatic with Steve Zissou - 2004) e "Moonrise Kingdom" (Idem - 2012), além de se aventurar pelo segmento animado com "O Fantástico Sr. Raposo" (Fantastic Mr. Fox - 2009). Concorrendo a três estatuetas do Oscar este ano, nas categorias de melhor filme, direção e roteiro original; Anderson foi indicado outras três vezes, nas categorias de melhor animação por "O Fantástico Sr. Raposo" e roteiro original por "Os Excêntricos Tenenbaums" e "Moonrise Kingdom".

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações



20/02/2015 00h47

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)Antes do início da temporada de premiações, Michael Keaton era considerado o grande favorito ao Oscar de melhor ator em 2015 devido à sua genial atuação em "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014). Magnífico em cena, mergulhando por completo no papel, e relembrando à indústria, à crítica especializada e ao público tudo o que é capaz de fazer em frente às câmeras, o veterano saiu vitorioso também do Globo de Ouro, levando para casa o prêmio na categoria de melhor ator - comédia / musical.

Poucos dias após a vitória do prêmio concedido pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA), Keaton viu sua candidatura perder força para outro vencedor do Globo de Ouro, mas na categoria drama: Eddie Redmayne, que o derrotou no SAG Awards, concedido pelo Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG). Assim como o prêmio da HFPA, o SAG é um dos termômetros do Oscar nas categorias de atores, principalmente pelo fato de parte de seus integrantes ter direito a voto na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS).

Dentre os cinco indicados, somente Michael Keaton interpretou um personagem ficcional, pois todos os outros levaram para as telas histórias reais. Até agora, o veterano venceu cerca de 25 prêmios individuais por seu desempenho no filme de Alejandro González Iñárritu, além do já citado Globo de Ouro na categoria de melhor ator - comédia / musical. Entre eles estão: o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards; o Critics Choice Award de melhor ator da Broadcast Film Critics Association Awards; o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards; o Founder's Award do Chicago International Film Festival; o DFWFCA Award da Dallas-Fort Worth Film Critics Association Awards; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US; o FFCC  Award da Florida Film Critics Circle Awards; o Gotham Award da The Gotham Independent Film Awards; o IFC Award da Iowa Film Critics Awards; o KCFCC Award da Kansas City Film Critics Circle Awards; o Sierra Award da Las Vegas Film Critics Society Awards; o ALFS Award de ator do ano da London Critics Circle Film Awards; o NBR Award da National Board of Review - empate com Oscar Isaac por "O Ano Mais Violento" (A Most Violent Year - 2014); o OFCC Award da Oklahoma Film Critics Circle Awards; o OFCS Award da Online Film Critics Society Awards; o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards; o SFFCC Award da San Francisco Film Critics Circle; o Modern Master Award do Santa Barbara International Film Festival; o UFCA Award da Utah Film Critics Association Awards; o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards.

Foto: Divulgação

Eddie Redmayne não é o melhor ator na corrida pelo Golden Boy deste ano, pois compôs um personagem baseado mais em uma imitação da condição física de Stephen Hawking, diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) aos 21 anos de idade, do que em qualquer outra coisa, esquecendo-se de trabalhar também o lado psicológico do personagem que se propôs a interpretar. Contudo, o fato de ter vencido o SAG e o Globo de Ouro na categoria de ator - drama, lhe dá certa vantagem sobre Michael Keaton, seu principal oponente e que tem a seu favor sua própria trajetória profissional, uma vez que a AMPAS costuma considerar retornos triunfais de astros cujas carreiras estavam em baixa, como aconteceu com Matthew McConaughey no ano passado em "Clube de Compras Dallas" (Dallas Buyers Club - 2013).

Entre os nove prêmios individuais que Redmayne recebeu até agora por sua atuação como Stephen Hawking, além dos já citados SAG Awards e do Globo de Ouro na categoria de ator - drama, estão: o Hollywood Breakout Performance Actor Award do Hollywood Film Awards; o NYFCO Award da New York Film Critics, Online; o Desert Palm Achievement Award do Palm Springs International Film Festival; o Jury Prize do Tallinn Black Nights Film Festival; o WFCC Award da Women Film Critics Circle Awards.

Os indicados ao Oscar de melhor ator este ano são: Michael Keaton por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014), Benedict Cumberbatch por "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014), Eddie Redmayne por "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014), Bradley Cooper por "Sniper Americano" (American Sniper - 2014) e Steve Carell por "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014).

Mais conhecido por papéis cômicos, Steve Carell surpreendeu por sua incrível atuação como John du Pont, milionário americano que financiou uma equipe de luta greco-romana, fazendo o possível para manter os irmãos e medalhistas olímpicos, Mark e Dave Schultz, em seu time, o Foxcatcher, numa relação conturbada. O ator nos oferece uma das melhores atuações de sua carreira, transmitindo ao espectador toda a complexidade de John du Pont em pequenos gestos e num olhar fulminante e amedrontador. Até agora, Carell recebeu dois prêmios individuais por este longa: o Creative Impact in Acting Award do Palm Springs International Film Festival e o Outstanding Performer of the Year Award do Santa Barbara International Film Festival.

Se Carell impressiona pela loucura de seu personagem, Benedict Cumberbatch consegue equilibrar a fragilidade emocional de Alan Turing com a sua obstinação em vencer a Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial, numa atuação comovente, mas que assim como a de Redmayne, não é melhor que as atuações dos concorrentes de ambos, e ele parece ser o que tem menos chance de faturar o Oscar. O ator recebeu dois prêmios individuais por este filme, o EuroCinema Hawai'i Award do Hawaii International Film Festival e o Hollywood Film Award de ator do ano, concedido pelo Hollywood Film Awards.

Com uma atuação primorosa, a melhor de sua carreira, num filme que também fala de guerra e tem enorme apelo patriótico, Bradley Cooper não pode ser subestimado, pois seu filme tem forte apelo junto ao público e esta é a sua terceira indicação consecutiva, o que pode lhe render o prêmio também pela "insistência". É importante ressaltar que ele é o único dentre os cinco indicados que não foi "testado" no SAG Awards, ou seja, isso vai dividir votos e pode influenciar no resultado da AMPAS, mesmo que não seja favorável a ele próprio. Sem nenhum prêmio de peso nesta temporada, o ator recebeu dois prêmios individuais, o Critics Choice Award de melhor ator em filme de ação da Broadcast Film Critics Association Awards e o DFCS Award de ator da Denver Film Critics Society - empate com Ralph Fiennes por "O Grande Hotel Budapeste"

Considerando este cenário, é impossível fazer qualquer predição, mas pode-se dizer que o Oscar ficará com Michael Keaton ou Eddie Redmayne, tendo Cooper e Carell bem perto dos dois, enquanto Cumberbatch corre por fora na disputa.

Confira um pequeno perfil dos indicados:

- Michael Keaton:

Foto: DivulgaçãoNascido em 05 de setembro de 1951 em Coraopolis, Pensilvânia (EUA), Michael Keaton começou a carreira fazendo stand-up comedy e trabalhando atrás das câmeras numa emissora de TV a cabo, até estrear como ator em 1975 num episódio de "MisteRogers' Neighborhood" (Idem - 1968 - 2001). Nos anos seguintes, participou de um telefilme e seguiu nos programas de televisão, estreando no cinema somente em 1978 na comédia "Ela Vai Ter um Bebê" (Rabbit Test - 1978). Começou a chamar a atenção como Bill Blazejowski em "Corretores do Amor" (Night Shift - 1982), seu primeiro trabalho com o diretor Ron Howard. Contudo, o reconhecimento de público e crítica chegou somente em 1988 com o drama "Marcas de um Passado" (Clean and Sober - 1988) e a comédia "Os Fantasmas se Divertem" (Beetlejuice - 1988), longa que se tornou uma comédia de humor negro após uma conversa do ator com Tim Burton, com quem trabalhou em mais dois filmes bastante populares: "Batman" (Idem - 1989) e "Batman - O Retorno" (Batman Returns - 1992), enfrentando uma avalanche de críticas dos fãs do homem-morcego, que não o queriam no papel, tal qual acontece com Ben Affleck atualmente. Após se recusar a vestir o uniforme do Batman nos filmes de Joel Schumacher, Keaton não obteve o sucesso de outrora em filmes como "Minha Vida" (My Life - 1993), "O Jornal" (The Paper - 1994), "Jackie Brown" (Idem - 1997) e "Má Companhia" (The Merry Gentleman - 2008), que marca sua estreia na direção. Nos anos 2000, o ator voltou a trabalhar em televisão, participando de episódios de séries conhecidas como "Frasier" (Idem - 1993 - 2004) e se destacando no telefilme "Ao Vivo de Bagdá" (Live From Baghdad - 2002) e na minissérie "A Companhia" (The Company - 2007), sendo que o telefilme lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro. Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Benedict Cumberbatch:

Foto: DivulgaçãoNascido em 19 de julho de 1976 em Hammersmith, Londres (Inglaterra), Benedict Cumberbatch é filho dos atores Timothy Carlton e Wanda Ventham e estudou na Manchester University, mas formou-se no mestrado na London Academy of Music and Dramatic Art. Seu primeiro trabalho na TV foi no telefilme "Fields of Gold" (Idem - 2002) e seguiu trabalhando nesta mídia até estrear no cinema no drama "Morte ao Rei" (To Kill a King - 2003). Desde então, o ator concilia trabalhos no cinema, TV e teatro, tornando-se conhecido do grande público com "Desejo e Reparação" (Atonement - 2007), "O Espião Que Sabia Demais" (Tinker Tailor Soldier Spy - 2011), "Além da Escuridão - Star Trek" (Star Trek Into Darkness - 2013) e "O Quinto Poder" (The Fifth Estate - 2013). Em 2004, o ator viveu Stephen Hawking no telefilme "A História de Stephen Hawking" (Hawking - 2004), mesmo papel de seu concorrente, Eddie Redmayne. Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Steve Carell:

Foto: DivulgaçãoNascido em 16 de agosto de 1962 em Concord, Massachusetts (EUA), Steve Carell estreou no cinema e na TV em 1991, no filme "A Malandrinha" (Curly Sue - 1991) e no telefilme "Life As We Know It!" (Idem - 1991). Nos anos seguintes, apareceu em diversos telefilmes e séries, estabilizando sua carreira no cinema somente nos anos 2000 ao participar de produções como "Todo Poderoso" (Bruce Almighty - 2003), "Melinda e Melinda" (Melinda and Melinda - 2004), "O Virgem de 40 Anos" (The 40 Year Old Virgin - 2005) e "Pequena Miss Sunshine" (Little Miss Sunshine - 2006). Nesta época, o ator também estrelou um de seus maiores sucessos: a série "The Office" (Idem - 2005 - 2013), cuja saída em 2011 teve como justificativa sua vontade em se dedicar mais ao cinema. Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Eddie Redmayne:

Foto: DivulgaçãoNascido em 06 de janeiro de 1982 em Londres (Inglaterra), Eddie Redmayne começou a carreira ainda na adolescência, na TV e nos palcos. Seu primeiro trabalho na televisão foi em um episódio da série "Animal Ark" (Idem - desde 1997) e sua estreia no cinema foi em "Mentes Diabólicas" (Like Minds - 2006), ao lado de Toni Colette. No mesmo ano, iniciou sua trajetória na indústria hollywoodiana em "O Bom Pastor" (The Good Shepperd - 2006), dirigido por Robert DeNiro e protagonizado por Matt Damon e Angelina Jolie. Nos anos seguintes, o ator conciliou teatro, televisão e cinema, destacando-se em filmes como "Sete Dias com Marilyn" (My Week with Marilyn - 2011) e "Os Miseráveis" (Les Misérables - 2012). Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Bradley Cooper:

Foto: DivulgaçãoNascido em 05 de janeiro de 1975 na Filadélfia, Pensilvânia (EUA), Bradley Cooper se formou pela Georgetown University em 1997 e decidiu se mudar para Nova York e cursar o Masters of Fine Arts do conceituado Actors Studio, estreando na TV em 1999 num episódio do seriado "Sex and the City" (Idem - 1998 - 2004). Participou de seriados e de um telefilme até estrear no cinema em "Mais um Verão Americano" (Wet Hot American Summer - 2001). Nos anos seguintes, conseguiu conciliar diversos trabalhos na televisão e no cinema, mas somente em 2009 ganhou notoriedade com o estrondoso sucesso de "Se Beber, Não Case!" (The Hangover - 2009), o primeiro longa da franquia. Atualmente vive a melhor fase de sua carreira. Essa é a sua terceira indicação ao Oscar, consecutiva. As outras duas foram na categoria de melhor ator por "O Lado Bom da Vida" (Silver Linnings Playbook - 2012) e melhor ator coadjuvante por "Trapaça" (American Hustle - 2013).

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações


1 Comentários | Clique aqui para comentar

19/02/2015 00h32

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)Os prêmios de melhor atriz na atual temporada de premiações estão divididos, mesmo assim, Julianne Moore é a favorita ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS). Isso se deve, sobretudo, ao fato de a atriz ter vencido o Globo de Ouro na categoria de melhor atriz em drama e o SAG Awards, concedidos pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA) e pelo Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG), respectivamente. Esses prêmios são os principais indicativos do Oscar, sendo que o impacto do SAG Awards não pode ser minimizado, pois parte dos membros do Sindicato também integra a AMPAS e com direito a voto.

As indicadas ao Oscar de melhor atriz deste ano são: Felicity Jones por "A Teoria de Tudo" (The Theory of Everything - 2014), Rosamund Pike por "Garota Exemplar" (Gone Girl - 2014), Julianne Moore por "Para Sempre Alice" (Still Alice - 2014), Reese Witherspoon por "Livre" (Wild - 2014) e Marion Cotillard por "Dois Dias, Uma Noite" (Deux jours, une nuit - 2014).

Não é de hoje que conhecemos o talento e competência de Julianne Moore e, por esta razão, não esperamos nada menos que um show de interpretação a cada filme. E é o que acontece em "Para Sempre Alice". A atriz está incrível em cena como uma mulher diagnosticada com Alzheimer e que recebe a ajuda que todos consideravam a mais improvável de todas, a da filha mais nova, com quem não mantém uma boa relação.

Foto: Divulgação

Por este trabalho, Moore recebeu mais de 15 prêmios individuais, incluindo os citados anteriormente (Globo de Ouro e SAG Awards). Entre os outros prêmios que já recebeu, estão: o EDA Award da Alliance of Women Film Journalists; o Critics Choice Award de melhor ator da Broadcast Film Critics Association Awards; o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards; o Gotham Award da The Gotham Independent Film Awards; o Hollywood Film Award de atriz do ano do Hollywood Film Awards; o HFCS Award da Houston Film Critics Society Awards; o ALFS Award de atriz do ano da London Critics Circle Film Awards; o NBR Award da National Board of Review; o Desert Palm Achievement Award do Palm Springs International Film Festival; o SFFCC Award da San Francisco Film Critics Circle; o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards; o Courage in Acting Award e o WFCC Award da Women Film Critics Circle Awards.

Sua principal oponente é Rosamund Pike, como uma mulher que cresceu com a obrigatoriedade de perfeição, encarnando uma personagem full time, tornando-se totalmente perturbada. A atuação da atriz é excelente e surpreende em todas as fases de Amy, causando as mais variadas reações no público no desenrolar da história.

Assim como Moore, Rosamund Pike também recebeu mais de 15 prêmios individuais até agora: o Austin Film Critics Award da Austin Film Critics Association; o DFCS Award da Denver Film Critics Society; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US; o Lost Weekend Award do Film Club's The Lost Weekend; o FFCC Award da Florida Film Critics Circle Awards; o KCFCC Award da Kansas City Film Critics Circle Awards; o ALFS Award da London Critics Circle Film Awards, também por "What We Did on Our Holiday" (Idem - 2014); o NTFCA Award da North Texas Film Critics Association, US; o OFCC Award da Oklahoma Film Critics Circle Awards; o OFCS Award da Online Film Critics Society Awards; o Breakthrough Performance Award do Palm Springs International Film Festival; o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards; o Virtuoso Award do Santa Barbara International Film Festival; o SLFCA Award da St. Louis Film Critics Association, US; o UFCA Award da Utah Film Critics Association Awards.

Outra forte concorrente é Marion Cotillard, cuja atuação como uma mulher depressiva e com problemas conjugais, que perde o emprego e precisa convencer os colegas a abrir mão de um aumento salarial para que ela possa continuar no emprego é excelente, e o que realmente chama a atenção em "Dois Dias, Uma Noite".

A atriz recebeu 10 prêmios individuais até agora: o BOFCA Award da Boston Online Film Critics Association; o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards, também por "Era Uma Vez em Nova York" (The Immigrant - 2013); o DFCC da Dublin Film Critics Circle Awards; o European Film Award do European Film Awards; o GFCA Award da Georgia Film Critics Association (GFCA); o NSFC Award da National Society of Film Critics Awards, USA; o NYFCC Award da New York Film Critics Circle Awards, também por "Era Uma Vez em Nova York"; o NYFCO Award do New York Film Critics, Online; o SDFCS Award da San Diego Film Critics Society Awards; o VVFP Award do Village Voice Film Poll, também por "Era Uma Vez em Nova York".

Protagonizando um filme baseado em fatos reais e que dependia principalmente de uma atuação forte e consistente para não cair na monotonia, Reese Whiterspoon ofereceu ao público exatamente isso; pois está excelente no papel de Cheryl Strayed, mulher que resolve fazer cruzar a Pacific Crest Trail (PCT), uma trilha de mais de 4.200 km de extensão, que cruza a costa oeste americana da fronteira do México até o Canadá, sozinha e em busca de autoconhecimento, entregando-se por completo ao papel. Até agora, a atriz recebeu pouco mais de cinco prêmios individuais, entre eles: o DFWFCA Award da Dallas-Fort Worth Film Critics Association Awards; o IFJA Award da Indiana Film Journalists Association, US; o IFC Award da Iowa Film Critics Awards; o Sierra Award da Las Vegas Film Critics Society Awards; o Chairman's Award do Palm Springs International Film Festival.

Também em uma produção inspirada em fatos reais, Felicity Jones soube explorar com segurança todo o conflito interno de Jane Hawking, primeira esposa de Stephen Hawking, que abdicou de muita coisa em nome do amor pelo marido, mas que aos poucos passou a desejar uma vida sem tantas limitações, apaixonando-se por outro homem. Apesar de estar segura em cena, sua atuação está longe de ser a melhor dentre as cinco indicadas e ela é a que tem menos chance de faturar o Oscar. Recebeu apenas um prêmio individual até agora: o Invisible Woman Award da Women Film Critics Circle Awards.

Considerando os principais indicativos do Oscar e que a AMPAS raramente nos surpreende, pode-se dizer que Julianne Moore é quem tem a maior chance de vencer o Golden Boy no próximo domingo, mas com Rosemund Pike e Marion Cotillard em seu calcanhar, enquanto que Reese Whiterspoon e Felicity Jones correm por fora nessa disputa.

Confira um pequeno perfil das indicadas:

- Julianne Moore:

Foto: DivulgaçãoNascida em 03 de dezembro de 1960 em Fayetteville, Carolina do Norte (EUA), Julianne Moore se formou em artes pela Boston University e em seguida começou a atuar nos palcos nova-iorquinos. Alguns anos depois, estreou na televisão na minissérie "I’ll Taken Manhattan" (Idem - 1987) e continuou trabalhando nesta mídia mesmo após seu primeiro filme, "Contos da Escuridão" (Tales from the Darkside: The Movie - 1990), passando a se dedicar de fato ao cinema após "A Mão que Balança o Berço" (The Hand That Rocks the Cradle - 1992). Nos anos seguintes, ganhou notoriedade em produções como "O Mundo Perdido: Jurassic Park" (The Lost World: Jurassic Park - 1997), "Boogie Nights: Prazer Sem Limites" (Boogie Nights - 1997), "O Grande Lebowski" (The Big Lebowski - 1998), "Magnólia" (Magnolia - 1999), "Hannibal" (Idem - 2001), "As Horas" (The Hours - 2002) e "Longe do Paraíso" (Far from Heaven - 2002). Recentemente, voltou a atuar em telefilmes e seriados, mas seu foco continua sendo o cinema. Essa é a sua quinta indicação ao Oscar, sendo que Moore é uma das poucas pessoas em Hollywood a ser indicada em duas categorias diferentes, principal e coadjuvante, no mesmo ano (2003). As outras indicações foram: duas na categoria de melhor atriz coadjuvante por "Boogie Nights: Prazer Sem Limites" e "As Horas"; e mais duas ao prêmio de melhor atriz por "Fim de Caso" (The End of the Affair - 1999) e "Longe do Paraíso".

- Felicity Jones:

Foto: DivulgaçãoNascida em 17 de outubro de 1983 em Birmingham, West Midlands (Inglaterra), Felicity Jones se graduou em Inglês pela Wadham College, Oxford, mas começou a carreira de atriz bem cedo, aos 13 anos de idade no telefilme "The Treasure Seekers" (Idem - 1996). Participou de diversos seriados e telefilmes até estrear no cinema em "Reflexos da Inocência" (Flashbacks of a Fool - 2008), longa protagonizado por Daniel Craig. Começou a chamar a atenção em filmes como "Chéri" (Idem - 2009), "A Tempestade" (The Tempest - 2010), "Histeria" (Hysteria - 2011), "Loucamente Apaixonados" (Like Crazy - 2011) e "Albatross" (Idem - 2011). Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Rosamund Pike:

Foto: DivulgaçãoNascida em 27 de janeiro de 1979 em Londres (Inglaterra), Rosamund Pike é formada em Literatura Inglesa pela Wadham College, Oxford. Participou do National Youth Theatre e atuou em montagens teatrais, estreando na televisão em "A Rather English Marriage" (Idem - 1998), telefilme protagonizado por Albert Finney. Participou de algumas séries e minisséries até estrear no cinema em "007 - Um Novo Dia Para Morrer" (Die Another Day - 2002), seguido de filmes como "O Libertino" (The Libertine - 2004), "Orgulho & Preconceito" (Pride & Prejudice - 2005), "Substitutos" (Surrogates - 2009), "A Minha Versão do Amor" (Barney's Version - 2010), "Revolução em Dagenham" (Made in Dagenham - 2010) e "Jack Reacher: O Último Tiro" (Jack Reacher - 2012). Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Reese Witherspoon:

Foto: DivulgaçãoNascida em 22 de março de 1976 em New Orleans, Louisiana (EUA), Reese Whiterspoon é formada em Literatura Inglesa pela Stanford University e começou sua carreira artística ainda na infância, participando de comerciais e estreando no cinema e na TV no mesmo ano, no filme "No Mundo da Lua" (The Man in the Moon - 1991) e "Linda e Selvagem" (Wildflower - 1991). Trabalhou em longas como "Medo" (Fear - 1996), "A Vida em Preto e Branco" (Pleasantville - 1998) e "Segundas Intenções" (Cruel Intentions - 1999) até cair nas graças do público, e de Hollywood, como Elle Woods em "Legalmente Loira" (Legally Blonde - 2001), comédia de grande sucesso que rendeu uma continuação, "Legalmente Loira 2" (Legally Blonde 2: Red, White & Blonde - 2003). Com o passar dos anos, a atriz se tornou um dos nomes mais requisitados da indústria, trabalhando em gêneros que sempre dominou, como comédia e romance, mas se arriscando em personagens difíceis como a cantora June Carter na biografia de Johnny Cash, "Johnny & June" (Walk the Line - 2005). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar, também na categoria de melhor atriz, sendo que venceu a primeira por "Johnny & June".

- Marion Cotillard:

Foto: DivulgaçãoNascida em 30 de setembro de 1975 em Paris (França), Marion Cotillard é filha dos atores Jean-Claude Cotillard e Niseema Theillaud. Começou a carreira no teatro ainda na infância, em uma das montagens de seu pai, somente estreando na TV em 1993 na série "Étude sur le Mouvement" (Idem - 1992 - 1993). No ano seguinte, iniciou sua carreira no cinema no drama "L'histoire du garçon qui voulait qu'on l'embrasse" (Idem - 1994), ganhando notoriedade em "Táxi - Velocidade nas Ruas" (Taxi - 1998), "La guerre dans le Haut Pays" (Idem - 1999), "Amor ou Consequência" (Jeux d'enfants - 2003), "Eterno Amor" (Un long dimanche de fiançailles - 2004), "O Amor Está no Ar" (Ma vie en l'air - 2005) e "Piaf - Um Hino ao Amor" (La môme - 2007). Consagrada na França, a atriz passou a conciliar as produções de seu país de origem com outras americanas, como "Nine" (Idem - 2009), "A Origem" (Inception - 2010), "Meia-Noite em Paris" (Midnight in Paris - 2011) e "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" (The Dark Knight Rises - 2012). Estreou como diretora e roteirista no curta "Snapshot in LA" (Idem - 2014). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar, também na categoria de melhor atriz, sendo que venceu a primeira por "Piaf - Um Hino ao Amor".

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações



18/02/2015 21h22

Dica: ‘Sniper Americano’
Ana Carolina Garcia

Último dos indicados ao Oscar 2015 de melhor filme a estrear nos cinemas brasileiros, "Sniper Americano" (American Sniper - 2014) não agradará a todos devido ao conteúdo violento e, acima de tudo, patriótico.

Foto: Divulgação

Baseado na história real do maior atirador de elite da Marinha Americana, Chris Kyle (Bradley Cooper), o longa é o melhor já produzido sobre a Guerra do Iraque, pois apresenta roteiro ágil e bem amarrado, mantendo o ritmo tanto nas cenas de guerra quanto nas em que apresenta o drama familiar de Kyle, cuja esposa insistia para voltar para casa, principalmente após quatro turnos de trabalho no Iraque. O filme também se destaca por sua montagem, fotografia e efeitos sonoros de primeiríssima qualidade.

Além disso, a produção oferece ao espectador a melhor atuação da carreira de Cooper, excelente em cena, assimilando bem os conflitos internos do personagem, algo que nem a utilização de um boneco é capaz de prejudicar.

Este longa dirigido por Clint Eastwood recebeu seis indicações ao Oscar, nas categorias de melhor filme, ator para Cooper, roteiro adaptado, edição (montagem), mixagem de som e edição de som.

Fica a dica: assista "Sniper Americano" a partir desta quinta-feira, dia 19.

Leia também:

- Crítica - ‘Sniper Americano’: Bradley Cooper em seu melhor trabalho

Confira o trailer oficial legendado:



18/02/2015 00h18

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor ator coadjuvante
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)A estatueta de melhor ator coadjuvante deste ano parece já ter dono há algum tempo, mesmo antes do início da temporada de premiações: J.K. Simmons, por sua impecável atuação como um professor de música impiedoso e tirano, que se utiliza de violência verbal e física como principal método de ensino em "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014).

Os cinco indicados ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) nesta categoria são: Mark Ruffalo por "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo" (Foxcatcher - 2014), Ethan Hawke por "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), J.K. Simmons por "Whiplash: Em Busca da Perfeição" (Whiplash - 2014), Robert Duvall por "O Juiz" (The Judge - 2014) e Edward Norton por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014).

O favoritismo de Simmons deve-se ao resultado de prêmios de outras instituições, principalmente nos dois grandes termômetros do Oscar no que diz respeito a atores: o Globo de Ouro e o SAG Awards, concedidos pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA) e pelo Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG), respectivamente. Sendo que a vitória no SAG o deixa numa situação confortável, pois parte de seus membros também integra a AMPAS e tem direito a voto.

Foto: Divulgação

Entre os mais de 30 prêmios individuais de J.K. Simmons, também estão: o AAFCA Award da African-American Film Critics Association - empate com Tyler Perry por "Garota Exemplar" (Gone Girl - 2014); o Austin Film Critics Award da Austin Film Critics Association; o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards; o Critics Choice Award de melhor ator coadjuvante da Broadcast Film Critics Association Awards; o COFCA Award da Central Ohio Film Critics Association; o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards; o DFWFCA Award da Dallas-Fort Worth Film Critics Association Awards; o DFCS Award da Detroit Film Critic Society, US; o FFCC  Award da Florida Film Critics Circle Awards; o GFCA Award da Georgia Film Critics Association; o HFCS Award da Houston Film Critics Society Awards; o IFJA Award da Indiana Film Journalists Association, US; o IFC Award da Iowa Film Critics Awards; o ALFS Award da London Critics Circle Film Awards; o LAFCA Award da Los Angeles Film Critics Association Awards; o NSFC Award da National Society of Film Critics Awards, USA; o NYFCC Award da New York Film Critics Circle Awards; o NYFCO Award da New York Film Critics, Online; o NTFCA Award da North Texas Film Critics Association, US; o Spotlight Award do Palm Springs International Film Festival; o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards; o Virtuoso Award da Santa Barbara International Film Festival; o SLFCA Award do St. Louis Film Critics Association, US; o TFCA Award da Toronto Film Critics Association Awards; o UFCA Award da Utah Film Critics Association Awards; o VFCC Award da Vancouver Film Critics Circle; o VVFP Award do Village Voice Film Poll; o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards.

Seu principal oponente nesta corrida pelo maior e mais importante prêmio do cinema mundial é Edward Norton, como um famoso ator da Broadway em "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)". O ator está nada menos que espetacular em cena, mas até agora só faturou cinco prêmios individuais, como: o BOFCA Award do Boston Online Film Critics Association; o KCFCC Award do Kansas City Film Critics Circle Awards; o NBR Award da National Board of Review; o OFCC Award da Oklahoma Film Critics Circle Awards; o SFFCC Award da San Francisco Film Critics Circle.

Correndo por fora estão Mark Ruffalo e Robert Duvall. Mais conhecido como o Dr. Bruce Banner / Hulk da franquia "Os Vingadores" (The Avengers), iniciada em 2012 e com novo filme previsto para ser lançado nos cinemas brasileiros em abril deste ano, Ruffalo esbanja competência como o atleta olímpico Dave Schultz, transmitindo ao espectador toda a força de seu personagem, por vezes ofuscando o protagonista Steve Carell. Apesar disso, o ator só venceu um prêmio individual até agora por "Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo", o SDFCS Award da San Diego Film Critics Society Awards, mas dividiu outros com o elenco, como o Hollywood Film Award do Hollywood Film Awards.

Com uma ótima atuação como um juiz acusado de assassinato, defendido pelo filho advogado com quem não tem um bom relacionamento, o veterano Robert Duvall não vive a melhor fase de sua carreira, porém, vez ou outra nos mostra todo o talento que o colocou no primeiro time de Hollywood há muitos anos. Até agora, o ator venceu somente dois prêmios individuais por "O Juiz": o Hollywood Film Award de ator coadjuvante do ano do Hollywood Film Awards e o Icon Award do Palm Springs International Film Festival.

Dentre os cinco indicados, o que parece ter menor chance de levar o Oscar para casa é o galã de outrora, Ethan Hawke. Mesmo com boa atuação como o pai do protagonista do filme queridinho da temporada, "Boyhood: Da Infância à Juventude", seu desempenho individual em premiações é bem tímido. Sem nenhuma vitória individual até agora, o ator conquistou o segundo lugar em algumas premiações e dividiu alguns prêmios com todo o elenco, como o do BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards.

Claro que a AMPAS pode nos surpreender, o que raramente acontece, mas ao que parece a estatueta do Oscar de melhor ator coadjuvante será mesmo de J.K. Simmons.

Confira um pequeno perfil dos indicados:

- Mark Ruffalo:

Foto: DivulgaçãoNascido em 22 de novembro de 1967 em Kenosha, Wisconsin (EUA), Mark Ruffalo estudou no conceituado Stella Adler Conservatory e estreou na TV em 1989 num episódio de "CBS Summer Playhouse" (Idem - 1987 - 1989). Nos anos seguintes, o ator conciliou televisão, teatro e cinema, tornando-se conhecido do grande público no longa "Conte Comigo" (You Can Count on Me - 2000), ao lado de Laura Linney e Matthew Broderick. Consolidou sua carreira em Hollywood através de filmes como "Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças" (Eternal Sunshine of the Spotless Mind - 2004), "Colateral" (Collateral - 2004), "E Se Fosse Verdade..." (Just Like Heaven - 2005) e "A Grande Ilusão" (All the King's Men - 2006). Em 2010 estreou na direção no drama "O Enviado" (Sympathy for Delicious - 2010), ao qual também atuou e lhe rendeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Sundance. Dois anos depois, assumiu a responsabilidade de viver o Incrível Hulk, herói da Marvel que estava sem nenhuma credibilidade no cinema após os longas estrelados por Eric Bana e Edward Norton - "Hulk" (Idem - 2003) e "O Incrível Hulk" (The Incredible Hulk - 2008), respectivamente. Essa é a sua segunda indicação ao Oscar. A primeira foi por "Minhas Mães e Meu Pai" (The Kids Are All Right - 2010), também na categoria de melhor ator coadjuvante.

- Ethan Hawke:

Foto: DivulgaçãoNascido em 06 de novembro de 1970 em Austin, Texas (EUA), Ethan Hawke começou a ter aulas de teatro ainda no colégio, estreando no cinema aos 15 anos de idade em "Viagem ao Mundo dos Sonhos" (Explorers - 1985), ao lado de River Phoenix. Após o lançamento do longa, o ator decidiu se dedicar aos estudos, matriculando-se na Carnegie-Mellon University, interrompendo o curso de teatro para retornar às telas em "A Sociedade dos Poetas Mortos" (Dead Poets Society - 1989), grande sucesso protagonizado por Robin Williams. Nos anos seguintes, conciliou teatro e cinema, tornando-se um dos rostos mais cobiçados de Hollywood, trabalhando em filmes como: "Vivos" (Alive - 1993), "Quiz Show - A Verdade dos Bastidores" (Quiz Show - 1994), "Gattaca - Experiência Genética" (Gattaca - 1997), "Grandes Esperanças" (Great Expectations - 1998) e "Dia de Treinamento" (Training Day - 2001); além é claro de "Antes do Amanhecer" (Before Sunrise - 1995), "Antes do Pôr-do-Sol" (Before Sunset - 2004) e "Antes da Meia-Noite" (Before Midnight - 2013) - a famosa trilogia de Richard Linklater, diretor de "Boyhood: Da Infância à Juventude", sendo que nos dois últimos, Hawke também foi um dos roteiristas. Em 1994 estreou como diretor no curta-metragem "Straight to One" (Idem - 1994), mas o primeiro longa que dirigiu foi "Chelsea Walls" (Idem - 2001). Essa é a sua quarta indicação ao Oscar. A primeira foi na categoria de melhor ator coadjuvante por "Dia de Treinamento" e as outras duas na categoria de roteiro adaptado por "Antes do Pôr-do-Sol" e "Antes da Meia-Noite".

- J.K. Simmons:

Foto: DivulgaçãoNascido em 09 de janeiro de 1955 em Detroit, Michigan (EUA), J.K. Simmons se formou na Universidade de Montana e estreou na TV no telefilme "Popeye Doyle" (Idem - 1986), participando de sua primeira produção cinematográfica em 1994, a comédia-dramática "O Árbitro" (The Ref - 1994). Conciliando teatro, televisão e cinema, o ator conquistou o público aos poucos, especialmente após ter interpretado J. Jonah Jameson, o chefe de Peter Parker no Jornal Clarim Diário, em "Homem-Aranha" (Spider-Man - 2002), "Homem-Aranha 2" (Spider-Man 2 - 2004) e "Homem-Aranha 3" (Spider-Man 3 - 2007), todos dirigidos por Sam Raimi. Entre seus outros filmes estão: "Regras da Vida" (The Cider House Rules - 1999), "Juno" (Idem - 2007), "Amor sem Escalas" (Up in the Air - 2009), "Bravura Indômita" (True Grit - 2010) e "Homens, Mulheres e Filhos" (Men, Women & Children - 2014). Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Robert Duvall:

Foto: DivulgaçãoNascido em 02 de janeiro de 1931 em San Diego, Califórnia (EUA), Robert Duvall formou-se em teatro pela Principia College, estreando no cinema numa participação não creditada em "Marcado pela Sarjeta" (Somebody Up There Likes Me - 1956), dirigido por Robert Wise e protagonizado por Paul Newman. Trabalhou em diversos seriados até retornar à tela grande em "O Sol é Para Todos" (To Kill a Mockingbird - 1962). Conciliando TV e cinema, o ator começou a chamar a atenção em filmes como "No Assombroso Mundo da Lua" (Countdown - 1967), "Caminhos Mal Traçados" (The Rain People - 1969), "Bravura Indômita" (True Grit - 1969) e "M.A.S.H" (MASH - 1970). Contudo, foi como Tom Hagen no clássico "O Poderoso Chefão" (The Godfather - 1972) que ele se consagrou em Hollywood, interpretando novamente o personagem em "O Poderoso Chefão II" (The Godfather: Part II - 1974). Sua estreia como diretor foi com o documentário "We’re Not the Jet Set" (Idem - 1977), mas dirigiu seu primeiro longa de ficção somente em 1983, o drama "Angelo My Love" (Idem - 1983), que marca também sua estreia como roteirista. Nos anos seguintes, atuou em produções como "Dias de Trovão" (Days of Thunder - 1990), "Um Dia de Fúria" (Falling Down - 1993), "O Jornal" (The Paper - 1994), "Um Ato de Coragem" (John Q - 2002) e "Coração Louco" (Crazy Heart - 2009). Essa é a sua sexta indicação ao Oscar. Vencedor na categoria de melhor ator por "A Força do Carinho" (Tender Mercies - 1983), Duvall recebeu mais duas indicações na categoria principal por "O Grande Santini - O Dom da Fúria" (The Great Santini - 1979) e "O Apóstolo", e três indicações na categoria de ator coadjuvante por "O Poderoso Chefão", "Apocalypse Now" (Idem - 1979) e "A Qualquer Preço" (A Civil Action - 1998).

- Edward Norton:

Foto: DivulgaçãoNascido em 18 de agosto de 1969 em Boston, Massachusetts (EUA), Edward Norton se interessou pela carreira de ator ainda na infância, fazendo aulas de teatro e participando de algumas montagens. Formado em história pela Universidade de Yale, Norton começou a carreira nos palcos de Nova York e estreou no cinema em 1996, substituindo Leonardo DiCaprio em "As Duas Faces de Um Crime" (Primal Fear - 1996). No mesmo ano, atuou em mais dois filmes de destaque, "Todos Dizem Eu Te Amo" (Everyone Says I Love You - 1996) e "O Povo Contra Larry Flint" (The People vs. Larry Flynt - 1996). Sua consagração em Hollywood foi praticamente imediata e ele continuou mostrando toda a sua versatilidade em outros grandes sucessos, como "A Outra História Americana" (American History X - 1998), "Clube da Luta" (Fight Club - 1999) e "Dragão Vermelho" (Red Dragon - 2002). Em 2008, assumiu a responsabilidade de interpretar um dos super-heróis mais famosos do universo Marvel, Dr. Bruce Banner / Hulk, após o fracasso de Eric Bana em "Hulk" (Idem - 2003), em "O Incrível Hulk" (The Incredible Hulk - 2008). Seu único filme como diretor é "Tenha Fé" (Keeping the Faith - 2000), protagonizado por ele, Ben Stiller e Jenna Elfman. Essa é a sua terceira indicação ao Oscar, as outras duas foram nas categorias de melhor ator coadjuvante por "As Duas Faces de Um Crime" e ator por "A Outra História Americana".

Leia também:

- Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações



17/02/2015 00h47

Especial Oscar 2015: Categoria de melhor atriz coadjuvante
Ana Carolina Garcia

Foto: Divulgação (©A.M.P.A.S.®)O anúncio dos indicados ao Oscar deste ano não surpreendeu tanto, ao menos não na categoria de melhor atriz coadjuvante. Exceto pela presença de Laura Dern entre as indicadas, lugar que muitos esperavam que pudesse ser ocupado por Jessica Chastain, por seu desempenho em "O Ano Mais Violento" (A Most Violent Year - 2014), ou Naomi Watts, por "Um Santo Vizinho" (St. Vincent - 2014), como aconteceu no Globo de Ouro e no SAG Awards, respectivamente.

As indicadas ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (Academy of Motion Picture Arts and Sciences - AMPAS) são: Patricia Arquette por "Boyhood: Da Infância à Juventude" (Boyhood - 2014), Keira Knightley por "O Jogo da Imitação" (The Imitation Game - 2014), Laura Dern por "Livre" (Wild - 2014), Emma Stone por "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" (Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance) - 2014) e Meryl Streep por "Caminhos da Floresta" (Into the Woods - 2014).

Com uma performance excelente como a mãe do protagonista Mason (Ellar Coltrane), Patricia Arquette é considerada franca favorita ao Oscar desde o início da temporada de premiações, o que ganhou ainda mais força após as vitórias no Globo de Ouro e no SAG Awards, respectivamente concedidos pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association - HFPA) e pelo Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild - SAG). Entre os outros prêmios que já recebeu por "Boyhood: Da Infância à Juventude", mais de 25 prêmios individuais, estão: o Critics Choice Award da Broadcast Film Critics Association Awards; o CFCA Award da Chicago Film Critics Association Awards; o FFCC  Award da Florida Film Critics Circle Awards; o HFCS Award da Houston Film Critics Society Awards; o KCFCC Award da Kansas City Film Critics Circle Awards; o ALFS Award da London Critics Circle Film Awards; o LAFCA Award da Los Angeles Film Critics Association Awards; o NSFC Award da National Society of Film Critics Awards; e o NYFCC Award da New York Film Critics Circle Awards.

Foto: Divulgação

Ao que tudo indica, a maior concorrente de Patricia Arquette é Emma Stone, cuja performance é nada menos que incrível. A seu favor conta o fortalecimento de "Birdman" nas últimas semanas, especialmente após ter vencido o PGA Awards de melhor filme. Até agora, a atriz recebeu somente um prêmio individual por este trabalho, o BSFC Award da Boston Society of Film Critics Awards, mas dividiu alguns com seus colegas nas categorias de melhor elenco do SAG Awards; o Critics Choice Award; o SDFCS Award da San Diego Film Critics Society Awards; o WAFCA Award da Washington DC Area Film Critics Association Awards.

Também com apenas um prêmio individual e um dividido com os outros membros do elenco de "O Jogo da Imitação", o PFCS Award da Phoenix Film Critics Society Awards e o Ensemble Cast Award do Palm Springs International Film Festival, respectivamente, Keira Knightley está "correndo por fora", principalmente se compararmos seu desempenho com os das outras indicadas, pois é o mais fraco e esta indicação um tanto descabida; assim como a de Laura Dern, numa interpretação sem graça e que não lhe rendeu nenhum prêmio por "Livre" até agora.

Veterana e recordista da AMPAS, com 19 indicações ao todo, Meryl Streep teve um bom desempenho e é a grande responsável por "Caminhos da Floresta" não ser um desastre cinematográfico. Contudo, ela venceu apenas um prêmio especial por este longa até agora, mesmo assim, com todo o elenco: o Special Achievement Award do Satellite Award de melhor elenco em filme.

Pelas razões apresentadas acima, pode-se dizer que Patricia Arquette é a provável vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante deste ano, principalmente por ter vencido dois grandes termômetros do Oscar, o Globo de Ouro e o SAG Awards, citados anteriormente. Lembrando que parte dos atores com direito a voto na AMPAS também vota no SAG, o que deixa Arquette em uma situação confortável na corrida pelo Golden Boy.

Confira um pequeno perfil das indicadas:

- Patricia Arquette:

Foto: DivulgaçãoNascida em 08 de abril de 1968 em Chicago, Illinois (EUA), Patricia Arquette é de uma família de atores, filha de Lewis Arquette e Brenda Denaut, e começou sua carreira artística aos 19 anos em "Gatinhas Espertas" (Pretty Smart - 1987), de Dimitri Logothetis. No mesmo ano, atuou em "A Hora do Pesadelo 3 - Os Guerreiros dos Sonhos" (A Nightmare on Elm Street 3: Dream Warriors - 1987), o que lhe deu certa visibilidade por se tratar da sequência de uma franquia extremamente popular, protagonizada pelo personagem Freddy Krueger. Ao longo de sua carreira, a atriz não obteve nenhum desempenho memorável no cinema, brilhando mais na TV, onde protagonizou a série "Medium" (Idem - 2005 - 2011), recebendo indicações a diversos prêmios. Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Keira Knightley:

Foto: DivulgaçãoNascida em 26 de março de 1985 em Teddington, Middlesex (Inglaterra), Keira Knightley também é filha de atores, Will Knightley e Sharman Macdonald. Estreou como atriz em 1993, numa participação de um episódio da série "Screen One" (Idem - 1985 - 2002). Nos anos seguintes continuou trabalhando como atriz de TV até estrear no cinema em "Mentiras Inocentes" (Innocent Lies - 1995). Porém, o reconhecimento do grande público demorou um pouco e aconteceu pelas mãos de George Lucas, como Sabé em "Guerra nas Estrelas: Episódio I - A Ameaça Fantasma" (Star Wars: Episode I - The Phantom Menace - 1999). Pouco tempo depois, a atriz assinou contrato para um papel de destaque em uma franquia que se tornou grande sucesso, "Piratas do Caribe" (Pirates of the Caribbean), cujo primeiro longa-metragem foi lançado em 2003. Ao mesmo tempo em que a série de piratas inspirada numa das principais atrações de Walt Disney World conquistava plateias do mundo inteiro, a atriz passou a apostar em projetos mais sérios, como "Orgulho & Preconceito" (Pride & Prejudice - 2005) e "Desejo e Reparação" (Atonement - 2007). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar, a primeira foi na categoria de melhor atriz por "Orgulho & Preconceito".

- Laura Dern:

Foto: DivulgaçãoNascida em 10 de fevereiro de 1967 em Los Angeles, Califórnia (EUA), Laura Dern também faz parte de uma família de atores. Filha de Bruce Dern e Diane Ladd, a atriz estudou no conceituado Lee Strasberg Theater Institute e fez participações não creditadas em filmes durante a infância. Sua estreia no cinema aconteceu, de fato, no drama "Gatinhas" (Foxes - 1980), protagonizado por Jodie Foster. Nos anos seguintes, chamou a atenção em produções como "Marcas do Destino" (Mask - 1985), "Veludo Azul" (Blue Velvet - 1986), "As Noites de Rose" (Rambling Rose - 1991) e "Jurassic Park - Parque dos Dinossauros" (Jurassic Park - 1993). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar, a primeira foi na categoria de melhor atriz por "As Noites de Rose", que entrou para a história da AMPAS por mãe e filha concorrerem ao prêmio pelo mesmo filme - Diane Ladd foi indicada a melhor atriz coadjuvante.

- Emma Stone:

Foto: DivulgaçãoNascida em 06 de novembro de 1988 em Scottsdale, Arizona (EUA), Emma Stone se interessou pela carreira artística ainda criança, participando de montagens do Valley Youth Theatre em sua cidade natal. A estreia em Hollywood foi com a série da VH1 "In Search of the Partridge Family" (Idem - desde 2004). Participou de alguns programas de televisão, incluindo um episódio de "Medium" em 2005, ao lado de sua grande concorrente no Oscar, Patricia Arquette, até estrear no cinema em "Superbad: É Hoje" (Superbad - 2007). Mas só começou a chamar a atenção do grande público em filmes como "Minhas Adoráveis Ex-Namoradas" (Ghosts of Girlfriends Past - 2009), "Amor a Toda Prova" (Crazy, Stupid, Love - 2011), "Histórias Cruzadas" (The Help - 2011) e "O Espetacular Homem-Aranha" (The Amazing Spider-Man - 2012). Essa é a sua primeira indicação ao Oscar.

- Meryl Streep:

Foto: DivulgaçãoNascida em 22 de junho de 1949 em Summit, New Jersey (EUA), Meryl Streep começou a carreira como dubladora na animação "Everybody Rides the Carousel" (Idem - 1975). Dois anos depois, estrelou o filme feito para TV "Temporada Mortal" (The Deadliest Season - 1977) e seguiu carreira na televisão e no cinema até se consagrar no drama "Kramer vs. Kramer" (Idem - 1979), que lhe rendeu seu primeiro Oscar de melhor atriz coadjuvante. Em 1983, ganhou o segundo Oscar da carreira, o de melhor atriz por "A Escolha de Sofia" (Sophie's Choice - 1982). É impossível falar de Meryl Streep sem dizer que ela é uma das maiores atrizes da história do cinema. Perfeccionista na composição de seus personagens, Streep não é atriz de desempenhos regulares, pois sua presença em cena é sinônimo de uma belíssima atuação, seja qual for o gênero cinematográfico. Três bons exemplos disso são o drama "As Pontes de Madison" (The Bridges of Madison County - 1995), a comédia "O Diabo Veste Prada" (The Devil Wears Prada - 2006) e a biografia "A Dama de Ferro" (The Iron Lady - 2011). Recordista de indicações ao Oscar, 19 ao todo, incluindo a deste ano, a atriz venceu três vezes, sendo duas de melhor atriz por "A Escolha de Sofia" e "A Dama de Ferro"; e uma de melhor atriz coadjuvante por "Kramer vs. Kramer". As outras indicações foram: duas na categoria coadjuvante por "O Franco Atirador" (The Deer Hunter - 1978) e "Adaptação" (Adaptation. - 2002); e 14 na categoria principal, por "A Mulher do Tenente Francês" (The French Lieutenant's Woman - 1981), "Silkwood - O Retrato de uma Coragem" (Silkwood - 1983), "Entre Dois Amores" (Out of Africa - 1985), "Ironweed" (Idem - 1987), "Um Grito no Escuro" (Evil Angels - 1988), "Lembranças de Hollywood" (Postcards from the Edge - 1990), "As Pontes de Madison", "Um Amor Verdadeiro" (One True Thing - 1998), "Música do Coração" (Music of the Heart - 1999), "O Diabo Veste Prada", "Dúvida" (Doubt - 2008), "Julie & Julia" (Idem - 2009) e "Álbum de Família" (August: Osage County - 2013).

Leia também:

- Especial Oscar 2015

- Oscar 2015: ‘Birdman’ e ‘O Grande Hotel Budapeste’ lideram com nove indicações


1 Comentários | Clique aqui para comentar